fevereiro 04, 2020

[LISTA] SETE AUTORES FAMOSOS QUE JÁ “PARTICIPARAM” DA SÉRIE MURDOCH MYSTERIES

Murdoch Mysteries. Imagem: Divulgação CBC/ +Globosat.

 

Você conhece a série Murdoch Mysteries? A produção é canadense e é baseada nos romances da escritora Maureen Jennings (infelizmente sem tradução, ainda, para o português). No Brasil, podemos assistir aos episódios até a décima segunda temporada no canal a cabo e streaming +Globosat.

William Murdoch (Yannick Bisson) é um detetive inovador para a Toronto dos anos de 1890 (quando a série tem início). Utilizando técnicas forenses, ele resolve os casos mais complicados com a ajuda da médica legista Dra. Julia Ogden (Hélène Joy). Diferente de algumas séries policiais, Murdoch Mysteries, salvo um ou outro episódio, tem um tom bastante leve, com bastante alívio cômico. Os episódios são geralmente fechados, com duração de 30 minutos, e tratam de temas variados e progressistas, levando em consideração, é claro, o contexto da época.

Resumindo: tudo começa com um crime; mais especificamente, um assassinato. A investigação é como um quebra-cabeças instigante para Murdoch, seus companheiros de investigação e, eventualmente, personalidades da vida real que já “participaram” da série. A lista é grande e inclui nomes como Houdini, Alexander Graham Bell, Nikola Tesla… Mas como respiramos livros e literatura por aqui, vamos listar apenas os grandes autores que já “participaram” de Murdoch Mysteries. Dá uma olhada:

 

Arthur Conan Doyle (Temporada 1, Episódios 4 e 9; Temporada 6, Episódio 4)

Geraint Wyn Davies como Arthur Conan Doyle. Imagem: Divulgação CBC/ +Globosat.

O escritor mais badalado que já passou pela Station House Number 4 definitivamente é Sir Arthur Conan Doyle! E não poderia ser por menos, já que até o Inspetor Brackenreid (Thomas Craig) é fã de Sherlock Holmes. Com Doyle na delegacia, algumas investigações podem seguir um rumo diferente do racionalismo normalmente usado por Murdoch. Se você pensou em algo sobrenatural, mediúnico… acertou!

H. G. Wells (Temporada 3, Episódio 8)

Peter Mikhail é HG Wells em Murdoch Mysteries. Imagem: Divulgação CBC/+Globosat

Certo episódio, Murdoch fica impressionado ao ver, como convidado de honra na sociedade local de eugenia, o renomado autor H.G. Wells. O escritor está fazendo uma pesquisa para seu romance de ficção científica, quando uma investigação se inicia: partes de um corpo são descobertas em um lago próximo.

H. G. Wells é autor de dezenas de romances e contos, mas é mais conhecido por seus livros de ficção científica A Máquina do Tempo,A Guerra dos Mundos e O Homem Invisível.

Jack London (Temporada 5, Episódio 1)

Aaron Ashmore como Jack London. Imagem: Divulgação CBC/+Globosat

A participação de Jack London em Murdoch Mysteries acontece em um daqueles episódios em que o nosso detetive está fora de Toronto, meio deprê, precisando de consolo (sem spoilers, tá?!). Ele vai para Yukon, mas, advinha só: acontecem dois assassinatos e Murdoch não pode fazer outra coisa senão investigá-los. Com uma valiosa ajuda, é claro!

Jack London escreveu muitas histórias de aventura baseadas em suas próprias experiências nos Territórios Yukon e do Noroeste do Canadá. Suas observações formam grande parte do material de seus livros mais famosos, O chamado selvagem (1903) , O lobo do mar (1904) e Caninos brancos (1906).

Mark Twain (Temporada 9, Episódio 2)

Yannick Bisson como Detetive William Murdoch e William Shatner como o escritor Mark Twain. Imagem: Divulgação CBC/+Globosat.

Em sua passagem por Toronto, Mark Twain faz um discurso anti-imperialista que desagrada profundamente seus ouvintes. Sendo assim, alguém tenta atirar nele.

Samuel Clemons, mais conhecido por seu pseudônimo Mark Twain, foi autor de vários clássicos da literatura norte-americana, incluindo As aventuras de Tom Sawyer e As Aventuras de Huckleberry Finn.

Lucy Maud Montgomery (Temporada 9, Episódio 12)

Alison Louder interpreta a escritora canadense Lucy Moud Montgomery em “Murdoch Mysteries”. Imagem: Divulgação CBC/+Globosat

Lucy Maud Montgomery é uma das alunas do curso de escrita criativa de George Crabtree (que é policial e escritor, nem sempre nesta ordem). Neste episódio, após ler o manuscrito de Anne de Green Gables, Crabtree sugere que Montgomery adicione cadáveres, fantasmas etc. e mude o título do livro para “Dan de Green Gables”, ou seja, trocar Anne, a protagonista, por um garoto. A autora não gosta nem um pouco das sugestões,obviamente! O desfecho dessa trama é uma gracinha, uma das participações especiais que eu mais gosto na série, e nem preciso dizer (mas digo mesmo assim) que é por motivos de Anne de Green Gables!

H. P. Lovecraft (Temporada 10, Episódio 16)

Tyler East como H P Lovecraft e Johnny Harrys como Constable Crabtree em Murdoch Mysteries. Imagem: Divulgação CBC/+Globosat.

A descoberta de um corpo e alguns esboços grotescos levam Murdoch a suspeitar de um grupo de adolescentes obcecados pela morte e cheios de insatisfações. Um jovem escritor, H. P. Lovecraft, havia se juntado a este grupo pouco antes do acontecido. Meio esquisitão, ele acaba envolvido no mistério!

Howard Phillips Lovecraft, mais conhecido como H. P. Lovecraft, foi um autor de poucos leitores em vida. Hoje, é tido como referência no gênero de ficção de terror. Veja alguns de seus livros, clicando aqui.

Helen Keller (Temporada 11, Episódio 3)

Amanda Richer como Helen Keller.

Helen Keller foi ativista política, educadora, palestrante e a primeira pessoa surdo-cega a obter um diploma de bacharelado. É muito conhecida, também, por sua autobiografia, A História da Minha Vida (1903). Em sua participação na série, ela é homenageada em um jantar totalmente sem iluminação, para que os participantes sentissem um pouco a realidade de não enchergar. O mistério começa com o sumiço de um dos participantes na ocasião.
***
E então, vamos maratonar?

 

 

Post baseado no original publicado em inglês pela CBC.

março 29, 2018

[RESENHA] O QUE O SOL FAZ COM AS FLORES, DE RUPI KAUR

Sinopse: “Da mesma autora de outros jeitos de usar a boca, o que o sol faz com as flores é uma coletânea de poemas arrebatadores sobre crescimento e cura. Ancestralidade e honrar as raízes. Expatriação e o amadurecimento até encontrar um lar dentro de você. Organizado em cinco capítulos e ilustrado por Rupi Kaur, o livro percorre uma extraordinária jornada dividida em murchar, cair, enraizar, crescer, florescer. Uma celebração do amor em todas as suas formas. Essa é a receita da vida minha mãe disse me abraçando enquanto eu chorava pense nas flores que você planta a cada ano no jardim elas nos ensinam que as pessoas também murcham caem criam raiz crescem para florescer no final.”

 

O que o sol faz com as flores não foi, para mim, uma leitura de impacto como a coletânea anterior de Rupi Kaur, Outros jeitos de usar a boca. Fiquei refletindo sobre isso alguns minutos antes de começar a escrever essa resenha quando percebi, com alegria, que o choque do qual eu senti falta já tinha acontecido com o primeiro livro.

O que o sol faz com as flores segue a mesma linha de Outros jeitos de usar a boca, acrescentando outros temas, como a imigração e o infanticídio feminino na Índia, por exemplo. São poesias de vivências, sobretudo de vivências que nos mostram que alguns sentimentos são mais comuns entre as mulheres do que gostaríamos.

 

O que o sol faz com as flores é uma

coletânea de poesias sobre

a dor

o abandono

o respeito às raízes

o amor

e o empoderamento

é dividido em cinco partes

murchar. cair. enraizar. crescer. e florescer.

sobre o livro”

por que girassóis ele me pergunta

Eu aponto para o campo amarelo

os girassóis adoram o sol eu digo

quando o sol sai eles se erguem

quando o sol vai embora

eles baixam a cabeça de tristeza

é o que o sol faz com as flores

é o que você faz comigo.

o sol e suas flores”

 

 

Quando eu li Outros jeitos de usar a boca, disse que “cada homem que eu beijei está aqui nesse livro. Meu pai está nesse livro, minha mãe também. As mulheres da minha família estão aqui. Minha filha está aqui, assim como o pai dela. Mas o melhor de tudo é que eu também estou nesse livro. Acho que você também pode estar.”. Essas palavras também se aplicam a O que o sol faz com as flores, com uma adição: as poesias de Rupi Kaur surpreendem, mesmo com a simplicidade aparente dos versos, ao mostrar que não estamos sozinhas. Também comigo. Também com você. Também podemos fazer diferente.

 

Enquanto houver ar

em nossos pulmões —

precisamos continuar dançando.”

 

Título: O que o sol faz com as flores

Autora: Rupi Kaur

Tradução: Ana Guadalupe

Editora: Planeta

Páginas: 256

Compre na Amazon: O que o sol faz com as flores.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPressDesenvolvido por