novembro 24, 2017

[LANÇAMENTO] SCORPIONS LANÇA BORN TO TOUCH YOUR FEELINGS: BEST OF ROCK BALLADS

 

Calma, vou explicar. Aqui continua sendo um blog de e sobre literatura, mas eu não posso deixar passar em branco esse lançamento da minha banda favorita da vida, Scorpions. A banda alemã sucesso em todo o mundo lançou hoje, 24/11/2017, o disco Born to touch your feelings: Best of rock ballads. No momento em que escrevo esse post ouço pela quarta vez o CD, que já entrou para a minha lista de favoritos, junto com Moment of glory, Acoustica, MTV Unpluged, Unbreakable, Live Bites e talvez todos os outros.

A banda, apesar de, em essência, ser de heavy metal, é muito conhecida por suas baladas românticas. Você pode nunca ter ouvido sequer falar em Scorpions na vida, mas certamente já ouviu Wind of change ou Still loving you nas rádios ou coletâneas de músicas românticas. Scorpions foi fundada foi em 1965 pelo guitarrista Rudolf Schenker, em Hannover, e de lá para cá vários músicos passaram pela banda. Entretanto, Rudolf (guitarrista), Matthias Jabs (guitarrista) e Klaus Meine (vocal) são os integrantes digamos, mais tradicionais, e que estão há mais tempo na banda. Há alguns anos eles ensaiaram uma aposentadoria, mas essa ideia não foi concretizada (graças a todos os deuses do universo). Um dos grandes sonhos que tenho é vê-los ao vivo, em um show. Meu sonho de princesa é dar um abraço no Klaus e no Rudolph. E no Matthias. E no Pawel (baixista). E no Mikkey Dee (novo baterista).

 

Leia também: Resenha de Scorpions, de Herman Rarebell, e o dia em que um ex-integrante do Scorpions me descobriu no twitter (e eu quase surtei por isso).

 

Estou deixando, abaixo, a playlist do Spotify deste lançamento. Quatro das dezessete músicas de Born to touch your feelings não estão disponíveis nos serviços de streaming, apenas no disco/CD, que eu certamente vou comprar assim que estiver disponível e com um precinho camarada aqui no Brasil. Mas as músicas que foram divulgadas gratuitamente valem muito a pena. Ouçam bastante, se apaixonem e aproveitem o fim de semana com uma das vozes mais marcantes do rock mundial.

 

 

Para saber mais sobre Scorpions:

A página da Wikipédia está bem completa e atualizada.

Site oficial da banda.

 

dezembro 14, 2016

[RESENHA] SCORPIONS, LIVRO DE HERMAN RAREBELL

Sinopse: “Consolidar uma banda em uma época difícil, com a Alemanha dividida pela Segunda Guerra Mundial e em plena Guerra Fria; conquistar destaque no auge do rock e em meio a grandes bandas como The Beatles, Led Zeppelin, The Who e Deep Purple; e alcançar o sucesso, mantendo presença no mundo da música por tantos anos não é missão para qualquer um.

Herman Rarebell, ex-baterista do Scorpions, enfrentou todos esses desafios e traz em sua biografia, de maneira inédita, não apenas sua experiência em uma das maiores bandas de rock de todos os tempos, mas também as curiosidades do circuito da música, os bastidores, a rotina com produtoras e gravadoras, as turnês, e, sim, o sexo e as drogas também.”

 

As histórias do Herman – Zé German – Rarebell são incríveis! Para quem é fã do Scorpions o livro é uma pérola: Imagina saber qual foi a inspiração para a composição de músicas como Blackout, Another Piece of Meat, He’s a Woman, She’s a man, além dos bastidores do mundo do rock!

Para quem conhece, mas não é tão fã, o livro cumpre o seu objetivo de apenas entreter, como Herman nos diz no termo de responsabilidade:

“A história a seguir tem apenas o objetivo de entreter! Deixe suas preocupações e problemas de lado. Neste livro não há nada além de diversão. Então, por favor, não procure nada além disso. Bem-vindo ao mundo do Scorpions!”

 

Uma passagem que achei interessante foi a que o Herman menciona o quão impressionado ficou com uma banda que estava surgindo no cenário do rock mundial, nos anos 80, que chegou a abrir um show do Scorpions numa determinada turnê. Esta banda, que está em atividade até os dias de hoje (e é maravilhosa) é o Iron Maiden!

As viagens, mulheres, loucuras, anonimato e sucesso: Não é, nem de longe, uma autobiografia tradicional. Os fatos são contados de forma bem natural, como uma conversa entre amigos, só que em 22 capítulos.

O livro tem como co-autor Michael Krikorian, que escreveu Tomorrow will be yesterday: The Story of BASH.

 

Minha coleção atual de DVDs do Scorpions. Sou muito fã!

 

Sobre os autores

HERMAN RAREBELL foi membro do Scorpions e participou de vários álbuns de sucesso dos anos 1970 e 1980. Também compôs músicas importantes da banda, como Rock you like a hurricane e Blackout.

MICHAEL KRIKORIAN escreve para diversos jornais, revistas, publicações online e possui uma coluna no portal Examiner.com. Também é diretor da fundação Rock and Roll Remembers (rockandrollremembers.org), que ajuda pessoas que foram importantes na comunidade do rock e passam por dificuldades. Escreveu, como já dito acima, Tomorrow Will be yesterday: The Story of BASH.

 

 

Título: Scorpions: Minha história emu ma das maiores bandas de todos os tempos
Autor: Herman Rarebel / Michael Krikorian
Tradução: Gus Monsanto
Editora: Panda Books
Páginas: 280

Compre na Amazon:Scorpions

 

 

[ATUALIZAÇÃO: 20/12/2016]

Herman Rarebell viu o link da resenha no Twitter e… retuitou! Fiquei em êxtase, na verdade, ainda estou… Bem-aventuradas sejam as hashtags, que fizeram o meu dia tão feliz e me deram um baita presente de natal!

 

[ATUALIZAÇÃO 2 – 22/12/2016]

 

[ATUALIZAÇÃO 3 – 27/12/2016]

julho 21, 2016

[RESENHA] A MAMÃE É ROCK, DE ANA CARDOSO

Sinopse: “Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho biológico, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família, mas é principalmente sobre as mães, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube.Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. Aqueles que leram O papai é pop estão convidados a conhecer o lado mais in/tenso da experiência. A mamãe é rock é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para crias suas filhas.”

Conheci as crônicas do Piangers há pouco tempo, mais precisamente no episódio em que ele e as suas filhas, Anita e Aurora, estiveram no programa Encontro com Fátima Bernardes. Na ocasião, a pequena feminista Anita falou sobre o machismo que é não ter fraldário nos banheiros masculinos, em locais como shoppings, por exemplo. Infelizmente, é bem verdade que poucos estabelecimentos possuem uma área “neutra” para que não só as mães executem a tarefa de trocar as fraldas dos pequenos. Os donos desses estabelecimentos não consideram a possibilidade de os pais saírem sozinhos com seus bebês. Enfim, a fala da menina repercutiu na internet e eu quis saber mais sobre a família. Que bela descoberta! Li O Papai é Pop e, em breve, lerei O Papai é Pop 2. Mas quando soube que a esposa do Piangers, a Ana Cardoso, ia lançar o A Mamãe é Rock, fiquei super empolgada! Comprei o e-book na pré-venda e o li rapidamente, madrugada a dentro, enquanto a minha bebê dormia.

O livro já começa com uma ótima frase da Malala Yousafzai:

“Como de hábito, meu pai não ajuda na cozinha. Eu o provoco: ‘Aba, você fala em direito das mulheres, mas é a minha mãe que cuida de tudo! Você nem ajuda a lavar a louça do chá!’”

 

Ana Cardoso se propõe a falar sobre o lado in-tenso da criação, mas faz isso de uma forma bem leve e divertida. No meu caso, sendo mãe há pouco tempo, mesmo assim, me identifiquei com algumas situações, vislumbrei outras e reconheci um pouco da minha mãe em várias das crônicas da autora. Essa é uma leitura também para avós, tias, irmãs mais velhas, enfim, para todas as mulheres que desempenham esse maravilhoso, porém árduo, papel de mãe. E também para os homens, por que não, para que saibam um pouco mais sobre nós e também entendam nossos momentos mais delicados.

 

 

Ana Cardoso e suas filhas, Aurora e Anita.

Ana Cardoso e suas filhas, Aurora e Anita.

 

Adoro O Papai é Pop! Piangers é um exemplo desse novo modelo de pai que nós tanto precisamos, amigo, companheiro e participativo. Mas, de agora em diante, virei fã da Ana Cardoso, a mamãe rock!

Abaixo, o trecho com o qual eu mais me identifiquei. Parece ter sido escrito para mim:

“Um dia você não toma banho, não consegue comer direito e não entende muito bem aquela criaturinha que não desgruda de você nem um segundo.

No outro, você sai só e, ao invés de se sentir livre, sente saudades da pessoinha e entende que suas emoções nunca mais serão claras depois de ter passado por um processo de multiplicação.”

 

 

 

Título: A Mamãe é Rock
Autora: Ana Cardoso
Editora: Belas Letras
Páginas: 112

Compre pela Amazon: A Mamãe É Rock

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por