dezembro 18, 2019

[LISTA] OS (12) MELHORES LIVROS QUE EU LI EM 2019

 

“Então é natal, e o que você fez?” [continue com a trilha sonora da Simone tocando em seu cérebro. De nada!]

Eu poderia responder que “li muitos livros e vou indicar os melhores pra você”, em uma tentativa de paródia muito estranha e lugar comum [desculpa], mas a verdade é que dezembro é mesmo O MÊS de “fechar a conta e passar a régua”, não sei se pela música da Simone tocando em todos os lugares do Brasil, ou pelo cansaço por este ano que pareceu uma década [com você também foi assim?]. Por aqui já é de praxe: gosto de encerrar o ano com uma lista das minhas melhores leituras, como sugestão para a sua lista de leituras do ano seguinte! Como estive engajada no #Desafio1LivroPorMês, a lista de 2019 é das minhas doze melhores leituras. Começo com janeiro e termino em dezembro, porque “não sou capaz de opinar” e vários títulos empatariam na primeira colocação! Confira abaixo e me conta nos comentários qual ou quais foram os seus melhores livros lidos neste ano, assim você me ajuda com a minha listinha para o ano que vem! Boas Festas e Boas Leituras!

 

A volta de Mary Poppins, de P. L. Travers
Quem conhece sabe: Mary Poppins não é dada a explicações. Quase da mesma forma em que os ventos mudaram e ela deixou as crianças Banks no número 17 da Cherry Tree Lane, a babá volta pela linha da pipa de Michael, saída de trás de uma nuvem, em uma tarde qualquer. E maiores explicações não são necessárias. Mary Poppins voltou e tudo se tornará mágico outra vez. Continue lendo…
⠀⠀
A amiga genial, de Elena Ferrante
Com a série da HBO, My Brilliant Friend, exibida no final do ano passado, o nome Elena Ferrante voltou a circular pela internet e eu fiquei encantada com as personagens principais, Lila e Lenu, e também por todo aquele contexto pós Segunda Guerra Mundial, em uma Nápoles não tão glamurosa quanto a que nos vem em mente quando ouvimos falar desse lugar. A tetralogia napolitana conta a história de gente comum, de uma periferia violenta de uma Itália que estava engatinhando para uma realidade mais pacífica, seja lá o que isso queira dizer na prática.  Continue lendo…
⠀⠀
 Poldark: Demelza, de Winston Graham
Poldark: Demelza, segundo volume da série Poldark, de Winston Graham, retoma a história do livro anterior no momento do nascimento da filha de Ross e Demelza, Julia. Esse segundo livro, como mostra o título, é centrado em Demelza e este romance consegue ser ainda mais envolvente que a história anterior. 

Demelza precisa se posicionar como Sra. Poldark de Namparra, e para isso precisa deixar de lado suas inseguranças sobre sua origem, mas, sobretudo, precisa constantemente superar a espécie de competição subentendida que existe entre ela e Elizabeth. É interessante perceber que a Demelza que ascendeu socialmente não deixou de lado a sua visão de mundo e sua personalidade. Continue lendo…

Revolução Laura, de Manuela D’Ávila

Em que possa pesar os posicionamentos políticos da autora para alguns leitores na escolha deste livro (não é o meu caso, mas acho importante fazer essa observação), Revolução Laura: Reflexões sobre maternidade e resistência, de Manuela D’Ávila (Belas-Letras, 2019) é um livro sobre mães e para mães, sejam elas de esquerda ou de direita (ou de nenhum lado). Continue lendo…

 A metamorfose, de Franz Kafka

Kafka é um autor que a gente já conhece mesmo antes de ler, por sua forte influência na cultura, coisa natural dos livros clássicos. Mas esse autor, sobretudo esse livro, é uma narrativa que você não pode passar pela vida sem conhecer por si próprio, da fonte original. A Metamorfose é um livro poderoso, que mexe com a cabeça da gente. Não por acaso a Antofágica o escolheu para iniciar os seus trabalhos editoriais. Continue lendo…

⠀⠀

 

 O sentido de um fim, de Julian Barnes

Quão frágil pode ser a nossa memória? Essa pergunta ficou se repetindo na minha cabeça desde que cheguei à última página de O sentido de um fim, de Julian Barnes, enviado aos assinantes da TAG Curadoria no mês de junho de 2019. O livro, que teve como curador o escritor brasileiro Michel Laub, é uma leitura que prende, incomoda e nos faz criar diversas teorias sobre os personagens, suas trajetórias e as ligações que estabeleceram durante a vida. Continue lendo…

 

 Morreste-me, de José Luis Peixoto

Morreste-me, de José Luís Peixoto, é simplesmente o livro mais lindo que li na vida. Delicado e profundo é uma prosa poética sobre a perda que corrói e muda definitivamente a nossa vida: a orfandade. Continue lendo…

 O olho mais azul, de Toni Morrison

Ninguém que tenha o mínimo de sensibilidade vira a última página de O olho mais azul, de Toni Morrison, sendo a mesma pessoa de antes desta leitura. Tendo a pensar que, mesmo entre os mais insensíveis, pode haver certo incômodo com as situações vividas pelos personagens deste livro, especialmente se compararmos ao que vivemos hoje, no Brasil e no mundo, em matéria de racismo estrutural. Continue lendo…

 

 Intérprete de males, de Jhumpa Lahiri

Esplêndido. É o que foi, para mim, o livro Intérprete de males, de Jhumpa Lahiri (TAG/Biblioteca Azul, setembro-2019). Quem leu, sabe que o adjetivo não foi escolhido por acaso: é o que a centenária Sra. Croft acha sobre o homem ter posto uma bandeira (americana) na lua, retirado do último conto da coletânea, “O terceiro e último continente“. Continue lendo…

 

 

 Tempo de Graça, Tempo de Dor, de Frances de Pontes Peebles

Tempo de Graça, Tempo de Dor é uma verdadeira viagem — geográfica, histórica, emocional… Das dores é nossa condutora, desde sua vida difícil como órfã crescida em um engenho de açúcar nos anos 1920, até a realização do ambicioso sonho da emancipação social e econômica através da música. Continue lendo…

⠀⠀⠀
⠀⠀
 Laços, de Domenico Starnone
Laços, do escritor italiano Domenico Starnone (Todavia, 2017), foi um dos livros mais intensos que eu li neste ano de 2019. Fiquei profundamente mexida, a ponto de ter que engolir o choro — meu marido e minha filha de três anos talvez não entendessem tamanho descontrole (e eu não conseguiria explicar). Foi impressionante perceber que um homem do outro lado do oceano tenha escrito algo que poderia ser sobre o casamento dos meus própios pais. Continue lendo…
 O mundo se despedaça, de Chinua Achebe
O mundo se despedaça, de Chinua Achebe, fala dos efeitos da colonização nas aldeias Igbos, na Nigéria, mas não se restringe a isso, nem se ocupa em dar destaque aos colonizadores. Aqui temos a história e a cultura de um povo pela rotina e cultura deles próprios, em um romance em que o protagonista é um anti herói.

É uma ótima maneira de conhecer “o outro lado da história”, de entender como acontece a mudança cultural (por meio de imposição), que apaga a cultura local e a substitui por outra, dentre outras coisas.
⠀⠀
Quer saber todos os livros que eu li em 2019? Clique aqui (e não esquece de me adicionar no Skoob, tá?!)
dezembro 20, 2018

[DIÁRIO] NESTE NATAL (E EM TODAS AS DATAS) DÊ LIVROS DE PRESENTE!

Ilustração da Samanta Flôor

 

Eu sempre fecho o ano com um resumo das minhas melhores leituras como uma sugestão para a sua lista de leitura do ano seguinte. Neste fim de ano, no entanto, vou fazer um pouco diferente: além de sugerir algumas das minhas melhores leituras do ano para você, vou sugerir editoras e uma lista de ótimas opções para ler em e-book na Amazon, especialmente de livros que integram o Kindle Unlimited (a Netflix dos livros, para quem ainda não conhece). Tudo isso com um intuito simples, fazer com que você possa criar não só o hábito de ler mais, mas também de dar livros de presente! Não vou falar sobre a crise no mercado editorial, das milhares de livrarias que fecharam nos últimos tempos, porque além da questão de mercado e má administração que envolve o assunto, não podemos esquecer ou negar que o Brasil está longe de ser um país de leitores. Ainda somos poucos, mas com um pouco de empenho em incentivar a leitura, dia após dia, podemos reverter esse quadro. Livros precisam ser vendidos, comprados, mas principalmente, precisam ser lidos.

 

Livros impressos (ou não) que eu li e me apaixonei em 2018

Kurt Seyit e Shura, de Nermin Bezmen

Capitu vem para o jantar, da Denise Godinho

Amor & Orgulho, de Georges Ohnet

Mary Poppins, de P. L. Travers

O Maravilhoso Malabarista de Porcelana, de Juliana Scatolin

A Língua de Eulália, de Marcos Bagno (Aqui eu faço um alerta: esse livro além de maravilhoso é muito necessário, pois fala de um assunto ainda pouco discutido nas salas de aula, a sociolinguística. Sabe aquela pessoa que adora rir de quem “fala errado”? Esse livro é um ótimo presente para ela!)

Tempo de Migrar para o Norte, de Tayeb Salih

Sonetos de Amor, de Luís de Camões

A Leitora Incomum, de Virginia Woolf

Senhora, de José de Alencar (uma releitura que fiz em 2018 e só confirmou o que eu já sabia: esse livro sempre vai fazer meu coração disparar de amor e ansiedade!)

Poemas Escolhidos, de Mia Couto

100 dicas para amar o seu corpo (como ele é!), da Thati Machado

Entre Irmãs, da Frances de Pontes Peebles

Sobre a imortalidade de Rui de Leão, de Machado de Assis

As Últimas Testemunhas: Crianças na Segunda Guerra Mundial, de Svetlana Aleksiévitch

Poesia que transforma, do Bráulio Bessa (ótimo presente até para quem não tem hábito de leitura!)

Lazarillo de Tormes, de autoria desconhecida (tem pdf para ler aqui no blog).

Tente Outra Vez, do Fabiano Jucá

O que toca o coração, da Silvia Spadoni

Meu livro violeta, de Ian McEwan

Meninos sem pátria, do Luiz Puntel

Nada, de Carmen Laforet

A Casa da Alegria, de Edith Wharton

Adulta sim, madura nem sempre: fraldas, boletos e pouco colágeno, de Camila Fremder

Livro das donas e donzelasde Júlia Lopes de Almeida.

 

Livro “A Leitora Incomum”, de Virginia Woolf, na edição super caprichada da Editora Arte e Letra: capa dura de pano!

 

 

*** Algumas leituras que ainda estou fazendo, mas entram fácil na lista de ótimas leituras de 2018:

Coral e outros poemas, de Sophia de Mello Breyner Andresen

O retorno de Mary Poppins, de P. L. Travers

Úrsula e outras obras, de Maria Firmina dos Reis (tem pdf para ler aqui no blog)

Dois dedos de prosa: o cotidiano carioca por Julia Lopes de Almeida, organizado por Angela di Stasio, Anna Faedrich e Marcus Venicio Ribeiro.

Cinco imprestáveis e um velho rabugento, da Clara Caraciolo.

 

 

Editoras médias/pequenas para levar em consideração

Todo mundo conhece editoras como Companhia das Letras, Sextante, Record, pois são grandes grupos empresariais com um marketing que as coloca em todos os espaços possíveis. São ótimas editoras, com um catálogo maravilhoso, mas que tal dar uma olhada em editoras menores, que suam muito a camisa para oferecer literatura de qualidade, ótimas fontes de entretenimento, tudo isso com preço acessível? Abra um espaço na sua lista de leitura (e compre direto no site das editoras, quando possível) para a Pedrazul Editora, que publica com qualidade muitos clássicos da literatura (sobretudo inglesa) íneditos em português. A Pedrazul está publicando os romances da série canadense Anne de Green Gables, além de abrir espaço para autoras contemporâneas do gênero de romance de época. Falando em romance de época, a Portal Editora publicou muitos autores contemporâneos que começaram a carreira de forma independente. Os livros são de muita qualidade e com preço bastante acessível. A Qualis Editora também aposta muito nos autores nacionais, vale a pena dar uma olhada no catálogo dela. No formato digital, a Dame Blanche publica fantasia da melhor qualidade, e todos os e-books da editora são vendidos a menos que um cafezinho. A Plutão também tem bons títulos nessa linha. A nossa editora parceira mais recente, a EDUFF – Editora da Universidade Federal Fluminense tem livros a partir de cinco reais!

 

Eu apaixonada pelo livro “O que toca o coração”, da Silvia Spadoni, publicado pela Qualis Editora.

 

 

Já pensou em entrar para um clube do livro?

Em 2018 voltei a ser assinante da TAG Experiências Literárias e agora não largo por nada nessa vida! Adoro o clube Curadoria, tenho feito leituras extremamente importantes e fora da minha zona de conforto. A TAG tem duas opções de assinatura: a Curadoria, que entrega todo mês um livro em edição exclusiva indicado por um curador, marcador de páginas do livro, uma revista que amplia a experiência de leitura, e um mimo surpresa; e o Inéditos, que todo mês envia um livro que já é best-seller  no exterior, mas ainda não foi lançado no Brasil, e um pôster com infográfico sobre o livro. Além disso tudo, em várias cidades do Brasil assinantes se reúnem para discutir o livro do mês! Esses encontros são marcados pelo aplicativo da TAG, que também proporciona uma maior interação entre os assinantes, além dos grupos no facebook. Saiba mais sobre o clube clicando aqui!

 

Um dos melhores (e mais perturbadores) livros que eu li na vida, “As últimas testemunhas”, foi enviado pela TAG Curadoria em julho/2018.

 

Já pensou em ser assinante do Kindle Unlimited?

Eu fico roxa de nervoso (raiva mesmo) quando vejo alguém dizer que o Unlimited não vale a pena, porque só tem livro Hot (soa até como ofensa para os fãs do tema, eu sei). A verdade é que o programa Kindle Unlimited tem de tudo. TUDO MESMO! Eu tenho uma listinha de indicações com vários livros ótimos se você quiser indicações (atualizo constantemente) e posso te garantir: se você procurar vai achar Hot, romance de época, fantasia, humor, crônica, poesia, conto, romance contemporâneo, clássicos da literatura em ótimas edições (sim, tem livro da Editora Zahar no Kindle Unlimited!) e um montão de coisa boa! Eu assinei inicialmente para ler autores independentes, mas agora leio de tudo e mais um pouco! Para quem não conhece, o Kindle Unlimited é “a Netflix dos livros”, como eu disse lá em cima: por um valor mensal (R$ 19,90 mas tem várias promoções de um ou três meses grátis — sempre compartilho nas redes sociais, fique de olho) você tem acesso a milhares de e-books para ler no ser celular, tablet, computador (nessa opção nem precisa de aplicativo, dá para ler no navegador mesmo) ou no dispositivo de leitura da Amazon, o maravilhoso e incrível Kindle (maravilhoso e incrível porque quando você experimenta, não quer saber de ler e-book em outro lugar). Feita a assinatura, você pega os e-books emprestado, com o limite de ficar com dez de cada vez. Quem empresta, autor independente ou editora, recebe por cada página lida. Experimente clicando aqui. 

 

Uma ótima leitura que fiz nesse ano, “Tente Outra Vez”, do Fabiano Jucá, está no Kindle Unlimited.

 

 

Sabia que tem muita coisa para ler (legalmente) de graça via internet?

Aqui eu falo novamente da Amazon: todo dia tem um monte de e-book de graça para baixar por lá, de forma legal e sem comprometer o trabalho de ninguém! Eu mesma deixo ocasionalmente os meus e-books para serem baixados gratuitamente na Amazon. Apesar de algumas pessoas serem contra a gratuidade, essa é uma ótima troca, pois o leitor tem acesso a um conteúdo que nem sempre pode (ou quer no momento) pagar e o autor tem uma divulgação massiva da sua obra por algum tempo. Além disso, existem revistas como a Mafagafo e a Trasgo, que oferecem conteúdo de ótima qualidade com o custo de um único compartilhamento no facebook, por exemplo. Apesar de não ter de abrir a carteira e contar as moedinhas, lendo e compartilhando conteúdos desse tipo você ajuda muito quem escreve e publica.

 

***

 

Quero agradecer a todos que acompanharam as minhas leituras (e divagações) neste ano de 2018! Fechamos o ano com o blog tendo um bom número de visualizações, de forma constante e de vários países, estou publicando o meu primeiro livro impresso (com ISBN e tudo!), e recebi convites para participar de palestras e feiras literárias em Muriaé-MG e região. É um sonho que tem se realizado graças a você, que está lendo esse post agora mesmo. Muito obrigada, boas festas e até 2019!

 

Encerramento da I FELIMUR (Feira Literária de Muriaé), com o meu marido Anderson, nossa filha Olívia e muitos amigos que vivem entre os livros. Esse foi apenas um dos vários momentos especiais que a literatura me proporcionou em 2018.

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPressDesenvolvido por