novembro 21, 2018

[RESENHA] O QUE TOCA O CORAÇÃO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Tudo o que Sebastian Whrigt, conde de Nottinghan, deseja é trazer à vida de sua jovem irmã um pouco de alegria e interesse pela temporada na Corte. Para isso está disposto até mesmo a aturar os caprichos de uma petulante professora de piano. Flora precisa de trabalho. Com um inverno rigoroso à frente, ela não será capaz de suportar meses com pouco carvão e lenha insuficiente. O convívio com a doce Emma compensaria a arrogância e o orgulho de Lorde Sebastian, símbolo de tudo que ela mais menospreza na nobreza. O que ambos não esperavam é a inexplicável atração que surge quando a convivência se intensifica e explode numa situação imprevista. Porém a aristocracia possui suas exigências e o casamento com uma jovem malnascida não está entre os planos de um conde. Por outro lado, Flora jamais se permitiria viver como amante depois do exemplo que teve dos pais.Será possível a nobreza de caráter ser mais valorizada do que a nobreza do sangue? Poderá a beleza da alma cativar mais do que a aparência física?”

 

Corro o risco de me repetir a cada resenha de um livro da Silvia Spadoni, mas não tem jeito: ela tem o dom e domina a técnica, seus romances são garantia total de puro deleite! O que toca o coração, que foi publicado inicialmente em e-book de forma independente, sendo sucesso instantâneo na Amazon, logo teve o seu potencial descoberto pela Qualis Editora, que o publicou no formato impresso. Nada mais justo para uma história maravilhosamente linda, delicada e um prato cheio para os amantes de um bom romance de época.

Sebastian Whrigt, o Conde de Nottinghan, com o intuito de estimular em sua irmã mais nova, Emma, o interesse para a temporada na Corte, além de fazê-la superar um triste episódio (lembra um pouco Geogiana Darcy, de Orgulho e Preconceito), contrata os serviços de uma talentosa — e petulante — professora de piano. Flora é uma apaixonada pianista que precisa batalhar por seu sustento. Extremamente admiradora de Bach, despertou a atenção de Emma (e de Sebastian) em um recital em que tocara apaixonadamente uma das composições de seu autor favorito.

O que era para serem apenas lições de piano torna-se algo mais: Flora passa a ser também dama de companhia de Emma, para ajudá-la em sua temporada na Corte. Emma tem uma leve deficiência que a faz andar com um pouco de dificuldade, mancando.  Com a nova atribuição, a pianista muda-se para Mansfield House, a residência do Conde de Nottinghan.

Flora tem um conceito bem sólido sobre a aristocracia: para ela, são pessoas frias que vivem de aparência, talvez com raríssimas exceções. E é esse o juízo que ela faz de Sebastian, o conde arrogante, acostumado a ter todas as suas ordens cumpridas de pronto. A convivência, entretanto, provará a Flora que existe algo mais por trás da máscara de conde. E não será fácil para Lorde Sebastian ignorar o encanto natural da pianista.

A amizade entre Emma e Flora é instantânea e sincera, algo muito positivo no romance. De certa forma, as duas dividem o protagonismo do livro, embora obviamente Flora e Lorde Sebastian tenham mais destaque. Os amigos Sebastian e Harry, assim como Flora e Emma são um paralelo gostoso de acompanhar. As histórias deles são igualmente apaixonantes e delicadas.

Se você já leu algum livro da Silvia, deve saber que é impossível largar o romance até que ele chegue ao fim. Apesar de todos os fatores em contrário, a forte atração entre Sebastian e Flora os desafiará não só suas emoções, mas também o que eles têm como certo em suas vidas. Será o amor capaz de vencer as convenções sociais e os pré-conceitos? Afinal, o que é necessário para tocar um coração?

 

“À vontade e sem expectadores, Flora deixou-se transportar para um mundo de sonhos. De olhos fechados e lábios entreabertos, seu corpo oscilava no compasso da melodia. Com paixão, entregou-se à música como se estivesse se entregando a um amante há muito desejado. Por minutos seu corpo flutuou e ela sentia apenas o amor correr por suas veias, até que os últimos acordes soaram. Suavemente ela retirou as mãos do teclado e abriu os olhos.

Lorde Sebastian, os cabelos desalinhados, a boca cerrada e os olhos refletindo um oceano de emoções, estava parado à sua frente. A camisa de seda branca aberta no colarinho deixava entrever os músculos do tórax, as longas pernas envoltas por botas de couro ligeiramente abertas… Ele parecia um deus… ou um demônio!

Flora sentiu o coração se acelerar no limite do suportável, as entranhas se contorcendo na antecipação do desconhecido. A razão lhe dizia para sair dali, porém seu corpo traiçoeiro e curioso a mandava ficar.

Corajosamente não fugiu, apenas levantou-se e sustentou o olhar.

Lentamente o conde percorreu os poucos metros que os separavam.” (p. 77)

 

O que toca o coração é um romance sem personagens extremamente lindos e perfeitos, o que é maravilhoso. E o fato da música de Bach ser uma constante na história faz tudo ser ainda mais especial. Ao término, na impossibilidade de abraçar a autora, você, assim como eu, vai acabar abraçando o livro, que tem tudo para ser tornar um queridinho na sua estante.

 

 

 

Título: O que toca o coração

Autora: Silvia Spadoni

Editora: Qualis

Páginas: 188

Compre na Amazon: O que toca o coração

Ou no site da Qualis Editora

 

Leia mais da autora: Um amor conquistado; Um amor inesperado Um amor apaixonado.

maio 11, 2017

[RESENHA] UM AMOR CONQUISTADO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Uma brincadeira do acaso e ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para vingar-se do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.”

 

Um Amor Conquistado é um romance de época muito delicado e bem escrito, mais uma aposta certeira feita pela Pedrazul Editora em seu selo Revelações. Nesta história, Sophia de Breteuil foi levada às pressas para a Inglaterra, por sua madrinha. A pequena garota pertence a uma família de nobres, seus pais são os marqueses de Polignac, muito próximos aos reis da França (a mãe foi dama de companhia de Maria Antonieta e o pai conselheiro de finanças do rei) e o contexto histórico era a queda da bastilha. Através da história de Silvia Spadoni conseguimos além de, obviamente, suspirar pela história de amor que encontraremos alguns capítulos a frente, ter um olhar mais piedoso em relação àquelas pessoas que compunham o topo da pirâmide social francesa. Nenhuma classe social é inteiramente boa ou má. Embora o romance pareça não ter o intuito de discorrer sobre os fatos históricos com didatismo, foi inevitável, para mim, esta percepção.

Na Inglaterra Sophia tinha uma vida modesta, sem ostentar a nobreza de seus pais e, por conseguinte, a sua. Dos bens de sua família, consegue guardar apenas o medalhão com o relicário, uma lembrança da mãe. Passados quase quinze anos desde sua fuga da França e com a morte da madrinha, ela acaba precisando procurar uma colocação como governanta.

“A peça, finamente trabalhada em ouro e diamantes, era um relicário. Fora um presente da própria rainha a Suzanne, sua amada dama de companhia, em seu vigésimo quinto aniversário. Segundo Maria Antonieta, a marquesa lembrava sua irmã Maria Carolina, de quem sentia muita falta e a quem fora apegada quando era apenas uma jovem arquiduquesa na corte austríaca. Aberta, a peça revelava um retrato de Suzanne com a filha no colo, pintado por Élisabeth Vigée Le Brun, a pintora preferida da rainha. No verso, a joia trazia uma inscrição:

‘Em retribuição ao afeto e dedicação que sempre teve por mim.

Maria Antonieta, Rainha da França.’” (p. 10)

 

“Infelizmente, a nobreza de meu sangue francês não será capaz de colocar o pão inglês em minha boca. Gostando ou não, terei que trabalhar e prover o meu próprio sustento!” (p. 26)

 

Conhecemos, então, o conde de Buckington, o famoso conde de gelo. Edward tinha seus casos com damas experientes, mas sem nenhum compromisso. Era uma pessoa fechada, arrogante, desta forma ganhara o apelido na sociedade. Particularmente, gostei dele desde as primeiras páginas! O carinho que tem pela sobrinha Louise mostra que talvez o conde não seja tão frio assim.

Louise, tendo perdido os pais precocemente, torna-se responsabilidade de Edward. É uma garota esperta, que afugenta todas as governantas que tentam impor a ela a tradicional educação inglesa para jovens bem nascidas. Tem uma admiração instantânea por Sophia, que acaba tornando-se sua preceptora, para desgosto do conde de Buckington, que odeia os franceses.

Um francês em particular é o responsável pela ira de Edward, e ele terá a chance de confrontá-lo em uma missão de espionagem que a Coroa Britânica o incumbiu na França. Para tanto, ele precisaria levar uma noiva, a fim de ter mais facilidade para obter informações nos salões nobres da sociedade francesa. Nas conversas informais e regadas a muito champanhe é que se descobrem os planos mais secretos da corte, sobretudo uma corte liberal como a da França.

Não havendo outra pessoa mais adequada que Sophia para ocupar o posto de noiva de mentirinha do conde de Buckington, ela vai com ele até a França, tendo a esperança de descobrir alguma informação sobre seus pais. Para o nosso deleite, muita coisa acontece nessa viagem além das investigações.

Tal como Julia Quinn, a escrita de Silvia Spadoni é precisa e agradável. O livro pode parecer pequeno, mas tem muita história ali e é difícil largá-lo quando precisamos fazer outra coisa. Começando a ler, a vontade é terminar em uma única sentada. A boa notícia é que o segundo volume da série amores, Um Amor Inesperado, já está em pré-venda e tem previsão para envio já no final deste mês! Mais uma grande autora nacional que temos a oportunidade de prestigiar graças ao holofote de uma grande editora.

 

 

SOBRE A AUTORA: A paulista Silvia Spadoni é formada pela faculdade de Direito do Largo de São Francisco – USP e trabalhou como advogada durante grande parte de sua vida. A escrita faz parte de um projeto de reinvenção pessoal. É uma apaixonada por livros, como ela mesma se define, e uma leitora bem vivida. Ama viajar e narra em seus romances o que conheceu, embora retroceda alguns séculos para descrevê-los, pois em um livro de época é mais fácil ser romântica, admite. Silvia é casada há 31 anos, tem três filhos e um cão schnauzer muito amado de 13 anos. Além de Um Amor Conquistado, são dela Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado.

Veja mais sobre Silvia Spadoni em entrevista que ela concedeu para o blog da Pedrazul Editora.

 

 

 

Título: Um Amor Conquistado (Série Amores, Livro 1)
Autora: Silvia Spadoni
Editora: Pedrazul
Páginas: 208

 

Compre no site da Pedrazul Editora e ganhe lindos marcadores!

Disponível também em e-book na Amazon (inclusive para assinantes KindleUnlimited): Um Amor Conquistado.

Saiba mais sobre os outros lançamentos do selo Revelações clicando aqui.

março 17, 2017

[LANÇAMENTOS] NOVIDADES NO SELO REVELAÇÕES DA PEDRAZUL EDITORA

O selo Revelações, que aposta em talentos nacionais e foi inaugurado com a publicação de Primeiras Impressões, livro em pré-venda da escritora Laís Rodrigues, ganhou mais duas autoras para o time: Silvia Spadoni e Emilia Lima. Conheça abaixo as autoras e os próximos lançamentos:

 

Silvia Spadoni

Sucesso na Amazon durante vários meses consecutivos entre os cem mais lidos, Silvia chegou à segunda colocação entre os autores de língua portuguesa mais lidos nos Estados Unidos, ao lado de Machado de Assis, com Um Amor Conquistado e Um Amor Inesperado. A Pedrazul, além destes dois romances (com capítulos inéditos), ainda publicará em primeira mão o terceiro livro da série Amores: Um Amor Apaixonado.

A autora é advogada formada pela USP, casada há 31 anos, tem três filhos e mora em Ribeirão Preto, SP.

 

Um Amor Conquistado (1º. livro da Série Amores, que tem como próximos títulos Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado)

Sinopse: Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Uma brincadeira do acaso e ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para vingar-se do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.”

 

Um Amor Conquistado já está em pré-venda e pode ser adquirido aqui.

 

Para adicionar à sua estante no Skoob, clique aqui.

 

 

Um Amor Inesperado entrará em pré-venda no final do mês de abril, com previsão de entrega no final de maio ou início de junho.

“Na antiga Inglaterra, Amélia embarca em um plano mirabolante com o único objetivo de se livrar do seu terrível tutor: casar-se com um total desconhecido e, ainda por cima, prisioneiro da Coroa Britânica à espera da execução. O plano parece dar certo. Ela se considera viúva e já não sente mais a presença obscura de seu guardião. Mas o mundo de Amélia vira de ponta-cabeça quando Lorde Cunnington, o herdeiro até então ignorado do conde de Hartford, assume as propriedades e é recebido como herói na sociedade local. Tudo estaria bem, não fosse o fato de ele ser o prisioneiro com quem ela havia se casado no submundo daquela fétida prisão. Amélia, agora, precisa enfrentar a vingança do homem cujo nome ela comprou e os novos sentimentos que a simples presença daqueles olhos negros desperta nela. Lançamento em breve!”

 

Adicione à sua estante no Skoob, aqui.

 

 

Um Amor Apaixonado, terceiro livro da série, entrará em pré-venda em junho, com entrega prevista para o mês seguinte.

Sinopse: “Prudence não é prudente. Ao contrário do que seu nome indica, ela anseia por aventura. Dona de um espírito livre e apaixonado, ela é a menos tradicional filha de um duque inglês. Desde menina sentia uma vontade imensurável de conhecer os mistérios do Oriente e sua amizade com o príncipe Bahman Al Kaled, iniciada ainda na infância de forma inusitada, a fez desenvolver verdadeira obsessão pela Arábia. Quando surge a oportunidade perfeita para realizar seu sonho de viajar até lá, vê-se obrigada a ficar sob a tutela e proteção de um príncipe arrogante, insuportável e irresistível!

Ao contrário do irmão mais velho, o príncipe Táriq odeia o povo inglês, mas o destino coloca sob sua responsabilidade justamente uma nobre inglesa, que acredita ser a síntese da mulher fútil e manipuladora que ele tanto despreza. Mas seu país precisa de uma aliança política e cabe a ele evitar que a ousada filha do duque de Barrington seja sequestrada em sua viagem a caminho do palácio Madinat al-Zahr. Tudo teria se resolvido em poucos dias se uma terrível tempestade de areia não tivesse atravessado o caminho deles. Após dias e noites sozinhos no deserto, a reputação de Lady Sinclair fica irremediavelmente comprometida e ele terá de encarar seu pior pesadelo: um casamento, pelo bem de seu país e pela honra da jovem. Será que de um casamento forçado pode nascer um amor apaixonado?”

 

Adicione à sua estante no Skoob, aqui.

 

Acompanhe a escritora Silvia Spadoni no facebook e saiba das novidades, clicando aqui.

 

 

 

Emilia Lima

A baiana Emilia Lima é formada em Economia, mas é uma apaixonada pelas letras, principalmente pelos romances clássicos ingleses, cuja autora preferida é Jane Austen. Também é grande fã de Isabel Allende e de Gabriel Garcia Marquez. Apaixonada por viagens e cinema, Emilia adora conhecer os lugares onde os seus livros são ambientados. Dona de uma extensa biblioteca, ela tem na leitura e na escrita um de seus maiores prazeres. Sua paixão pelos livros vem desde criança, incentivada pelos avós maternos, Marlotinho e Zelinha, que sempre lhe davam livros de presente. Além de Alina, é autora de Ágata e de Dandara que fazem parte da série Família Cirilo. Emilia mora na Bahia e tem dois filhos.

 

Alina (1º. livro da série Família Cirilo, que tem como próximos títulos Ágata e Dandara, este último inédito)

Capa oficial de “Alina”.

Sinopse: “Ambientada na Bahia século XVI, com passagens em Lisboa, Alina conta a história da família Cirilo, que veio de Portugal com o intuito de ajudar na colonização do Brasil. Alina Cirilo amou o jovem advogado Pedro Garcia desde a primeira vez que o viu – um grande amor, porém, proibido. Apaixonada por Pedro, com quem havia se deitado, ela é enviada pelo pai para longe, mas já levava a semente dele dentro de si. Sem escolha, longe de casa, vivendo em meio aos índios, ela conhece Naru, um mestiço com modos de fidalgo. Sozinha, carente, ela deixa-se conquistar pelo jovem belo e doce mestiço, embora nunca tenha esquecido Pedro. Amor, laços familiares, renúncias, traições e reencontros surpreendentes. Edição ilustrada por Mara Sop.”

 

 

Alina já está em pré-venda! Reserve o seu exemplar aqui. A edição foi lindamente ilustrada por Mara Sop, conforme pode ser visto abaixo. Trata-se de uma edição que foi revista, portanto completamente diferente da primeira. A Pedrazul fará marcadores também com as ilustrações presentes no livro, só que coloridos! Um charme!

Ilustração do livro “Alina”.

 

 

Adicione à sua estante no Skoob, aqui.

 

 

A Pedrazul ainda não divulgou as capas e informações dos outros volumes da série Família Cirilo, mas deve divulgar em breve. Aguardo ansiosa!

 

Além de histórias lindíssimas, com o selo Revelações a Pedrazul vem proporcionar aos seus leitores, já habituados aos maravilhosos clássicos históricos e de época, conhecer e admirar os novos talentos da literatura brasileira. Fica aqui o convite para prestigiarmos as autoras, lendo e comentando sobre seus livros.

 

Acesse www.pedrazuleditora.com.br e veja todo o catálogo disponível para compra.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por