junho 04, 2019

[LANÇAMENTO] DARKSIDE REÚNE CONTOS E POEMAS DE TERROR E SOBRENATURAIS DE AUTORES DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS

O ano é 1897. Estamos nas vésperas da celebração dos oitenta anos de publicação da primeiríssima edição de Frankenstein, ou o Prometeu Moderno, escrito por Mary Shelley. Naquele mesmo ano, outro inglês, H.G. Wells, lança em forma de livro O Homem Invisível e publica os capítulos iniciais de A Guerra dos Mundos em revistas da Inglaterra e dos EUA. Já o irlandês chamado Bram Stoker coloca nas livrarias o livro que viria a mudar sua vida e a história da literatura: Drácula. Do outro lado do oceano, nos Estados Unidos, um garoto de apenas sete anos acabou de escrever seu primeiro conto, que levou o nome de “The Noble Eavesdropper”. H.P. Lovecraft é este escritor americano precoce.

Mais ao sul do continente americano, no Brasil, naquele marcante ano de 1897, quarenta intelectuais se reúnem para fundar a Academia Brasileira de Letras (abl), inspirados em um modelo de agremiação de escritores já existente na França desde 1635. Cada um daqueles fundadores escolhe um patrono para nomear a cadeira que vai ocupar, e eles passam a chamar a si mesmos de imortais.

A antologia Medo Imortal, mais nova integrante da coleção Medo Clássico da Darkside® Books, vem a público para mostrar que existe mais em comum entre os fatos dos dois parágrafos anteriores do que pode aparentar à primeira vista. Liderados por nosso maior escritor, Machado de Assis, aqueles intelectuais brasileiros são pessoas de seu tempo, conectados com o que estava sendo produzido nos grandes centros culturais do mundo em sua época.

Nas páginas de Medo Imortal estão reunidos, além de poesias, 32 exemplares da prosa de escritores diretamente ligados à nossa principal instituição dedicada à literatura. São contos que evocam o sobrenatural, apresentam monstros, descrevem atos de psicopatas, dão o testemunho de todo tipo imaginável de atrocidades concebidas pela mente humana. Produzidos entre a segunda metade do século xix e a primeira metade do século xx, tais textos representam o que de melhor se escreveu nos primeiros cem anos de produção do terror em nosso país.

Organizado pelo jornalista Romeu Martins, com ilustrações de Lula Palomanes, a lista de autores para o livro contou com a colaboração de estudos realizados pelos maiores pesquisadores do terror e do insólito das principais universidades brasileiras. São ao todo treze autores, escolhidos entre os patronos, os fundadores e os primeiros eleitos para ocupar os salões da Academia Brasileira de Letras.

Entre eles, a Darkside® Books aproveitou a oportunidade de reparar uma injustiça a histórica cometida naquele ano de 1897 e traz também contos da escritora Júlia Lopes de Almeida, importante nome de nossa literatura que participou das reuniões para a fundação da Academia mas que na última hora acabou sendo barrada por ser mulher em uma instituição que em seus primeiros oitenta anos só aceitou a presença de homens.

Estão presentes na antologia os patronos da Álvares de Azevedo, Bernardo Guimarães e Fagundes Varela. Entre os fundadores, além de Machado de Assis e de Júlia Lopes de Almeida, comparecem Coelho Neto, Aluísio Azevedo, Afonso Celso, Inglês de Souza e Medeiros e Albuquerque. Completando a lista, três autores eleitos ainda nos primeiros anos de existência da Academia, Afonso Arinos, João do Rio e Humberto de Campos. Uma pequena amostra da Academia Sobrenatural Brasileira de Letras.

 

A DarkSide está lançando uma das edições mais lindas de seu catálogo (se é que é possível fazer esse tipo de afirmação, pois todos os livros da caveirinha são lindos) com autores clássicos BRASILEIROS! Uma seleção de terror e sobrenatural dos autores que fundaram a Academia Brasileira de Letras, a ABL, incluindo Julia Lopes de Almeida, que não teve uma cadeira para si mesmo tendo participado da criação da Academia.

O preço do livro em pré-venda é R$ 59,90 com FRETE GRÁTIS na loja da DarkSide! Aproveite e compre já o seu clicando aqui!

 

 

 

 

Além da capa (e da lombada e ilustrações etc.) maravilhosas, comprando no site da DarkSide você ganha Cards (dos) Imortais, dá uma olhada:

 

 

 

 

Veja todos os títulos no site da Editora DarkSide!

maio 22, 2019

[SORTEIO] Histórias de detetive para crianças: Ganymédes José e a série Inspetora (1974-1988)

Sinopse: “A série Inspetora, publicada entre 1974 e 1988, escrita pelo prolífico autor Ganymédes José (1936-1990), usando seu sobrenome Santos de Oliveira, ocupa lugar de destaque na literatura infantojuvenil. Com 38 livros publicados pela Ediouro, trata-se de uma série de histórias de detetives para crianças e pré-adolescentes, protagonizadas também por crianças e pré-adolescentes. Uma dessas séries que conquistam leitores para toda a vida e para diversos tipos de literatura.

O autor deste ensaio crítico buscou informações na própria Ediouro – encontrando inclusive um título não publicado – por razões não explicadas, mas não se pode descartar a relação com o período ditatorial e de censura e autocensura dos anos 1970, mesmo para literatura infantojuvenil. Também foi pesquisar em arquivos de Casa Branca, município onde nasceu e morreu Ganymédes José.

O esforço rendeu dados sobre a vida combativa do criador da Inspetora e do funcionamento da editora da série e comentários sobre estratégias mercadológicas, livros de bolso e mecanismos alternativos de distribuição.”

 

Em parceria com a Eduff, o blog Tamires de Carvalho está sorteando no Instagram um exemplar do livro Histórias de detetive para crianças: Ganymédes José e a série Inspetora (1974-1988), de Leonardo Nahoum Pache de Faria! Para ver as regras e participar, basta clicar na foto abaixo:

 

“O prolífico escritor paulista Ganymédes José já ocupou papel de destaque em nosso cenário literário, considerando-se, especialmente, sua produção de livros infantojuvenis. Nesse campo, destaca-se a série de histórias de detetive intitulada Inspetora, que alcançou, entre 1974 e 1988, a impressionante marca de 38 livros publicados.

Com faro de pesquisador-detetive, o autor deste belo ensaio crítico, Leonardo Nahoum, buscou informações em Casa Branca (cidade onde nasceu e viveu Ganymédes) e nas Edições de Ouro para nos oferecer páginas repletas de dados sobre a vida combativa do criador da Inspetora e o funcionamento da editora da série, bem como comentários sobre estratégias mercadológicas, livros de bolso, meios alternativos de distribuição e possíveis influências da censura do regime militar sobre a literatura infantojuvenil brasileira.” (Pascoal Farinaccio)

 

 

Sobre o autor – Leonardo Nahoum é mestre em estudos de literatura e doutorando em literatura comparada na Universidade Federal Fluminense. Bacharel em jornalismo, é autor da “Enciclopédia do rock progressivo” e de “Tagmar” (primeiro role-playing game brasileiro), além de dirigir o selo musical Rock Symphony, com mais de 120 CDs e DVDs editados. Atualmente dedica-se a pesquisas no campo da literatura infantojuvenil de gênero (genre, não gender), com foco em autores como Carlos Figueiredo e Hélio do Soveral.

 

 

Histórias de detetive para crianças: Ganymédes José e a série Inspetora (1974-1988)
Série Nova Biblioteca, v. 29
Autor: Leonardo Nahoum Pache de Faria
Páginas: 175
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 978-85-228-1286-8
Eduff – Edição: 1ª
Para comprar, clique aqui.

maio 03, 2019

[LANÇAMENTO] A SUCESSORA, DE CAROLINA NABUCO, EM NOVA EDIÇÃO PELA EDITORA INSTANTE

Sinopse: A sucessora une prosa intimista e psicológica ao dar voz a uma protagonista feminina: Marina, uma jovem recém-casada que após uma romântica lua de mel muda-se para a mansão do marido, o milionário Roberto Steen. Ao entrar em sua nova residência, depara-se com um imponente retrato de Alice, a primeira mulher de Roberto, falecida poucos meses antes de Marina e ele se conhecerem. Alice era dona de uma personalidade exuberante e um ícone da sociedade carioca, enquanto Marina, criada na fazenda da família, sempre levou uma vida simples e distante dos costumes liberais da cidade grande. Marina é então invadida por sentimentos de insegurança e inadequação. Afinal, numa vida em que todos – involuntariamente ou nem tanto – a comparam à primeira Madame Steen, será que seu amor por Roberto resistirá ao fantasma de uma mulher tão especial?

A sucessora é um romance envolvente escrito por Carolina Nabuco, uma das primeiras mulheres brasileiras a atuar como escritora. Publicado em 1934, alcançou grande sucesso editorial, recebendo várias reedições no Brasil. Em 1941, com o Oscar de melhor filme para Rebecca, a mulher inesquecível, do diretor Alfred Hitchcock, um debate internacional teve início: o romance que inspirou o filme, da inglesa Daphne du Maurier, publicado em 1938, teria sido plágio de A sucessora. A semelhança entre os romances foi reconhecida por críticos literários da época, e não se trata de mera coincidência: antes da publicação, Carolina Nabuco enviou ao agente literário da escritora inglesa os originais de seu livro, traduzidos por ela mesma para o inglês. Nabuco, contudo, preferiu evitar conflitos judiciais.

Décadas mais tarde, a narrativa de A sucessora foi adaptada para o formato de telenovela por Manoel Carlos e exibida com sucesso pela Rede Globo entre 1978 e 1979, tendo Susana Vieira no papel de Marina.”

 

Antes tarde do que ainda mais tarde: só ontem eu descobri a Editora Instante e esse resgate incrível do livro A Sucessora, de Carolina Nabuco, fora de catálogo há muito tempo! O romance ficou marcado por ter sido plagiado por Daphne Du Maurier no livro Rebecca, adaptado para o cinema por Hitchcock. Anos mais tarde, a história de Carolina Nabuco foi adaptada por Manoel Carlos como telenovela para a TV Globo.

 

Leia também: Foi plágio ou não foi plágio, mr. Hitchcock?, do site Publishnews.

 

Confusões à parte, a Editora Instante fez um trabalho lindíssimo trazendo de volta essa obra para as nossas estantes! Mesmo eu, que tenho um exemplar mais antiguinho deste livro fiquei muito interessada em adquirir esta nova edição. Quer saber mais? Leia um trecho de “A Sucessora”, clicando aqui.

 

 

SOBRE A AUTORA: Carolina Nabuco nasceu no Rio de Janeiro, em 1890. Passou a adolescência nos Estados Unidos, onde o pai, o estadista e abolicionista Joaquim Nabuco, era embaixador do Brasil. Tornou-se importante escritora já ao publicar seu primeiro livro: a biografia de seu pai, em 1928, obra que no ano seguinte receberia o Prêmio de Ensaio da Academia Brasileira de Letras.

Apesar da educação recebida no exterior, possuía um espírito altamente brasileiro. Atuou como escritora e tradutora e levou uma vida discreta. Não se casou nem teve filhos.

Além de A vida de Joaquim Nabuco e de A sucessora, é também autora, entre outros livros, de Chamas e cinzas (romance, 1947), Visão dos Estados Unidos (viagem, 1953), Santa Catarina de Sena (biografia, 1957), A vida de Virgílio de Melo Franco (biografia, 1962), Retrato dos Estados Unidos à luz da sua literatura (crítica literária, 1967), O ladrão de guarda-chuva e dez outras histórias (coletânea de contos, 1969) e Oito décadas (memórias, 1973).

Em 1978, recebeu o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra. Quatro anos depois, em agosto de 1981, faleceu em decorrência de um ataque cardíaco, aos 91 anos, em sua casa na rua Marquês de Olinda, no Rio de Janeiro.
 

 

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Título: A Sucessora
Autor: Carolina Nabuco
Editora: Instante
ISBN: 978-85-52994-02-2
Formato: 13,5 cm x 20,5 cm
Número de páginas: 200
Edição: 1a
Ano de lançamento: 2018

 

Compre o seu exemplar no site da Editora Instante, clique aqui.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por