fevereiro 15, 2017

[ETC.] PEDRAZUL EDITORA LANÇA O SELO REVELAÇÕES COM O LIVRO “PRIMEIRAS IMPRESSÕES”, DE LAÍS RODRIGUES

 

“Referência no mercado nacional na publicação de clássicos românticos da literatura mundial, a Pedrazul Editora abre definitivamente suas portas para os autores brasileiros. O selo Pedrazul Revelações, recém-criado, possibilita ao autor contemporâneo a publicação de seu livro, com objetivos comerciais ou não, sem os entraves convencionais do mercado editorial. Todo o processo é simples e rápido. Para submeter sua obra à apreciação, o autor deverá entrar em contato exclusivamente por e-mail — revelacoes@pedrazuleditora.com.br — respondendo ao “Formulário de Avaliação Técnica” (incluindo a sinopse do livro), que se encontra neste link, ao final da página. O arquivo eletrônico com o original completo somente deverá ser enviado mediante solicitação expressa da editora.”

 

Inaugurando o novo selo a editora aposta em uma história apaixonante, já conhecida entre os fãs brasileiros de Jane Austen, mas que até então não havia tido toda a publicidade que merece: Primeiras Impressões, de Laís Rodrigues.

O livro é uma releitura moderna do clássico Orgulho e Preconceito, com cenários paradisíacos do balneário de Búzios-RJ. Há algum tempo falei brevemente sobre a história, publicada anteriormente pela editora Kiron, mas certamente vale a pena aproveitar essa nova edição lindíssima que a Pedrazul está trazendo para os leitores para uma releitura (ou várias), além da possibilidade de prestigiar uma autora nacional talentosíssima! Veja abaixo a sinopse divulgada pela editora:

“A surpreendente temporada de Mr. Darcy no Brasil!

Charles Bing, um otimista incorrigível, decide que está na hora de internacionalizar a sua bem-sucedida cadeia de restaurantes nova-iorquina. Deseja começar pelo país que sempre incitou sua curiosidade: o Brasil. E nada melhor que Búzios, uma belíssima cidade turística no litoral do Rio de Janeiro. A fim de garantir que sua escolha será acertada, ele leva a tiracolo o seu melhor amigo, Frederick Darcy, um político americano de família conservadora, que se orgulha de ser um homem racional e prático. Mal sabem eles que, ao chegar à cidade paradisíaca, virarão alvo de Janaína Benevides, dona das pousadas mais requisitadas do balneário. Ela é mãe de quatro belas moças, que são, para sua tristeza, solteiras. Janaína preocupa-se, em especial, com a solidão de Jane e Lizzie Benevides, as mais velhas. Enquanto a primeira acaba se decepcionando em seus relacionamentos, por ser uma pessoa que sempre busca ver o melhor nas pessoas, a outra não deixa nenhum homem se aproximar.

Primeiras Impressões é uma deliciosa adaptação de Orgulho e Preconceito, numa releitura moderna dos personagens georgianos que há gerações encantam os leitores.”

 

 

SOBRE A AUTORA: Laís Rodrigues, que inaugura o selo Pedrazul Revelações, é uma advogada de 30 anos que lê desde criança. Ao contrário da maior parte dos autores, nunca havia sonhado em escrever. No entanto, depois que começou, apaixonou-se totalmente pela escrita, e, para a sorte do leitor, não consegue mais parar. Além de Primeiras Impressões, é dela também Do Outro Lado do Oceano, ambas adaptações contemporâneas de obras de Jane Austen, de quem é grande fã. Também é apreciadora da autora inglesa vitoriana Elizabeth Gaskell. Ela também é autora de Heart of Fire, fantasia para jovens adultos que faz parte da série The Elements. Laís é baiana e mora no Rio de Janeiro com o marido e dois gatos.

 

O livro já está em pré-venda e você pode adquiri-lo neste link. Lembrando sempre que a Pedrazul envia vários e lindíssimos marcadores em todas as compras que fazemos no site da editora.

Ficha técnica da obra: Tamanho 16X23cm. 252 páginas. Miolo em papel pólen-soft. Brochura. Tamanho similar ao Diário de Mr. Darcy.

 

P.S.: Sou só eu, ou vocês também estão ansiosos pela publicação de Do Outro Lado do Oceano? Trata-se de uma adaptação contemporânea de Northanger Abbey!

fevereiro 13, 2017

[LANÇAMENTO] HISTÓRIAS DE NINAR PARA GAROTAS REBELDES

A V&R Editoras está com um lançamento incrível, o livro Histórias de ninar para garotas rebeldes: 100 fábulas sobre mulheres extraordinárias! Veja  o que a editora fala sobre a publicação:

Cem histórias que provam a força de um coração confiante: o poder de mudar o mundo.

Que essas valentes mulheres inspirem vocês. Que os retratos delas imprimam em nossas filhas e filhos a profunda convicção de que a beleza se manifesta em todas as formas, cores e idades. Em Histórias de ninar para garotas rebeldes, tudo o que podemos sentir é esperança e entusiasmo pelo mundo que estamos construindo. Um mundo onde gênero não defina quão alto você pode sonhar nem quão longe você pode ir.

“Um livro absolutamente necessário para embalar qualquer garota ou mulher que conhecemos.”
– Geri Stengel, Forbes

“Essas histórias de ninar transformarão princesas em mulheres que mudarão o mundo.”
– Taylor Pittman, The Huffington Post

 

 

Foto: Divulgação V&R Editoras (facebook)

 

Dentre as personagens reais estão Nina Simone, Coco Chanel, Frida Kahlo, Jane Austen, Serena Williams, Marrie Currie… um verdadeiro timaço para inspirar meninas E TAMBÉM meninos e todas as idades. Histórias de ninar para garotas rebeldes tem acabamento em capa dura e ilustrações lindíssimas. Um ótimo lançamento neste começo de ano!

O livro já está disponível para compra na Saraiva e na Livraria da Travessa, no valor de R$ 99,00. Em breve estará disponível em outras lojas.

 

 

Ficha Técnica

Título original: Goodnight Stories for Rebel Girls
ISBN: 9788550700724
Autor: Elena Favilli & Francesca Cavallo
Quantidade de páginas: 220
Tradução: Carla Bitelli, Flávia Yacubian & Zé Oliboni
Comprimento: 17,6 cm
Altura: 24,6 cm
Profundidade: 3 cm
Peso: 0.43 kg
Acabamento: Capa dura
Edição: 1ª/2017
Preço: R$99,90
Ebook: Não
fevereiro 08, 2017

[RESENHA] PALÁCIO DAS ILUSÕES, FILME 1999

 

Mansfield Park, no Brasil traduzido como Palácio das Ilusões, é uma adaptação em filme do romance homônimo de Jane Austen, e também de algumas cartas que revelam dados sobre a biografia da autora e informações históricas da época. Foi uma produção da Miramax e da BBC filmes (EUA/Reino Unido), do ano de 1999.

Mesmo não sendo uma adaptação tão fiel ao livro, o roteiro de Patrícia Rozema foi muito acertado ao misturar Jane Austen e a personagem principal de Mansfield Park. Fanny Price (Frances O’Connor) passa de extremamente reservada a uma mulher vivaz e com grande imaginação para a escrita. Isso tornou a história mais ágil e atraente.

 

 

A história começa com a jovem Fanny deixando a pobreza da casa de seus pais em Portsmouth para viver no luxo com seus tios em Mansfield Park. Como sabemos, sua rotina na mansão não vai ser das mais fáceis, pois ela não é tratada como alguém da família, e sim com um objeto de caridade. Desta forma, sempre tem de ser útil, especialmente para a sua tia Norris e para a sonolenta tia Bertram. Na propriedade, contudo, tem acesso a livros e a uma educação refinada, que não seria possível junto a seus pais e irmãos. Edmund é o único membro da família a tratar a prima com sincero carinho e respeito. Alguns anos depois da chegada de Fanny, a rotina tediosa de Mansfield será abalada pela chegada dos irmãos Crawford. A partir daí, os sentimentos e as ações dos personagens ficarão confusos e nem Fanny, que no livro é praticamente inabalável, vai resistir a certas tentações e provações.

Algumas relações foram colocadas de acordo com o contexto da época (o livro é de 1814), o que foi muito positivo para a história. A questão dos escravos e a situação econômica da propriedade, por exemplo, explicam a viagem de negócios de Mr. Bertram. Seu interesse suspeito pela sobrinha pobre e que vive de favor em Mansfield é previsível pela posição social de ambos e pelo caráter de Mr. Bertram no filme.

Edmund (Jonny Lee Miller) demonstrou mais seus sentimentos por Fanny, em comparação ao livro, e isso torna a história mais agradável de assistir. Numa primeira leitura do romance pode ficar uma impressão de que ele não a ama como mulher e sim sempre a amou apenas como uma pessoa de sua família. Nesta adaptação a atração mal resolvida entre os dois fica mais evidente. Em defesa do livro, entretanto, temos a limitação da época em que foi escrito, além do estilo de Jane Austen, que deixava as situações no ar, sem dar detalhes mais quentes de seus personagens.

 

Mary Crawford (Embeth Davidtz) é bastante ousada nesta adaptação e seu irmão, Henry (Alessandro Nivola), é belo e sedutor. Fica claro e compreensível como eles conseguiram confundir os sentimentos de pessoas como Edmund e Fanny. Não ficou chato e insistente, pelo menos não a princípio.

 

Mansfield Park, ou Palácio das Ilusões, tem um roteiro muito bem amarrado, em que as histórias se encaixam perfeitamente. Até hoje é considerada uma das melhores adaptações de Mansfield Park, ainda que não tenha sido tão fiel ao romance de Jane Austen. A BBC fez uma nova adaptação, desta vez para a televisão, no ano de 2007, de forma mais fiel ao livro, contudo não foi feliz na escolha dos atores. Billie Piper (Rose Tyler, de Doctor Who) interpretou uma Fanny que nem os fãs mais amorosos conseguiram entender. Definitivamente ela não se encaixou naquilo que esperamos de uma Fanny Price. Frances O’Connor, mesmo tendo interpretado uma Fanny com toques de Jane Austen, ainda é a favorita de grande parte dos fãs de Mansfield Park.

 

Veja o trailer abaixo (em inglês):

 

Mais informações sobre a produção e o elenco aqui.

Resenha em colaboração com o blog Escritoras Inglesas.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por