[RESENHA] O MUNDO QUE HABITA EM NÓS, DE LILIANE PRATA

[RESENHA] O MUNDO QUE HABITA EM NÓS, DE LILIANE PRATA

Sinopse: “”Por que tantos de nós estão perdidos e ansiosos nadando entre a raiva e a melancolia? Nossa subjetividade tem sido sugada por um redemoinho de idealizações, imediatismo, comparações, angústias, miopia para a alteridade e confusão entre narcisismo e amor-próprio, e isso tem implicações individuais e sociais. O mundo que habita em nós convida leitores e leitoras a entender, por meio de deliciosas e precisas reflexões filosóficas, o mundo em que vivemos e o que ele muitas vezes provoca no interior de cada um. Tais reflexões são embasadas em citações literárias, poéticas e musicais, verdadeiras inspirações para quem lê. A obra é divida em quatro partes: 1. O “nós” que habita o “eu”, 2. O apagamento do outro, 3. Muros e carências, e 4. O si mesmo no mundo, e os assuntos abordados são, entre outros: solidão; parecer versus ser; pressa, busca do prazer e perda da singularidade; adequações e escolhas; medo e controle; o encontro com o si mesmo e o fortalecimento do si mesmo, todos eles de extrema relevância nos dias de hoje. Tempos sombrios pedem informação de qualidade; tanto melhor se ela vier por meio de uma leitura luminosa. Aceite, então, o convite irrecusável da autora: “Espero que, após a leitura, você ganhe mais consciência de si mesma/si mesmo, aumente sua compreensão sobre as distâncias e os emaranhados entre você e as coisas, distinga com mais clareza o que quer daquilo que não quer para você, e sinta mais profundamente, com mais graça do que frustração, a experiência de estar vivo”. Por que ler este livro? Este livro lança várias reflexões ao leitor: Por que temos andado tão angustiados com quem (achamos que) deveríamos ser, com quem (achamos que) os outros deveriam ser e como (achamos que) a vida deveria ser? Por que tantos de nós estão perdidos e ansiosos, nadando entre a raiva e a melancolia? A temática é muito atual: ansiedade, vazio existencial, busca por aprovação e como lidar com a raiva e o medo. Formada em filosofia pela USP e com experiência em redação de revistas, Liliane escreve de um jeito fácil e coloquial, mas propondo a profundidade de um mergulho interior no lugar de fórmulas mágicas. Liliane tem um canal no Youtube com quase 40 mil inscritos, e a maior parte de seu público são mulheres de 25 a 35 anos, que têm o hábito da leitura. Já vendeu mais de 200 mil exemplares com seus livros O diário de Débora 1 e 2, que ficaram na lista dos mais vendidos por semanas.”

 

Sabe aqueles livros de autoajuda que nos dão o passo a passo super simples, mas que ninguém te contou, capaz de mudar nosso mindset e nos levar com passagem só de ida rumo ao sucesso? …definitivamente NÃO é disso que trata “O mundo que habita em nós”, da Liliane Prata, publicado pela editora Instante (2019).

O que a Liliane propõe aqui é reflexão. Parar, respirar, olhar em volta e olhar dentro de nós mesmos. Foi um livro que eu li super rápido, marquei, fiz anotações em várias partes (sou dessas), além de aumentar minha lista de leitura em vários livros. Fiquei entre extremos, ora me senti chacoalhada, ora acolhida. A prosa da Liliane Prata é muito direta, muito acessível. É como se estivéssemos conversando com uma amiga muito querida. E sábia.

 

“Por mais bem informados e cientes dos nossos direitos e das injustiças humanas que estejamos, não podemos nos esquecer disto: cada ser humano é único. Cada um e cada uma de nós tem um rosto, um DNA, uma jornada de experiências e possibilidades. Não somos um produto, uma categoria, um ‘tipo’. Merecemos ser ouvidos. Errar, aprender, mudar de ideia. Transformar e ser transformados na convivência com pessoas que foram socializadas de modo diferente do nosso e viveram experiências distintas das nossas. Observe como o consumismo e o viver mediado por imagens fermentam quando acrescidos à lógica da pressa e do imediatismo.” (p. 82/83)

 

“Colocamos nossa concentração não nas coisas do mundo, mas nas nossas fantasias. Essas fantasias costumam ser grandes. Não basta publicar o que pensamos na rede social, o post tem que ter milhares de curtidas. Não basta escrever a história que temos na cabeça, precisamos que ela seja publicada, traduzida em trinta idiomas e vire filme. Assim, vamos nos engessando, nos privando de vivenciar coisas, porque estamos muito preocupados e preocupadas com o impacto que elas terão, o impacto que decidimos que precisam ter.
Dedicação requer amor. E amor só respira bem em corpos atentos.” (p. 87)

 

Deixei meu livro no quarto para de vez em quando dar uma olhada, reler alguns trechos. Recomendo demais da conta!

 

 

Título: O mundo que habita em nós

Autora: Liliane Prata

Editora: Instante

Páginas: 136

Compre na Amazon, disponível também em e-book: O mundo que habita em nós

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *