janeiro 24, 2019

[RESENHA] UM MARIDO DE FAZ DE CONTA (OS ROKESBYS #2), DE JULIA QUINN

Sinopse: “Enquanto você dormia…

Depois de perder o pai e ficar sabendo que o irmão Thomas foi ferido durante uma batalha, Cecilia Harcourt tem duas opções: se mudar para a casa de uma tia ou se casar com um vigarista. Para fugir desses destinos, ela cruza o Atlântico, determinada a cuidar do irmão. Após uma semana sem conseguir localizá-lo, ela encontra o melhor amigo dele, Edward Rokesby, inconsciente e precisando desesperadamente de cuidados. Mas, para permanecer a seu lado, Cecilia precisa contar uma pequena mentira…

Eu disse a todos que era sua esposa.

Quando Edward recobra a consciência, não entende nada. A pancada na cabeça o fez esquecer tudo que aconteceu nos últimos três meses, mas ele certamente se lembraria de ter se casado. Apesar de saber que Cecilia é irmã de Thomas, eles nunca foram apresentados. Mas, já que todo mundo a trata como esposa dele, deve ser verdade.

Quem dera fosse verdade…

Cecilia coloca o próprio futuro em risco ao se entregar ao homem que ama. Mas, quando a verdade vem à tona, Edward também pode ter algumas surpresas guardadas para a nova Sra. Rokesby.”

 

Leia também: resenha de Uma dama fora dos padrões (Os Rokesbys #1), de Julia Quinn.

 

Não são necessárias muitas páginas para que possamos cair de amores por Edward Rokesby. Não é exagero, não, eu juro! O mocinho é uma graça e qualquer uma de nós no lugar da Cecília diria “esposa” tão logo nos perguntassem o parentesco em relação ao convalescente, mesmo conhecendo bem pouco dele.

Um marido de faz de conta, segundo livro da série Os Rokesbys (Arqueiro, 2019), conseguiu ser ainda mais encantador que Uma dama fora dos padrões, lançado no ano passado. Aqui, temos uma mocinha que foi obrigada pelas circunstâncias a contar uma mentirinha: Cecília apenas disse ter se casado com o melhor amigo do seu irmão, à distância, em um navio, por meio de procuração, e todos acreditaram na história, inclusive o marido, ao acordar relativamente desmemoriado da espécie de coma em que estava. O contexto era bem sério, pois o irmão e o marido de Cecília estavam lutando pelo exército britânico na América, daí o tal casamento por procuração quase não foi questionado, nem pelo próprio noivo. Afinal, que mulher teria coragem de inventar uma história dessas, um compromisso sério desses com um filho de um Conde?!

Os motivos de Cecília Harcourt foram nobres, preciso defendê-la: a moça viajou até Nova York a procura do irmão, que até onde ela soube, estava ferido. Após a morte do pai e com um primo odioso à espreita só aguardando para dar o bote na herança (incluindo Cecília), a jovem precisava encontrar Thomas para não ficar sozinha no mundo. Chegando à América, ela não acha o irmão, mas o amigo dele, o Capitão Rokesby, que está muito ferido e precisando de cuidados. Cecília já o conhecia superficialmente pelas correspondências que trocava com o irmão e quando deu por si já estava emaranhada até o último fio de cabelo em sua mentira. O que ela não contava é que ficaria cada vez mais ligada à Edward desejando, quem sabe, ser verdadeiramente a Sra. Rokesby.

 

“Ah, como ela queria que fosse tudo verdade…

Queria ser feliz com aquele homem. Queria ser a esposa dele, a mãe dos filhos dele, seria uma vida maravilhosa… se não fosse uma mentira. (…)

Objetivo do dia: parar de se apaixonar.”

 

“Estava se apaixonando por ela? Não lhe ocorria nenhum outro motivo para que estivesse se sentindo daquela maneira, como se seus dias só começassem de verdade depois de vê-la sorrir. Ele estava se apaixonando por ela. Antes mesmo de se conhecerem, ele já estava meio apaixonado e talvez jamais se lembrasse dos eventos que o haviam conduzido àquele momento, mas certamente haveria de se lembrar disso. Daquele beijo.

Daquele toque. Daquela noite.”

 

Apesar de vários capítulos de mentiras, os quais a mocinha sofre calada, é divertido ver Cecília com ciúmes da Billie Bridgerton (lembra que Edward ou Andrew eram pretendentes em potencial para ela? Contei isso aqui). Mesmo que você não tenha lido o primeiro livro da série vai perceber que isso é besteira da cabeça dela, pois um homem como Edward é difícil de ver até em livros! Em um mar de libertinos (nada contra, até gosto com moderação), Julia Quinn conseguiu fazer um mocinho extremamente romântico e apaixonante. Um marido de faz de conta é um livro para devorar em pouco tempo, de tão viciante. Um romance para quem gosta de uma bela história de amor!

 

 

 

Título: Um marido de faz de conta (Os Rokesbys #2)

Autora: Julia Quinn

Tradução: Thaís Paiva

Editora: Arqueiro

Páginas: 304

 

Compre na Amazon: Um marido de faz de conta

 

 

P.s.: Qual não foi o meu susto em ver circulando nas redes sociais essa capa (LINDA) do livro 3 da série Os Rokesbys! A capa e as primeiras páginas de Um cavalheiro a bordo estão logo no final da edição de Um marido de faz de conta. Como eu estava lendo em e-book não tinha visto, mas as ninjas queridas da página Paixão por Letras postaram e rapidinho a notícia se espalhou! Até a publicação dessa resenha a Arqueiro não havia divulgado uma previsão para esse lançamento, mas eu espero que não demore muito (pelamordedeus, Arqueiro!)!



Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por