março 15, 2017

[RESENHA] PARA EDUCAR CRIANÇAS FEMINISTAS: UM MANIFESTO

Sinopse: “Após o enorme sucesso de Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie retoma o tema da igualdade de gêneros neste manifesto com quinze sugestões de como criar filhos dentro de uma perspectiva feminista. Escrito no formato de uma carta da autora a uma amiga que acaba de se tornar mãe de uma menina, Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. E é por isso que este breve manifesto pode ser lido igualmente por homens e mulheres, pais de meninas e meninos. Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.” Fonte: Companhia das Letras. 

 

Chimamanda Ngozie Adichie é uma das mulheres que eu mais respeito quando o assunto é feminismo. Ela é o tipo de feminista que eu me esforço para ser, não exclui ninguém (pelo menos tenta não excluir) e não fica apenas repetindo jargão de internet. Com seu discurso prático e acessível, ela apresenta ideias para uma sociedade mais justa, em que as mulheres possam assumir um papel protagonista, assim como os homens sempre fizeram.

Li mais de uma vez o livro que teve origem com a palestra que ela deu para o TED Talks, Sejamos Todos Feministas, e tornei-me grande fã de seu trabalho e trajetória de vida. Comprei, mas ainda não li o livro Hibisco Roxo, e tenho interesse em toda a sua obra, especialmente o livro Americanah, cujos direitos foram comprados por Lupita Nyongo para uma provável adaptação cinematográfica.

Agora, em sua publicação mais recente, Para Educar Crianças Feministas: Um Manisfesto, Chimamanda novamente mostra a face de um feminismo atual e inteligente. A publicação surgiu de uma carta que ela escreveu para uma amiga, Ijeawele, respondendo ao seguinte questionamento: como se deve educar uma criança feminista? Como seria aplicar o feminismo na criação de uma menina, por exemplo? Pois bem, a autora escreveu uma lista com 15 sugestões para uma educação feminista, que podemos pelo menos tentar aplicar em nossos filhos e crianças próximas.

“Há alguns anos, quando uma amiga de infância – que cresceu e se tornou uma mulher bondosa, forte e inteligente – me perguntou o que devia fazer para criar sua filha como feminista, minha primeira reação foi pensar que eu não sabia.

Parecia uma tarefa imensa.

Mas, como eu me manifestara publicamente sobre o feminismo, talvez ela achasse que eu era uma especialista no assunto. Ao longo dos anos, eu havia cuidado de muitos filhos de pessoas próximas, tinha sido baby-sitter e ajudado a criar sobrinhos e sobrinhas. Havia observado muito, ouvido muito e pensado ainda mais.

Em resposta ao pedido de minha amiga, resolvi lhe escrever uma carta na esperança de que fosse algo prático e sincero, e também servisse como uma espécie de mapa de minhas próprias reflexões feministas. Este livro é uma versão da carta, com pequenas alterações.

Agora eu também sou mãe de uma menininha encantadora e percebo como é fácil das conselhos para os outros criarem seus filhos, sem enfrentar na pele essa realidade tremendamente complexa.

Ainda assim, penso que é moralmente urgente termos conversas honestas sobre outras maneiras de criar nossos filhos, na tentativa de preparar um mundo mais justo para mulheres e homens.

Minha amiga respondeu dizendo que iria ‘tentar’ seguir minhas sugestões. E, ao relê-las agora como mãe, eu também estou decidida a tentar.” (Introdução, por Chimamanda Ngozie Adichie)

 

Esse livro é genial, pois mostra um caminho ao invés de apenas apontar erros e fazer textão na internet. Existem muitas mulheres que se dizem feministas, mas quando se deparam com uma mãe casada, tendo uma vida doméstica por escolha, torcem o nariz. Saí de muitos grupos feministas e parei de seguir muitas páginas de ou sobre feminismo no facebook por essa razão. Lá, eu não seria uma feminista de verdade, porque além de todas as outras atividades que eu exerço, escolhi também ser mãe, esposa e dona de casa. Para muitas, essa minha escolha é um desperdício. Eu considero pessoas assim como um desperdício para um movimento tão legítimo e que nos rendeu tantos frutos dos quais gozamos contemporaneamente. Mais que textão falando sobre tudo o que o patriarcado roubou e ainda tenta roubar de nós, Chimamanda dá dicas para serem colocadas em prática, e é isso que nós, feministas de hoje, precisamos. Por em prática tudo aquilo que fica lindo e ganha muitos likes nas redes sociais.

 

 

 

Título: Para Educar Crianças Feministas: Um Manifesto.
Autora: Chimamanda Ngozie Adichie
Tradução: Denise Bottman
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 96

Compre na Amazon: Para Educar Crianças Feministas: Um Manifesto

 



Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por