agosto 22, 2019

[DIÁRIO] SERTÃO, SELVA E LETRA: EUCLIDES DA CUNHA EM ATRAVESSAMENTOS, DE ANABELLE LOIVOS CONSIDERA

Sinopse: Após “Euclides da Cunha – da face de um tapuia”, biografia atualizada e acessível aos principiantes na leitura desse autor, Anabelle Loivos Considera surpreende com esta obra, conjunto de ensaios que ultrapassa os limites do discurso euclidiano.

Com profundo conhecimento do assunto, rigorosa e rica pesquisa bibliográfica e análise do interdiscurso dos textos de e sobre Euclides, o estilo de Anabelle Considera – misto de paixão pelo tema, poesia e certa dose de ironia – introduz o leitor em uma reflexão sobre a tese de Gumplowickz presente em “Os sertões”; passa pela cultura popular brasileira e a carnavalização nessa obra; envereda pela selva e na prática de uma “ecoleitura” da Amazônia euclidiana, relatando um projeto efetuado com alunos do ensino fundamental e médio, sobre a dicção ecopolítica do autor, de cujos textos brotou uma “ecopedagogia”.

Essa incursão se prolonga em “intertextos errantes” de um Euclides presente e plural; passeia pela rua do Ouvidor, em cujos cafés sempre fervilhou a resistência dos intelectuais cariocas, retomando a interessante história desse logradouro; resgata as memórias de Sinzig, franciscano alemão enviado a Canudos logo após chegar ao Brasil; desemboca na paideia euclidiana e nas releituras do sebastianismo em “Os sertões”.

Para os que se lançam ao estudo da produção literária de Euclides da Cunha, escritor tão complexo e contestador, uma leitura indispensável.”

 

Euclides da Cunha foi o autor homenageado da Flip deste ano e a Eduff, na ocasião, lançou o livro Sertão, Selva e Letra: Euclides da Cunha em Atravessamentos, de Anabelle Loivos Considera, após a mesa de debates sobre a vida e a obra do homenageado, na Casa da Literatura da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Eu não estive presente no evento, infelizmente, mas a Eduff (parceira linda como é) me enviou um exemplar do livro e eu preciso dizer: QUE LIVRO!

Para início de conversa, preciso admitir que Os Sertões é um desafio que eu ainda não consegui encarar. Estudei o autor e a obra, mas não desbravei ainda, como leitora, a narrativa de Euclides da Cunha sobre a rebelião de Canudos. Algumas pessoas têm certa resistência em ler livros que podem dar alguns detalhes sobre o enredo de outro livro, mas acredito que em certos casos o conceito de spoiler é irrelevante. Certas obras, sobretudo os clássicos da literatura, são mais fáceis de serem compreendidos quando bucamos textos de apoio (e também vídeos, dá uma uma olhada abaixo!).

Sertão, Selva e Letra tem sido uma leitura com menos spoilers do que inicialmente pensei e que proporciona muito mais possibilidades de interpretação do texto de Euclides da Cunha. São oito artigos que podem ser lidos da forma que o leitor achar melhor, na ordem ou alternadamente, com prefácio de Leopoldo Bernucci, da Universidade da Califórnia – Davis (ver Literatura Fundamental, vídeo abaixo) e uma espécie de posfácio da autora, intitulado Sofro de euclidianamentos…, que nos mostra brevemente o amor e a dedicação de Anabelle por Euclides da Cunha e sua obra, desde bem cedo, uma vez que a autora é, como Euclides, da cidade de Cantagalo-RJ e viveu rodeada por imagens e referências a ele.

Um capítulo particularmente importante deste livro para mim é Ecoleitura da Amazônia euclidiana: praticando “letras verdes” na sala de aula. É uma forma de ler (e ensinar) Euclides da Cunha chamando a atenção para a ecologia, os ecossistemas e a preservação do meio ambiente, dentre outros aspectos, alguns bastante pioneiros tendo em vista a época de sua primeira publicação. É um assunto sempre importante e muito atual, especialmente no contexto político atual.

Sertão, Selva e Letra é leitura para degustar, aprender e muito refletir. Uma obra indispensável tanto para quem já leu Os Sertões, quando para aqueles que ainda irão desbravar a obra desse importante escritor brasileiro.

 

 

Sobre a autora – Anabelle Loivos Considera nasceu em Cantagalo, também cidade natal de Euclides. Licenciada em Letras pela Faculdade de Filosofia Santa Doroteia, em 1994, concluiu o mestrado em Letras – Literatura Portuguesa, na UFF – Universidade Federal Fluminense, em 1999, e o doutorado também em Letras – Literatura Comparada, na mesma universidade, em 2005. É docente no ensino superior desde 2000; lecionou na Faculdade de Filosofia Santa Doroteia da Universidade Estácio de Sá e na Universidade Salgado de Oliveira, onde também ocupou o cargo de coordenadora do curso de Letras. Desde janeiro de 2007 é professora associada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Faculdade de Educação.

 

 

Sertão, selva e letra: Euclides da Cunha em atravessamentos
Autora: Anabelle Loivos Considera
Páginas: 296
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 978-85-228-1340-7
Editora: Eduff

Compre no site da Eduff, clicando aqui.

 

 

Para enriquecer ainda mais a leitura:

‘Os Sertões’ em 1 minuto:

 

Literatura Fundamental 20 – Os Sertões – Leopoldo Bernucci:

 

Documentário Os Sertões:

abril 27, 2018

[RESENHA] O MARAVILHOSO MALABARISTA DE PORCELANA, DE JULIANA SCATOLIN

Sinopse: “O maravilhoso malabarista de porcelana não era um malabarista qualquer. Com destreza jamais vista em parte alguma do mundo, o maravilhoso malabarista da rua das Ondas fazia rodopiar suavemente pelos ares dúzias de xícaras de uma só vez. Em um mundo de bules, açucareiros e canecas de leite, o malabarista vivia solitário até ser confrontado por alguém que mudaria sua vida para sempre.”

 

O maravilhoso malabarista de porcelana, da escritora e ilustradora paulista Juliana Scatolin, foi uma indicação de leitura que eu peguei lá no blog Capitu Já Leu. O conto estava na minha estante do Kindle Unlimited há meses até que eu, finalmente, resolvi iniciar a leitura. Admito: devia ter lido há mais tempo.

O conto de Juliana Scatolin é uma fábula moderna, daquelas que a gente termina de ler sonhando. Não vou dar muitos detalhes sobre o enredo, além do que já foi dito na sinopse, pois o livro tem apenas 29 páginas! Mas acredite: serão as melhores 29 páginas que você vai ler hoje, se não em meses ou até mesmo na sua vida. Se você gosta de fábulas, contos de fadas e histórias do tipo, certamente vai amar. Uma última dica: leia, se possível, em um computador ou no app do Kindle para tabletsmartphone, pois as ilustrações são lindíssimas como já é possível perceber pela capa. Detalhe, as ilustrações são da própria autora.

 

 

Título: O maravilhoso malabarista de porcelana
Autora: Juliana Scatolin
Editora: Lemon Tree
Páginas: 29

Compre na Amazon (gratuito para assinantes Kindle Unlimited): O maravilhoso malabarista de porcelana.

março 02, 2018

[ETC.] DEZ LEITURAS PARA FAZER EM UM DIA NO WATTPAD

 

É verdade que, no Wattpad, às vezes pode ser um pouco difícil encontrar uma boa leitura. E isso se deve, em parte, pela enorme oferta de títulos disponíveis aos mais variados gostos e idades. Tem gente que não gosta de ler por lá por inúmeros motivos, mas eu, como autora e especialmente como leitora, só tenho elogios a fazer quando o assunto é a plataforma. Se você quer ler boas histórias sem pagar nada, listei abaixo dez ótimas sugestões de leitura de grandes autores que conheci pelo Wattpad e redes sociais. O melhor é que dá para ler tudo (ou pelo menos uma das histórias) em apenas um dia!

 

Quimera, de Julian de Souza

Sinopse: “Faço aqui ― e deixo explícito ― um tributo direto à obra de Eça de Queirós, “O Primo Basílio”, texto que me influenciou e estimulou a este novo olhar.

É, portanto, num Brasil inculto de matas virgens e oitocentista, que Luísa desperta para o pesadelo: está nua, longe de casa, numa terra grosseira e desconhecida. No embalo destes seus medos, ela encontra um índio que promete devolvê-la para a civilização…”  

 

O ideal de John Humphrey, de Paola Giometti

Sinopse: “Já imaginaram se os humanos vivessem em abatedouros para satisfazer a fome dos animais civilizados? E se um porco decidisse defender esses humanos?”

 

Ampulheta ou, sobre a corrosão do conformismo, de Fabiano Jucá.

Sinopse: “Sobre como o tempo pode ferir a existência. através do conformismo das massas.

Participante do primeiro Concurso do Perfil FicçãoGeralBR, conquistou o terceiro lugar.”

 

O marajá da tentação, de Katherine Salles 

Sinopse: “Na segunda metade do século XIX, décadas antes do naufrágio do Titanic, a jovem Catharina Catterfield embarca da Inglaterra, seu país natal, para a América do Sul, onde servirá de missionária na missão Help for Brazil, convidada por sua amiga Sarah Poulton Kalley. Cristã convicta, Catharina dedica a vida à sua fé. Na embarcação, porém, ela conhece o mestiço de indiano com inglês, Sidarta, que é descendente de Marajás, e se apaixona por ele. Para Catharina, o amor por alguém que não possui o mesmo Deus que ela é um amor impossível, mas não consegue, apesar disso, se livrar com facilidade do sentimento ardente que tem por Sidarta.

*

Trata-se de uma história curta e epistolar (narrada através de cartas).”

 

Desanamorados, de Sara Jesus

Sinopse: “Dois jovens

Um coração

E muitos percalços pelo caminho!

Poderão dois amigos serem felizes no amor?

No dia dos namorados o Cupido planta muitas surpresas….

– conto do #concursocontosdeamormml”

 

Casa Vazia, de John Miler

Sinopse: “A história de uma casa.”

 

Requiem para a inocência, de Thiago Lee

Sinopse: “Neste comovente conto, uma jovem musicista vê seu mundo virar de ponta cabeça ao encontrar um misterioso garoto plebeu. Apanhados em meio a uma guerra que assola o reino, os dois devem aprender o verdadeiro significado da amizade.”

 

Feitiço de amor, de Clara Madrigano

Sinopse: “Duas amigas decidem encomendar um feitiço de amor, mas aprendem que o objeto de um desejo nem sempre é o que se espera.”

 

Em solo português, de Naiara Aimee

Sinopse: “Nicole foi chamada de última hora para uma viagem para Portugal. Ela aceita, mas tudo que tem é uma mala rasgada e a vontade de viver novas aventuras. Ao chegar lá, ela descobre que irá encontrar muito mais que isso.”

 

O beijo, de Ben Oliveira

Sinopse: “Sentada no chão do quarto como uma criança, ela folheava as cartas e fotografias amareladas pelo tempo. Como as folhas que desprendiam das árvores e se arrastavam pela rua, ela chorava pelas coisas que se foram, torcendo pelo dia em que receberia o meu beijo agridoce e elétrico. Vinte e quatro horas até que nossos lábios se toquem, sussurrei em seu ouvido, mas ela não me escutou […]”

 

BÔNUS!

 

Microcontos – Textinhos para ler com pressa,  de Érica Batista

Sinopse: “Uma série de minúsculos textos criados para o desafio de microcontos Escambau do mês de janeiro de 2018.”

 

Espero que gostem! Vamos prestigiar a literatura nacional dos nossos dias!

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por