novembro 21, 2018

[RESENHA] O QUE TOCA O CORAÇÃO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Tudo o que Sebastian Whrigt, conde de Nottinghan, deseja é trazer à vida de sua jovem irmã um pouco de alegria e interesse pela temporada na Corte. Para isso está disposto até mesmo a aturar os caprichos de uma petulante professora de piano. Flora precisa de trabalho. Com um inverno rigoroso à frente, ela não será capaz de suportar meses com pouco carvão e lenha insuficiente. O convívio com a doce Emma compensaria a arrogância e o orgulho de Lorde Sebastian, símbolo de tudo que ela mais menospreza na nobreza. O que ambos não esperavam é a inexplicável atração que surge quando a convivência se intensifica e explode numa situação imprevista. Porém a aristocracia possui suas exigências e o casamento com uma jovem malnascida não está entre os planos de um conde. Por outro lado, Flora jamais se permitiria viver como amante depois do exemplo que teve dos pais.Será possível a nobreza de caráter ser mais valorizada do que a nobreza do sangue? Poderá a beleza da alma cativar mais do que a aparência física?”

 

Corro o risco de me repetir a cada resenha de um livro da Silvia Spadoni, mas não tem jeito: ela tem o dom e domina a técnica, seus romances são garantia total de puro deleite! O que toca o coração, que foi publicado inicialmente em e-book de forma independente, sendo sucesso instantâneo na Amazon, logo teve o seu potencial descoberto pela Qualis Editora, que o publicou no formato impresso. Nada mais justo para uma história maravilhosamente linda, delicada e um prato cheio para os amantes de um bom romance de época.

Sebastian Whrigt, o Conde de Nottinghan, com o intuito de estimular em sua irmã mais nova, Emma, o interesse para a temporada na Corte, além de fazê-la superar um triste episódio (lembra um pouco Geogiana Darcy, de Orgulho e Preconceito), contrata os serviços de uma talentosa — e petulante — professora de piano. Flora é uma apaixonada pianista que precisa batalhar por seu sustento. Extremamente admiradora de Bach, despertou a atenção de Emma (e de Sebastian) em um recital em que tocara apaixonadamente uma das composições de seu autor favorito.

O que era para serem apenas lições de piano torna-se algo mais: Flora passa a ser também dama de companhia de Emma, para ajudá-la em sua temporada na Corte. Emma tem uma leve deficiência que a faz andar com um pouco de dificuldade, mancando.  Com a nova atribuição, a pianista muda-se para Mansfield House, a residência do Conde de Nottinghan.

Flora tem um conceito bem sólido sobre a aristocracia: para ela, são pessoas frias que vivem de aparência, talvez com raríssimas exceções. E é esse o juízo que ela faz de Sebastian, o conde arrogante, acostumado a ter todas as suas ordens cumpridas de pronto. A convivência, entretanto, provará a Flora que existe algo mais por trás da máscara de conde. E não será fácil para Lorde Sebastian ignorar o encanto natural da pianista.

A amizade entre Emma e Flora é instantânea e sincera, algo muito positivo no romance. De certa forma, as duas dividem o protagonismo do livro, embora obviamente Flora e Lorde Sebastian tenham mais destaque. Os amigos Sebastian e Harry, assim como Flora e Emma são um paralelo gostoso de acompanhar. As histórias deles são igualmente apaixonantes e delicadas.

Se você já leu algum livro da Silvia, deve saber que é impossível largar o romance até que ele chegue ao fim. Apesar de todos os fatores em contrário, a forte atração entre Sebastian e Flora os desafiará não só suas emoções, mas também o que eles têm como certo em suas vidas. Será o amor capaz de vencer as convenções sociais e os pré-conceitos? Afinal, o que é necessário para tocar um coração?

 

“À vontade e sem expectadores, Flora deixou-se transportar para um mundo de sonhos. De olhos fechados e lábios entreabertos, seu corpo oscilava no compasso da melodia. Com paixão, entregou-se à música como se estivesse se entregando a um amante há muito desejado. Por minutos seu corpo flutuou e ela sentia apenas o amor correr por suas veias, até que os últimos acordes soaram. Suavemente ela retirou as mãos do teclado e abriu os olhos.

Lorde Sebastian, os cabelos desalinhados, a boca cerrada e os olhos refletindo um oceano de emoções, estava parado à sua frente. A camisa de seda branca aberta no colarinho deixava entrever os músculos do tórax, as longas pernas envoltas por botas de couro ligeiramente abertas… Ele parecia um deus… ou um demônio!

Flora sentiu o coração se acelerar no limite do suportável, as entranhas se contorcendo na antecipação do desconhecido. A razão lhe dizia para sair dali, porém seu corpo traiçoeiro e curioso a mandava ficar.

Corajosamente não fugiu, apenas levantou-se e sustentou o olhar.

Lentamente o conde percorreu os poucos metros que os separavam.” (p. 77)

 

O que toca o coração é um romance sem personagens extremamente lindos e perfeitos, o que é maravilhoso. E o fato da música de Bach ser uma constante na história faz tudo ser ainda mais especial. Ao término, na impossibilidade de abraçar a autora, você, assim como eu, vai acabar abraçando o livro, que tem tudo para ser tornar um queridinho na sua estante.

 

 

 

Título: O que toca o coração

Autora: Silvia Spadoni

Editora: Qualis

Páginas: 188

Compre na Amazon: O que toca o coração

Ou no site da Qualis Editora

 

Leia mais da autora: Um amor conquistado; Um amor inesperado Um amor apaixonado.

agosto 11, 2017

[RESENHA] UM AMOR APAIXONADO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Prudence não é prudente. Ao contrário do que seu nome indica, ela anseia por aventura. Dona de um espírito livre e apaixonado, ela é a menos tradicional filha de um duque inglês. Desde menina sonhava conhecer os mistérios do Oriente, e sua amizade com o príncipe Bahman Al Kaled, iniciada ainda na infância de forma inusitada, a fez desenvolver verdadeira obsessão pela Arábia. Quando surge a oportunidade perfeita para realizar seu sonho de viajar até lá, Prudence é obrigada a ficar sob a tutela e proteção de um príncipe arrogante, insuportável e irresistível!”

 

Um Amor Apaixonado é o terceiro e último livro da série Amores, da escritora paulista Silvia Spadoni, publicado pelo selo Revelações da Pedrazul Editora. Eu adorei os outros dois livros (Um Amor Conquistado e Um Amor Inesperado), mas a história de Prudence e Tárik ganhou meu coração e esse livro tornou-se o meu favorito absoluto da série e um dos favoritos da vida.

A história de Prudence difere das outras protagonistas da série Amores, pois ela pertence a uma família feliz e abastada, portanto não está passando por privações financeiras ou está nas mãos de um terrível tutor. Na festa de apresentação de sua irmã Priscila à sociedade, Prudence, que não participaria do evento, não se conformou em ficar em casa. Subiu em uma árvore e ficou admirando tudo de longe (a festa foi realizada no jardim). Um ato falho e ela se desequilibrou, caindo em cima de Bahman, um príncipe do oriente, grande amigo de seu irmão. Ali nasceu uma bela amizade entre os dois, pois Prudence mostrara ao príncipe grande interesse sobre a cultura árabe, surpreendendo-o com sua curiosidade e simpatia.

Anos depois, eles se encontram novamente, no casamento de Priscila, e Bahman promete que um dia convidaria Prudence para visitar o seu palácio. Na ocasião, ela conhece o irmão mais novo de Bahman, Tárik, que tem certa antipatia pelos ingleses. Para Tárik, os ingleses os achavam bárbaros, mas Prudence não tinha esse preconceito: havia entre ela e Bahman uma amizade sincera e ela era fascinada pelos mistérios da terra de Sherazade.

No casamento do príncipe Bahman, Prudence é convidada a ir ao oriente com seu irmão Phillip e a esposa dele, que não pôde fazer a longa e cansativa viagem, pois estava grávida. Prudence segue com a comitiva, mas acaba tendo que atravessar o deserto com Tárik, pois havia uma ameaça de sequestro por parte de opositores políticos ao governo do califa Kassim Al Kaled, pai dos príncipes.

Aí, minha gente, a história torna-se irresistível. Prudence vinha sonhando com o céu estrelado da Arábia há anos, e ela o conhece. E também ao amor.

Tárik surpreende-se com a moça inglesa, que em nada parecia com as inglesas que ele conheceu em sua traumática passagem pela terra da rainha. O príncipe era filho de uma nobre daquele país, portanto, era irmão de Bahman apenas por parte de pai.

O envolvimento entre os dois foi inevitável. Embora tudo tivesse sido planejado para que a honra de Prudence não fosse maculada, uma tempestade de areia atrasou a chegada dos dois no palácio do reino Al-Andalus e um casamento era a solução ideal para evitar conflitos políticos, dentre outros aborrecimentos. Contudo, Prudence queria casar-se por amor e ser amada apaixonadamente por seu marido. Já Tárik precisaria superar o ocorrido anteriormente em sua passagem pela Inglaterra e abrir seu duro coração ao amor. Seriam os dois capazes de superar tantas coisas, inclusive a barreira cultural existente, e ficarem juntos?

 

“- Eu a confio a você, príncipe Tárik, cuide dela e proteja-a com se fosse eu – disse Phillip.

– Como a minha própria vida – respondeu o árabe com a mão no coração. – Não se preocupe, eu cuidarei dela – e dizendo isso estendeu a mão para que Prudence se apoiasse nele e o seguisse.

Atônita e com o coração aos pulos, ela sentou-se no parapeito da janela, segurou a mão do príncipe, fechou os olhos e saltou para o desconhecido.”

 

“Tárik a segurou com força junto a si, não podia permitir que ela se afastasse, seu corpo não suportaria a ausência do dela.

E Prudence não queria se afastar, enfim ela havia encontrado seu lugar… ali, nos meio do deserto, nos braços daquele homem…”

 

“- Tárik?

– Sim, habib…

– Nós fomos ao céu?

Rindo, ele a beijou suavemente na ponta do nariz e nas pálpebras ainda fechadas.

– Sim, habib, nós fomos…

– Leve-me novamente?

Ela não precisou pedir outra vez, com um gemido ele a enlaçou.”

 

 

Quando a Pedrazul divulgou os lançamentos do selo Revelações, lembro-me que uma pessoa questionou o título desse livro: não seriam todos os amores, principalmente os narrados em histórias românticas, apaixonados? Confesso que fiquei com isso na cabeça e lendo o livro eu entendi. Existe sim um amor apaixonado. Prudence e Tárik nos mostram bem como é. Leia a história e depois me conte, você também vai perceber. Enquanto isso, eu fico aqui sonhando com o céu estrelado do oriente…

 

 

 

Título: Um Amor Apaixonado (Série Amores, livro 3)
Autora: Silvia Spadoni
Editora: Pedrazul
Páginas: 200

 

Compre no site da Pedrazul Editora e ganhe lindos marcadores: clique aqui.

Compre em e-book na Amazon (disponível para os assinantes Kindle Unlimited): clique aqui.

 

 

P.s.: Não bastasse a história ser lindíssima, ainda tenho a honra e o privilégio de ter esse livro autografado em minha estante! Presentão da Silvia Spadoni, como vocês podem ver no momento ostentação abaixo.

 

julho 19, 2017

[RESENHA] UM AMOR INESPERADO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Na antiga Inglaterra, Amélia embarca em um plano mirabolante com o único objetivo de se livrar do seu terrível tutor: casar-se com um total desconhecido e, ainda por cima, prisioneiro da Coroa Britânica à espera da execução. O plano parece dar certo. Ela se considera viúva e já não sente mais a presença obscura de seu guardião. Mas o mundo de Amélia vira de ponta-cabeça quando Lorde Cunnington, o herdeiro até então ignorado do conde de Hartford, assume as propriedades e é recebido como herói na sociedade local. Tudo estaria bem, não fosse o fato de ele ser o prisioneiro com quem ela havia se casado no submundo daquela fétida prisão. Amélia, agora, precisa enfrentar a vingança do homem cujo nome ela comprou e os novos sentimentos que a simples presença daqueles olhos negros desperta nela.”

 

Um Amor Inesperado é o segundo livro da série independente Amores, da escritora Silvia Spadoni. É o tipo de leitura que você termina com um sorriso no rosto, dá até vontade de abraçar o livro antes de colocá-lo de volta na estante. Um romance de época leve e encantador, perfeito para ler em um único dia.

Lady Amélia de Wintour procura por um marido no submundo da prisão de Fleet, em Londres, a fim de se livrar de seu terrível tutor. O mirabolante plano tinha como objetivo obter o documento que libertaria Amélia e a colocaria na confortável condição de viúva, tendo em vista que o noivo era um prisioneiro da Coroa Britânica à espera da execução.

James Cunnington não teve outra alternativa a não ser aceitar casar-se com Amélia. Tratava-se de um acordo vantajoso para o diretor da prisão, que recebera uma boa quantia em ouro para viabilizar o matrimônio. Sendo assim, mediante tortura, James disse o sim que Amélia tanto precisava.

Dois anos depois, Amélia vivia tranquila, mantendo a farsa de um rápido casamento com um soldado que foi a óbito em batalha. Estava passando uma temporada na casa da amiga Lady Snowden, que estava grávida, quando receberam a notícia de que a propriedade vizinha receberia o seu novo dono, o sobrinho-neto e herdeiro do conde de Hartford. O novo conde era um herói de guerra que esteve infiltrado na prisão de Fleet como um traidor da Coroa, mas tudo parte de um teatro para obter informações. Em uma inteligente manobra, ele fugiu do enforcamento e conseguiu se infiltrar no exército francês e assim obteve informações importantes para o exército inglês. Retornou para Inglaterra, pois sofrera um ataque e seu disfarce estava prestes a ser descoberto. Qual não foi a surpresa de Amélia ao ouvir o nome James Cunnington como o responsável por essas extraordinárias ações! Seria um homônimo ou o seu noivo que retornara do mundo dos mortos para atormentá-la? Seria possível ela ter saído das mãos de um tirano para cair nas mãos de outro?

James nunca esquecera os olhos verdes da mulher que o forçara a casar-se com ela na fétida prisão, quase pondo por água abaixo seu disfarce. Ele estava disposto a achá-la para se vingar pela humilhação. Mas não contava encontrar uma pessoa tão diferente da qual ele sempre imaginou ser a sua Amélia.

De forma ainda mais envolvente que no primeiro livro, o leve suspense que permeia o romance entre os protagonistas dá um toque super especial a essa história. Recomendo muito a leitura e mal posso esperar para ler o Um Amor Apaixonado, terceiro e último livro da série Amores, à venda no site da Pedrazul Editora neste link.

 

 

Veja a resenha de Um Amor Conquistado, primeiro volume da série Amores, aqui.

 

 

Título: Um Amor Inesperado (Série Amores, livro 2)
Autora: Silvia Spadoni
Editora: Pedrazul
Páginas: 240

 

Compre no site da Pedrazul e ganhe lindos marcadores, clique aqui.

 

Compre o e-book na Amazon: Um Amor Inesperado.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por