junho 10, 2019

[ETC.] GRANDES PERSONAGENS FEMININAS DA LITERATURA BRASILEIRA: EPISÓDIO CAPITU

Baixe agora, inteiramente grátis, o primeiro e-book da nova série do Hiperliteratura!

Durante o mês de junho, semanalmente, o Hiperliteratura distribuirá, inteiramente grátis, a série grandes personagens femininos da literatura brasileira, composta por 4 e-books exclusivos, contendo os perfis de 4 das principais protagonistas da nossa literatura. No primeiro volume, você desvendará os enigmas de Capitu.

 

Já baixei o meu, clique aqui e baixe você também!

 

junho 06, 2019

[RESENHA] A METAMORFOSE, DE FRANZ KAFKA

Sinopse: Um dos maiores clássicos da literatura mundial, agora em nova tradução do alemão e com mais de 90 ilustrações do artista Lourenço Mutarelli.

Quando Gregor Samsa, certa manhã, acordou de sonhos intranquilos, tudo mudou. Não só em sua vida, mas no mundo.

Ao se encontrar metamorfoseado em um inseto monstruoso, Gregor acompanha as reações de sua família ao perceberem o estranho ser em que ele se tornou. E, enquanto luta para se manter vivo e entender a sua nova realidade, reflete sobre o comportamento de seus pais, de sua irmã e de seu chefe, e de forma ainda mais angustiante, pensa na própria vida até então.

Essa pequena novela, lançada em 1915, revolucionou a literatura e as artes. De forma agressiva, acessível e inovadora, tornou-se um dos mais importantes e difundidos textos da história.

Além de tradução inédita feita por Petê Rissatti, essa nova edição traz 93 ilustrações exclusivas, por meio das quais o artista e escritor Lourenço Mutarelli interpreta o processo de transformação de Gregor. Inclui-se, por fim, um ensaio de Flavio Ricardo Vassoler, doutor em literatura comparada, sobre a contemporaneidade de Franz Kafka.”

 

A primeira vez que eu li A Metamorfose foi em 2015 (obrigada pela lembrança, Skoob!) por indicação do meu marido. Quando ele pega um livro na estante, olha nos meus olhos e diz “você PRECISA ler esse livro” geralmente eu leio de imediato, porque sei que vou gostar. E foi exatamente isso que aconteceu com esse livro.

Kafka é um autor que a gente já conhece mesmo antes de ler, por sua forte influência na cultura, coisa natural dos livros clássicos. Mas esse autor, sobretudo esse livro, é uma narrativa que você não pode passar pela vida sem conhecer por si próprio, da fonte original. A Metamorfose é um livro poderoso, que mexe com a cabeça da gente. Não por acaso a Antofágica o escolheu para iniciar os seus trabalhos editoriais.

 

Sobre clássicos e suas influências na cultura, veja/ouça a música Uma Barata chamada Kafka, dos Inimigos do Rei:

 

Veja também, As influências de Kafka na cultura pop, do canal da Antofágica:

 

Imagine um homem que, certo dia, ao despertar de sonhos intranquilos vê-se transformado em algo diferente, algo inexplicável: um inseto monstruoso! A partir daí, as relações dele com o trabalho e a família sofrem profundas mudanças e Gregor Samsa — o metamorfoseado — precisa lidar com elas. Não vou dizer muito mais do que essa premissa da novela porque essa é uma leitura que você faz tranquilamente em um dia, ou dois.

A minha experiência de releitura, agora na edição da Antofágica, foi tão prazerosa quanto a primeira vez. A diferença se dá — além de alguns quilômetros de rodagem na minha bagagem de leitura — no prazer de uma edição muito bem preparada, lindamente ilustrada e traduzida diretamente da língua original, o alemão. Além disso, A Metamorfose tem textos de apoio do tradutor Petê Rissati e do ilustrador, Lourenço Mutarelli; apresentação de Otávio Albuquerque e um ensaio de Flavio Ricardo Vassoler, doutor em literatura comparada.

Cada leitor interpreta A Metamorfose a seu modo, dependendo do momento e de suas experiências. Para mim, tanto antes quanto agora, essa história é como uma fábula sobre rejeição. Sobre o incômodo de ser quem se é, ou se transforma, e não pertencer ou se adequar ao espaço familiar. Kafka, com este livro, incomoda porque ou estamos na pele de Gregor Samsa, ou podemos fatalmente nos reconhecer em um dos membros de sua família. Lourenço Mutarelli diz algo nesse sentido sobre o livro e indica o texto O parasita da família, de Modesto Carone, que analisa a metamorfose em Kafka como algo singular, perturbador em relação a outras narrativas em que existem transformações, pois com Gregor o caso é irreversível.

A Metamorfose, de Franz Kafka, publicado pela Editora Antofógica, é uma das melhores edições dessa novela (perturbadoramente humana) que você encontra atualmente no mercado brasileiro de livros clássicos. Vale a pena acompanhar o trabalho dessa jovem editora que já chegou fazendo muito barulho, com um belíssimo trabalho.

 

 

 

 

 

 

Título: A Metamorfose

Autor: Franz Kafka

Tradução: Petê Rissati

Ilustrações: Lourenço Mutarelli

Editora: Antofágica

Páginas: 232

Compre na Amazon: A Metamorfose

 

junho 04, 2019

[LANÇAMENTO] DARKSIDE REÚNE CONTOS E POEMAS DE TERROR E SOBRENATURAIS DE AUTORES DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS

O ano é 1897. Estamos nas vésperas da celebração dos oitenta anos de publicação da primeiríssima edição de Frankenstein, ou o Prometeu Moderno, escrito por Mary Shelley. Naquele mesmo ano, outro inglês, H.G. Wells, lança em forma de livro O Homem Invisível e publica os capítulos iniciais de A Guerra dos Mundos em revistas da Inglaterra e dos EUA. Já o irlandês chamado Bram Stoker coloca nas livrarias o livro que viria a mudar sua vida e a história da literatura: Drácula. Do outro lado do oceano, nos Estados Unidos, um garoto de apenas sete anos acabou de escrever seu primeiro conto, que levou o nome de “The Noble Eavesdropper”. H.P. Lovecraft é este escritor americano precoce.

Mais ao sul do continente americano, no Brasil, naquele marcante ano de 1897, quarenta intelectuais se reúnem para fundar a Academia Brasileira de Letras (abl), inspirados em um modelo de agremiação de escritores já existente na França desde 1635. Cada um daqueles fundadores escolhe um patrono para nomear a cadeira que vai ocupar, e eles passam a chamar a si mesmos de imortais.

A antologia Medo Imortal, mais nova integrante da coleção Medo Clássico da Darkside® Books, vem a público para mostrar que existe mais em comum entre os fatos dos dois parágrafos anteriores do que pode aparentar à primeira vista. Liderados por nosso maior escritor, Machado de Assis, aqueles intelectuais brasileiros são pessoas de seu tempo, conectados com o que estava sendo produzido nos grandes centros culturais do mundo em sua época.

Nas páginas de Medo Imortal estão reunidos, além de poesias, 32 exemplares da prosa de escritores diretamente ligados à nossa principal instituição dedicada à literatura. São contos que evocam o sobrenatural, apresentam monstros, descrevem atos de psicopatas, dão o testemunho de todo tipo imaginável de atrocidades concebidas pela mente humana. Produzidos entre a segunda metade do século xix e a primeira metade do século xx, tais textos representam o que de melhor se escreveu nos primeiros cem anos de produção do terror em nosso país.

Organizado pelo jornalista Romeu Martins, com ilustrações de Lula Palomanes, a lista de autores para o livro contou com a colaboração de estudos realizados pelos maiores pesquisadores do terror e do insólito das principais universidades brasileiras. São ao todo treze autores, escolhidos entre os patronos, os fundadores e os primeiros eleitos para ocupar os salões da Academia Brasileira de Letras.

Entre eles, a Darkside® Books aproveitou a oportunidade de reparar uma injustiça a histórica cometida naquele ano de 1897 e traz também contos da escritora Júlia Lopes de Almeida, importante nome de nossa literatura que participou das reuniões para a fundação da Academia mas que na última hora acabou sendo barrada por ser mulher em uma instituição que em seus primeiros oitenta anos só aceitou a presença de homens.

Estão presentes na antologia os patronos da Álvares de Azevedo, Bernardo Guimarães e Fagundes Varela. Entre os fundadores, além de Machado de Assis e de Júlia Lopes de Almeida, comparecem Coelho Neto, Aluísio Azevedo, Afonso Celso, Inglês de Souza e Medeiros e Albuquerque. Completando a lista, três autores eleitos ainda nos primeiros anos de existência da Academia, Afonso Arinos, João do Rio e Humberto de Campos. Uma pequena amostra da Academia Sobrenatural Brasileira de Letras.

 

A DarkSide está lançando uma das edições mais lindas de seu catálogo (se é que é possível fazer esse tipo de afirmação, pois todos os livros da caveirinha são lindos) com autores clássicos BRASILEIROS! Uma seleção de terror e sobrenatural dos autores que fundaram a Academia Brasileira de Letras, a ABL, incluindo Julia Lopes de Almeida, que não teve uma cadeira para si mesmo tendo participado da criação da Academia.

O preço do livro em pré-venda é R$ 59,90 com FRETE GRÁTIS na loja da DarkSide! Aproveite e compre já o seu clicando aqui!

 

 

 

 

Além da capa (e da lombada e ilustrações etc.) maravilhosas, comprando no site da DarkSide você ganha Cards (dos) Imortais, dá uma olhada:

 

 

 

 

Veja todos os títulos no site da Editora DarkSide!

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por