junho 27, 2019

[DIÁRIO] TECNOLOGIA E LEITURA: UMA COMBINAÇÃO QUE DÁ MATCH

 

Se você tem como hábito navegar nas redes sociais mais populares do momento, já deve ter percebido que, às quintas-feiras, acontece uma enxurrada de postagens com a hashtag #TBT. Para quem nunca viu, ou nem faz ideia do que se trata, #TBT é uma sigla para o inglês Throwback Thursday, algo como “traga de volta, quinta-feira!”, ou, ainda, de forma mais literal, “quinta-feira do retorno”. Trocando em miúdos: um saudosismo da e para a internet sobre eventos passados.

Por que eu estou falando sobre isso? Porque essa postagem é o meu super #TBT sobre dois eventos incríveis os quais eu tive a honra de ser convidada a participar e porque eu também sou extremamente saudosista.

 

 

O primeiro evento foi uma palestra que eu ministrei no IF Sudeste MG Campus Muriaé. Até hoje não acredito que uma coisa dessas aconteceu, mas, felizmente, tenho o banner acima e fotos (abaixo) para provar (inclusive, para mim!). Fui convidada pela equipe da Biblioteca do Campus Muriaé para conversar com os alunos sobre leitura aliada à tecnologia, ou seja, mostrar formas de aproveitar essas horas (sim, são HORAS!) que passamos online para criar um hábito de leitura, ou fortalecê-lo.

Até o dia deste evento eu tinha praticamente zero experiência em dar palestras e conversar (sozinha) com um público maior do que vinte ou trinta pessoas. Mas fui com a cara, a coragem, um roteiro todo colorido de marca texto e os slides que fiz pelo Canva (que, aliás, é o salvador de todo blogueiro-escritor-design-amador que eu conheço). Posso dizer, com humildade, que deu bastante certo!

Fiz um resumo abaixo com um pouco do que conversamos neste dia (incluindo links para saber mais) e se você que está lendo agora é professor de português ou mediador/incentivador de leitura, pode ficar à vontade para copiar as imagens, se quiser, e usar como achar melhor.

 

 

Esse primeiro slide, sobre a quantidade de livros que eles leram neste ano, não foi uma forma de exaltar a quantidade e sim agir como um lembrete sobre o hábito de leitura. Um pontapé inicial depois que eu me apresentei aos alunos, uma forma de conhecê-los enquanto leitores. Recebi boas respostas, a maioria disse ter lido entre dois e quatro livros, decorridos cinco meses do ano e tendo em vista que são jovens estudantes da rede pública tecnológica de ensino (a matriz curricular deles é imensa!).

 

 

Nesse slide, recebi várias indicações ótimas de leituras. É importante ouvir, ao invés de só falar (aprendi isso no Estágio do curso de Letras).

 

 

Com esses dados divulgados pela TAG Experiências Literárias nas redes sociais, aproveitei para falar um pouco sobre a falta de tempo para ler. Todo mundo tem, ou pode dispor de dez ou vinte minutos por dia, tirando, por exemplo, dez minutos daquela olhadinha no Facebook e dez do Instagram. Desta forma, já que cada pessoa lê, em média, duzentas palavras por minuto, dá para ler, tranquilo, Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, em um mês (por exemplo)!

 

 

Quem me acompanha no Instagram ou Facebook já deve ter visto alguma divulgação sobre esse projeto super bacana da TAG, o #Desafio1LivroPorMês. É simples e nem precisa ser assinante (mas, se quiser assinar, tá aqui o link). O desafio funciona como um incentivo para ler pelo menos um livro por mês, independente do tamanho ou gênero. Apenas criar ou fortalecer o hábito da leitura. Você faz um cadastro rápido e gratuito e recebe, da forma que achar melhor, conteúdos/lembretes no seu e-mail ou Whatsapp. Nesta última opção, tem grupos com ou sem interação.

 

 

A ideia da conversa foi justamente o que está escrito no slide acima: poder ficar na internet sem culpa, pois tem muita coisa boa para ler online!

 

 

Falei sobre o Skoob, pois não vivo sem! Não conhece? Monte a sua estante virtual clicando aqui (e me adiciona como amiga, clicando aqui).

 

 

Dá para ler milhares de e-books com o aplivativo do Kindle para o celular. Eu uso muito também o Kindle Cloud Reader para ler no computador. Não precisa baixar nada, só acessar direto no navegador usando o seu login da Amazon.

 

 

Falando em Amazon, e-books gratuitos: todo dia tem sempre tem um montão para baixar e ler no app do Kindle!

 

 

Tinha um bocado de gente interessado também em escrever, o que eu achei maravilhoso! Levei essas dicas do Wattpad e Sweek, que são os sites para ler (e postar o que se escreve) que eu conheço mais.

 

Veja também: Histórias ótimas e curtinhas para ler no Wattpad!

 

 

As revistas Trasgo e Mafagafo, são uma ótima opção para quem curte ficção científica e fantasia: leitura de muita qualidade com possibilidade de publicação com uma experência mais próxima do formato tradicional (com edição, revisão de texto, capa profissional etc.).

 

 

Uma newsletter que eu amo é a Contém um contoda Companhia das Letras. Eles enviam um conto de alguns de seus autores para o e-mail dos assinantes, sempre uma leitura rápida e prazerosa.

 

 

Momento jabá #1: no dia da palestra deixei todos os meus e-books grátis para baixar na Amazon!

 

 

Momento jabá #2: óbvio que eu indiquei o meu bloguinho porque tem muita coisa para ler aqui também!

 

 

O último slide é uma frase bacana da Cyana Leahy-Dios, que usei para terminar a conversa. A literatura, é importante ressaltar, é bem mais que só entretenimento. É uma forma de conhecer a si mesmo e também ao outro. É treinar nossas habilidades linguísticas e também conhecer o mundo. Queria ter dito isso ao invés de só ter lido esse slide no dia. Mas os meus ouvintes, que foram muito gentis e pacientes comigo, entenderam bem a mensagem.

 

 

Momento jabá #3: sigam-me nas redes sociais! Tô no Facebook, Instagram, Twitter e também no Skoob e Pinterest.

 

Agora dá uma olhada nas fotos:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Enfim, foi incrível! Toda a gratidão do mundo ao IF Campus Muriaé, especialmente ao pessoal da Biblioteca e ao professor Natalino, pelo convite!

 

***

 

Outra ocasião ímpar foi ter participado do Academia Cultural, programa semanal de rádio da Academia Muriaeense de Letras, transmitido pela Rádio Catedral às quintas-feiras (olha só, #TBT) por volta das 20 horas. No dia 25 de abril conversei com o querido Elias Muratori sobre os meus livros, leituras e as atividades que envolvem as publicações aqui do blog. Infelizmente o programa não fica gravado, mas foi muito legal e tenho as fotos abaixo como registro desta noite especial. Na ocasião, tive o apoio do maridão, que ficou do meu ladinho me lembrando de respirar e de não falar tão rápido (não necessariamente nessa ordem)!

 

 

 

Taí, esse é o meu #TBT de hoje! <3

 

junho 18, 2019

[LISTA] SEIS LIVROS PARA LER NOS PRÓXIMOS SEIS MESES

 

O mês de junho já passou da metade e você não sabe o que vai ler até o fim do ano? Ou até sabe, mas é fã de listas e sugestões que aumentam a lista de leitura (e de desejados)? Dá uma olhada na seleção abaixo, com algumas das melhores leituras que fiz até agora! Tem enredo para virar 2020, mas você pode dosar a leitura conforme achar melhor!

 

 As primaveras,de Casimiro de Abreu

Sinopse: “Casimiro de Abreu é o poeta do lirismo e da simplicidade. Os anseios da juventude, as saudades da infância e os compromissos com sua terra natal fazem da obra de Casimiro de Abreu, precoce e espontânea, uma das expressões mais legítimas da poesia do Romantismo brasileiro. Nostálgico, lírico e dono de uma poesia extremamente musical, o poeta carioca continua encantando e cativando leitores jovens e adultos, de ontem e de hoje. As Primaveras (1859) é o único livro do poeta publicado em vida. No prefácio desta obra, escreve: “Assim, as minhas Primaveras não passam de um ramalhete das flores próprias da estação — flores que o vento esfolhará amanhã, e que apenas valem como promessa dos frutos do outono”. 

Tem resenha/diário de viagem aqui no blog | Pode ser comprado neste link.

 

 Os fantásticos livros voadores de Modesto Máximo, de William Joyce

Sinopse: “Escritor e ilustrador, eleito uma das 100 personalidades de destaque do novo milênio pela revista Newsweek, William Joyce ganhou o Oscar 2012 pelo curta de animação The fantastic flying books of Mr. Morris Lessmore, que chega agora ao formato livro numa bem editada adaptação que mantém as ilustrações originais do filme. A obra, que alcançou o primeiro lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times, é uma comovente declaração de amor à literatura e a seu poder transformador.”

Falei um pouco sobre a animação que originou o livro aqui. | Pode ser comprado neste link.

 

 A amiga genial, de Elena Ferrante (Série Napolitana, livro 1)

Sinopse: “A reclusa autora italiana que conquistou a crítica internacional tem sua série napolitana lançada no Brasil pela Biblioteca AzulAclamada pela crítica e pelo público, Elena Ferrante se tornou conhecida por escrever sobre questões íntimas com muita clareza, sem se expor para divulgar seus livros. Sua ficção parece apresentar traços autobiográficos, mas não é possível identificar os pontos comuns entre sua vida e sua obra, uma vez que a escritora se recusa a comentar sua intimidade.A Série Napolitana, formada por quatro romances, conta a história de duas amigas ao longo de suas vidas. O primeiro, A amiga genial, é narrado pela personagem Elena Greco e cobre da infância aos 16 anos. As meninas se conhecem em uma vizinhança pobre de Nápoles, na década de 1950. Elena, a menina mais inteligente da turma, tem sua vida transformada quando a família do sapateiro Cerullo chega ao bairro e Raffaella, uma criança magra, mal comportada e selvagem, se torna o centro das atenções. Essa menina, tão diferente de Elena, exerce uma atração irresistível sobre ela.As duas se unem, competem, brigam, fazem planos. Em um bairro marcado pela violência, pelos gritos e agressões dos adultos e pelo o medo constante, as meninas sonham com um futuro melhor. Ir embora, conhecer o mundo, escrever livros. Os estudos parecem a melhor opção para que as duas não terminem como suas mães entristecidas pela pobreza, cansadas, cheias de filhos. No entanto, quando as duas terminam a quinta série, a família Greco decide apoiar os estudos de Elena, enquanto os Cerrulo não investem na educação de Raffaella. As duas seguem caminhos diferentes. Elena se dedica à escola e Raffaella se une ao irmão Rino para convencer seu pai a modernizar sua loja. Com a chegada da adolescência, as duas começam a chamar a atenção dos rapazes da vizinhança. Outras preocupações tornam-se parte da rotina: ser reconhecida pela beleza, conseguir um namorado, manter-se virgem até encontrar um bom candidato a marido.Mais que um romance sobre a intensidade e complexa dinâmica da amizade feminina, Ferrante aborda as mudanças na Itália no pós-guerra e as transformações pelas quais as vidas das mulheres passaram durante a segunda metade do século XX. Sua prosa clara e fluída evoca o sentimento de descoberta que povoa a infância e cria uma tensão que captura o leitor.”

Falei sobre esse livro aqui e, sobre ler toda a série, aqui. | Pode ser comprado neste link.

 

 A ridícula ideia de nunca mais te ver, de Rosa Montero

Sinopse: “Um livro sobre o luto e suas consequências, que navega com maestria entre a ficção e a memória. Quando Rosa Montero leu o impressionante diário (incluído como apêndice neste livro) que Marie Curie escreveu após a morte de seu marido, ela sentiu que a história dessa mulher fascinante guardava uma triste sintonia com a sua própria: Pablo Lizcano, seu companheiro durante 21 anos, morrera havia pouco depois de enfrentar um câncer. As consequências dessa perda geraram este livro vertiginoso e tocante a respeito da morte, mas sobretudo dos laços que nos unem ao extremo da vida.”

Falei sobre o lançamento aqui.| Pode ser comprado neste link.

 

 

 A metamorfose, de Franz Kafka.

Sinopse: “Quando Gregor Samsa, certa manhã, acordou de sonhos intranquilos, tudo mudou. Não só em sua vida, mas no mundo.

Ao se encontrar metamorfoseado em um inseto monstruoso, Gregor acompanha as reações de sua família ao perceberem o estranho ser em que ele se tornou. E, enquanto luta para se manter vivo e entender a sua nova realidade, reflete sobre o comportamento de seus pais, de sua irmã e de seu chefe, e de forma ainda mais angustiante, pensa na própria vida até então.

Essa pequena novela, lançada em 1915, revolucionou a literatura e as artes. De forma agressiva, acessível e inovadora, tornou-se um dos mais importantes e difundidos textos da história.”

Falei sobre o livro e esta nova edição aqui.| Pode ser comprado neste link.

 

 A visita de João Gilberto aos novos baianos, de Sérgio Rodrigues

Sinopse: Neste originalíssimo livro de contos, o premiado autor do romance O drible e de Viva a língua brasileira! brinca com coisa séria. Depois de presenciar um encontro mitológico no céu da MPB, o leitor vai para a cama com Machado de Assis e acompanha um desfile de histórias cheias de graça, prosa afiada, erudição literária e cultura pop.

Nos contos de A visita de João Gilberto aos Novos Baianos, o prazer de contar histórias sobre histórias é o antídoto à alardeada perda de potência da literatura em nosso tempo. Assim, a história do mundo pode caber em treze tweets, tornamo-nos cúmplices de uma farsa erótica ambientada na Vila Rica dos inconfidentes e espiamos pela fechadura a intimidade de um famoso personagem machadiano. 
No conto que abre e nomeia o livro, fantasia pop inspirada no encontro real entre o gênio da bossa nova e os jovens hippies liderados por Moraes Moreira, vislumbra-se uma síntese da contribuição original que a arte brasileira pode dar ao mundo: metade precisão rigorosa, metade delírio e festa. Os mesmos ingredientes podem ser encontrados na prosa entre o culto e o popular que anima um livro dividido em três partes, como um LP impossível. 
No Lado A ficam as narrativas mais clássicas. O Lado B é dedicado aos fragmentos de um experimentalismo que examina com humor ferino, mas sem perder a ternura, os cacos restantes das velhas catedrais literárias e suas vaidades autorais na era da internet. Fecha o volume a deliciosa novela “Jules Rimet, meu amor”, publicada em 2014 como e-book.”

Compre na Amazon clicando aqui!

 

abril 16, 2019

[DIÁRIO] Quer que eu leia com você? – Refletindo sobre as práticas e os espaços de leitura para a educação infantil

Sinopse: Este livro contribui para estimular o debate, a reflexão e a criação de novas metodologias para incrementar a leitura e a contação de histórias, inclusive com o envolvimento e a participação ativa das crianças. Apresenta experiências desenvolvidas na Biblioteca Flor de Papel da UFF, um espaço de mediação dedicado a incentivar as crianças da educação infantil a terem contato com a literatura e demais gêneros textuais, buscando trabalhar o gosto e a prática cotidiana da leitura. Uma obra de grande interesse para pais, professores, bibliotecários e todos os que se interessam pelo desenvolvimento das práticas de leitura infantil.” 

 

Um grande pedagogo, reconhecido internacionalmente, uma vez disse que “antes da leitura da palavra impressa, o indivíduo lê o mundo”. Acertou quem reconheceu nesta frase as palavras de Paulo Freire! Deste modo, engana-se quem pensa que o hábito de leitura só precisa ser incentivado com a criança já mais velha, quase beirando a adolescência. O próprio conceito de leitura, segundo Eni Orlandi, é polissêmico, ou seja, há muitos sentidos, embora apenas um deles geralmente seja mais lembrado ou valorizado: o de alfabetização. Saber decodificar sílabas, reconhecer palavras escritas, no entanto é diferente de saber ler. Mais ainda: esse conhecimento não é condição suficiente para que haja gosto pela leitura.

O livro Quer que eu leia com você? – Refletindo sobre as práticas e os espaços de leitura para educação infantil, das autoras Luciana Esmeralda Ostetto, Maria Clara Cavalcanti de Albuquerque, Ninfa Parreiras e Raquel Polycarpo da Silva, apesar de breve (menos de 100 páginas) é uma ótima leitura inclusive para a família, pois contém um apanhado teórico e de experiências práticas para incentivar a leitura na infância, antes mesmo da alfabetização (bem antes). Se você é professor (a), trabalha com educação infantil e quer incentivar a leitura, ou é bibliotecário (a) e quer organizar um espaço que acolha pequenos leitores, não tem erro: esse livro é o que você precisa para começar! Partindo da experiência da Biblioteca Flor de Papel, da UFF, encontram-se aqui indicações de leitura e organização do espaço, dentre várias outras informações valiosas que contribuem como um sólido embasamento para que a leitura seja incentivada desde os primeiros meses de vida da criança.

 

“Por isso, principalmente em nossos tempos em que a tecnologia vai cada vez mais ganhando espaço e diminuindo a interação social tão necessária para nossa formação (…) faz-se necessário contar muitas, muitas, muitas histórias para que não se perca a capacidade de ouvir o outro, de imaginar nossos próprios cenários e personagens e de exercer nossa criatividade.”

 

Participe do sorteio de um exemplar do livro “Quer que eu leia com você?” e um kit de bottons! Basta clicar na imagem (até 10/05/2019)!

 

Sobre as autoras:

Ninfa Parreiras é mestre em literatura pela USP e graduada em letras e psicologia pela PUC-RJ. É também professora de literatura, psicanalista e escritora de obras literárias e de ensaios. Trabalha com literatura para instituições como FNLIJ, Estação das Letras, Casa da Leitura no Rio de Janeiro, além de ser curadora de eventos literários, consultora de programas de leitura.

Luciana Esmeralda Ostetto é doutora em educação pela Unicamp, professora da Faculdade de Educação da UFF, autora de diversos livros sobre educação infantil.

Maria Clara Cavalcanti de Albuquerque é psicóloga, especialista em literatura infantojuvenil e leitura, pesquisadora do Instituto Interdisciplinar de Leitura/Cátedra Unesco de Leitura/PUC-Rio, autora de livros de literatura infantil, contadora de história do Grupo Confabulando.

Rachel Polycarpo da Silva é mestre em ciência da informação, bibliotecária da Biblioteca Flor de Papel da UFF, desde 2011, tendo idealizado e organizado as mesas-redondas Bibliotecas na Educação Infantil, de 2012 a 2015.

 

 

Quer que eu leia com você? – Refletindo sobre as práticas e os espaços de leitura para a
educação infantil
Série Nova Biblioteca, v. 1
Autoras: Luciana Esmeralda Ostetto, Maria Clara Cavalcanti de Albuquerque, Ninfa Parreiras e Rachel Polycarpo da Silva
Páginas: 75
Formato: 14 x 21 cm
ISBN: 978-85-228-1191-5
Eduff (2017)

Leia a apresentação e introdução deste livro clicando aqui.

Compre o seu exemplar clicando aqui.

 

Leia também: Oxford e Harvard amam Paulo Freire.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por