agosto 13, 2019

[LETRAS] Construções correlatas aditivas em perspectiva funcional, de Ivo da Costa do Rosário

O processo de correlação é um dos grandes temas da sintaxe do português, entretanto, ainda carece de pesquisas mais aprofundadas e atualizadas. Ao apresentar reflexões sobre a correlação aditiva no português do Brasil, o livro intenta suprir essa lacuna nos estudos linguísticos, em linguagem clara, objetiva e didática.

A abordagem dada ao tema não consiste somente em descrição estrutural da correlação, mas principalmente em uma investigação com foco na força pragmático-discursiva que emerge dessa estrutura. Nesse ponto, o livro é bastante inovador e contribui para a elaboração de um quadro cada vez mais atualizado e coerente da rede de construções da língua portuguesa.

Além da demanda nos cursos de graduação em letras e de pós-graduação na área dos estudos linguísticos, a obra pode interessar aos profissionais da educação básica que se dedicam ao ensino de língua portuguesa.

Sobre o autor – Ivo da Costa do Rosário é doutor em Letras pela UFF, onde é professor, e em Letras Vernáculas pela UFRJ. Autor de diversos artigos e capítulos de livros que versam sobre sintaxe do período composto, com foco na correlação e interfaces, na perspectiva da linguística funcional centrada no uso (LFCU), é líder do Grupo de Pesquisa Conectivos e Conexão de Orações e membro do Discurso e Gramática, ambos sediados na UFF.

 

Leia o sumário e a apresentação clicando aqui.

Compre no site da Eduff clicando aqui.

agosto 06, 2019

[LETRAS] Indizível, imperceptível e ininteligível: o sujeito contemporâneo e seus arquivos, de Bethania Mariani, Carla Barbosa Moreira, Juciele Pereira Dias e Maurício Beck (Orgs.)

Os autores dos textos desta obra desenvolvem pesquisas em diferentes teorias de linguagem relacionadas à temática do indizível, do ininteligível e do imperceptível. Abordado em jornada do Laboratório Arquivos do Sujeito (LAS) da UFF com objetivo de propiciar um espaço de interlocução com professores de outras instituições, o tema teve como escopo de reflexão o quadro teórico da Análise de Discurso Francesa em interface com a História das Ideias Linguísticas, a Teoria da Enunciação, a Filosofia da Linguagem, a Sociolinguística e a Psicanálise Lacaniana.

A partir da consolidação do aporte teórico das áreas citadas, os pesquisadores, com a sugestiva proposta de discussão sobre o indizível, o ininteligível e o imperceptível, incitaram questionamentos voltados para as posições do sujeito no contemporâneo, partindo das discursividades que os representam e os diferentes modos como eles se representam, se significam.

Nesse sentido, tomam o real como espaço de desestabilização da(s) língua(s), da história e do sujeito. Real como registro do impossível no campo da linguagem, da percepção e da compreensão – (in)dizível, (im)perceptível e (in)inteligível -, sempre em tensão com a produção de sentidos que vão constituir – e se constituir pelas – zonas de memória.

 

Os artigos e respectivos autores são os seguintes:

Seção “Indizível”:

“Uma alegria indizível”, de Ana Paula El-Jaick;

“(In)dizível, in(dizível), in(visível): linguística, análise de discurso, psicanálise”, de Bethania Mariani;

“O cálice indizível e a demanda nas vozes das ruas-redes sociais”, de Juciele Pereira Dias;

“O que se pode dizer do indizível?”, de Lauro José Siqueira Baldini.

Seção “Ininteligível”:

“O ininteligível ou sobre o (im)possível nas aulas de língua portuguesa”, de Carla Barbosa Moreira;

“Pelo território de Ártemis: do inteligível nas fronteiras difusas do mesmo e do outro”, de José Simão da Silva Sobrinho;

“Enunciar o ininteligível”, de Luiz Francisco Dias;

“Que língua é essa? Incertezas e indefinições na delimitação das línguas”, de Xoán Carlos Lagares.

Seção “Imperceptível”:

“Cinema, memória e favelas: uma pedagogia da realidade em dois momentos”, de Lucia M. A. Ferreira;

“Imagem-tempo e o espectro do irrealizado: o descortinar do imperceptível”, de Maurício Beck;

“Fazer jornalismo, fazer história? Os 45 anos de “Veja”, o discurso jornalístico, o (im)perceptível”, de Silmara Dela Silva;

“O significante em metáfora no movimento metonímico da falta”, de Suzy Lagazzi.

 

 

Leia o sumário e a apresentação clicando aqui.

Compre no site da Eduff clicando aqui.

julho 30, 2019

[LETRAS] Funcionalismo linguístico: diálogos e vertentes, de Mariangela Rios de Oliveira e Maria Maura Cezario (Orgs.)

Esta coletânea reúne nove capítulos voltados para a reflexão teórica e a análise empírica no âmbito das mais recentes tendências da pesquisa de cunho funcionalista, tanto a de orientação norte-americana quanto a de orientação europeia. Os autores constituem-se em referência internacional e nacional da área dos estudos linguísticos, com investigações de ponta.

Há aqui tanto informações relevantes em termos teóricos e metodológicos de diferentes olhares dentro da linguística funcionalista para a compreensão da linguagem como também há a aplicação dos modelos teóricos na análise de fenômenos da língua portuguesa, em particular. Nesse sentido, a obra é de interesse para pesquisadores e alunos de graduação e de pós-graduação de letras e áreas afins.

 

Os temas e respectivos autores são os seguintes:

“Gramática de Construções: princípios básicos e contribuições”, de Maria Angélica Furtado da Cunha e Patrícia Fabiane Amaral da Cunha Lacerda;

“Objetividade, subjetividade e intersubjetividade na perspectiva da Gramática Discursivo-Funcional”, de J. Lachlan Mackenzie;

“Forma e função: reflexões a partir da Linguística Cognitiva”, de Lilian Ferrari e Diogo Pinheiro;

“Análise linguística em perspectiva funcional: o caso de modificadores nominais”, Edvaldo Balduino Bispo e José Romerito Silva;

“Considerações acerca de vamos diretos, todas contentes, bastantes grandes, muitas boas”, de Martin Hummel;

“Hipercorreção e analogia: o caso dos particípios passados”, de Marcos Bagno;

“Vânia Cristina Casseb-GalvãoFunções retóricas e ordem: relação entre pragmática e morfossintaxe”, de Erotilde Goreti Pezatti e Roberto Gomes Camacho;

“Orações condicionais no português: uma análise à luz da Gramática Discursivo-Funcional”, de Taísa Peres de Oliveira e Flávia Bezerra de Menezes Hirata-Vale;

“Construções subjetivas avaliativas no português do Brasil”, de Nilza Barrozo Dias e Maria Luiza Braga.

 

Leia o sumário e a apresentação clicando aqui.

Compre no site da Eduff clicando aqui.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por