março 20, 2020

[RESENHA] MÚLTIPLA ESCOLHA, DE ALEJANDRO ZAMBRA

Sinopse: “O novo livro de Alejandro Zambra, o autor chileno mais aclamado pela crítica internacional. Dizer que Múltipla escolha é um romance seria tão arriscado como dizer que não é. Talvez seja melhor afirmar apenas que se trata de um livro de Alejandro Zambra, porque o estilo e os temas que o converteram em uma das principais vozes da literatura latino-americana se desdobram, aqui, de forma radical. A partir da estrutura da Prova de Aptidão Verbal, aplicada de 1966 a 2002 aos candidatos a vagas em universidades no Chile, o autor cria relatos unindo fragmentos líricos e exercícios de linguagem para retratar problemas éticos: a necessidade de mentir para se afirmar, a vontade de estabelecer vínculos apesar da desconfiança, a percepção de que fomos instruídos a obedecer e repetir. Múltipla escolha passeia por temas que desafiam a sociedade a desigualdade, a memória, a educação e mostra um autor que continua projetando uma obra que se diferencia pela maneira como combina a indignação, o humor e a delicadeza.”

 

Na época da faculdade de Letras eu me interessei muito sobre o estudo dos gêneros textuais (não confundir com gêneros literários!). O esforço dos professores, conteudistas e o nosso mesmo, como “futuros professores de língua portuguesa”, era pensar em diversas formas (maneiras atraentes) de mostrar aos alunos que “tudo” é gênero textual. Mas nem “tudo” é apenas crônica, resenha, receita culinária, bula de remédio etc. (e põe etc. nisso!). Esse texto mesmo, que você está lendo agora, é uma resenha? É crônica? Estaria eu tentando lhe passar uma lição, dar uma aula?

 

De acordo com Bakhtin (2000), os gêneros textuais ou gêneros de texto, chamados por ele de “gêneros do discurso”, são os textos criados na e pela sociedade, ao longo de sua história, em atendimento às necessidades de comunicação que vão surgindo. Toda comunicação se dá por meio de um gênero textual. Fonte: Info Escola

 

O que eu mais gostava — gosto, na verdade —, em matéria de gêneros textuais é o chamado gênero híbrido. Eu não gosto da decoreba habitual das “antigas” aulas de língua portuguesa. Gosto de texto. De ler e pensar o texto. Você pode pensar que é óbvio, devido ao meu histórico de textos, sobretudo falando de livros e literatura. Mas, quando eu digo que gosto de texto, quero dizer que gosto de entender o texto, o porquê dele, sua estrutura. E na minha cabeça de estudante de Letras eu acreditava firmemente que todo mundo deveria ter acesso à uma educação mais cidadã, que preparasse o indivíduo não apenas para realizar uma prova (ou duas), mas que ele pudesse entender, também, um enunciado de jornal, uma notícia televisiva, um meme de internet (entendendo se é algo irônico ou de protesto) ou, ainda, saber desconfiar de textos visivelmente falsos (as tais fake news).

Agora você pode me perguntar: e o que diabos tem o Alejandro Zambra a ver com todo esse assunto de professorinha de português (que eu nem sou, já que trabalho em serviço administrativo-burocrático)?

Alejandro Zambra é o autor de Múltipla Escolha, publicado aqui no Brasil pela TusQuets Editores (2017). E é um exemplo G E N I A L de gênero híbrido!

A narrativa foi toda estruturada nos moldes da Prova de Aptidão Verbal, aplicada de 1966 a 2002 aos candidatos a vagas em universidades do Chile (como o nosso ENEM, talvez). Desse modo, Múltipla Escolha é não só um livro gênero híbrido, mas uma leitura infinita. GRAÇAS A DEUS aqui não tem resposta certa, o que vale é o que você escolher. Em uma primeira leitura (porque vou ler de novo, com certeza), eu garanto: você vai ter uma experiência ao mesmo tempo bastante inusitada e agradável. Imagine um ENEM (sem o peso de ter que alcançar uma boa pontuação, é claro) que falasse sobre ética, sentimentos, jogos de linguagem, ditadura (chilena), humor (e com humor). É um livro perfeito para sala de aula, talvez mais perfeito para quem está do lado solitário da sala. Mas eu consigo imaginar muitas formas de leitura para a galera do outro lado, a que nem sempre está interessada ou realmente motivada com o material que têm à disposição.

MAS NÃO PENSE QUE O LIVRO DO ZAMBRA OU OS GÊNEROS TEXTUAIS SÃO COISAS PARA A “GALERA DE LETRAS”. Não é isso. Como eu sou — já fui — dessa “galera”, tive essa lembrança a partir da leitura deste livro. Então resolvi escrever esse diário. Ou seria resenha? Uma crônica?

 

Marque a alternativa correta abaixo:

(   ) Resenha.

(   ) Resenha meio sem noção.

(   ) Essa mulher nunca foi de escrever resenhas muito certinhas mesmo.

(   ) Todas as alternativas anteriores.

(   ) Nenhuma das alternativas anteriores.

Título: Múltipla escolha
Autor: Alejandro Zambra
Tradução: Miguel Del Castilho
Editora: TusQuets Editores
Páginas: 102
Compre na Amazon: Múltipla escolha


Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPressDesenvolvido por