agosto 11, 2017

[RESENHA] UM AMOR APAIXONADO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Prudence não é prudente. Ao contrário do que seu nome indica, ela anseia por aventura. Dona de um espírito livre e apaixonado, ela é a menos tradicional filha de um duque inglês. Desde menina sonhava conhecer os mistérios do Oriente, e sua amizade com o príncipe Bahman Al Kaled, iniciada ainda na infância de forma inusitada, a fez desenvolver verdadeira obsessão pela Arábia. Quando surge a oportunidade perfeita para realizar seu sonho de viajar até lá, Prudence é obrigada a ficar sob a tutela e proteção de um príncipe arrogante, insuportável e irresistível!”

 

Um Amor Apaixonado é o terceiro e último livro da série Amores, da escritora paulista Silvia Spadoni, publicado pelo selo Revelações da Pedrazul Editora. Eu adorei os outros dois livros (Um Amor Conquistado e Um Amor Inesperado), mas a história de Prudence e Tárik ganhou meu coração e esse livro tornou-se o meu favorito absoluto da série e um dos favoritos da vida.

A história de Prudence difere das outras protagonistas da série Amores, pois ela pertence a uma família feliz e abastada, portanto não está passando por privações financeiras ou está nas mãos de um terrível tutor. Na festa de apresentação de sua irmã Priscila à sociedade, Prudence, que não participaria do evento, não se conformou em ficar em casa. Subiu em uma árvore e ficou admirando tudo de longe (a festa foi realizada no jardim). Um ato falho e ela se desequilibrou, caindo em cima de Bahman, um príncipe do oriente, grande amigo de seu irmão. Ali nasceu uma bela amizade entre os dois, pois Prudence mostrara ao príncipe grande interesse sobre a cultura árabe, surpreendendo-o com sua curiosidade e simpatia.

Anos depois, eles se encontram novamente, no casamento de Priscila, e Bahman promete que um dia convidaria Prudence para visitar o seu palácio. Na ocasião, ela conhece o irmão mais novo de Bahman, Tárik, que tem certa antipatia pelos ingleses. Para Tárik, os ingleses os achavam bárbaros, mas Prudence não tinha esse preconceito: havia entre ela e Bahman uma amizade sincera e ela era fascinada pelos mistérios da terra de Sherazade.

No casamento do príncipe Bahman, Prudence é convidada a ir ao oriente com seu irmão Phillip e a esposa dele, que não pôde fazer a longa e cansativa viagem, pois estava grávida. Prudence segue com a comitiva, mas acaba tendo que atravessar o deserto com Tárik, pois havia uma ameaça de sequestro por parte de opositores políticos ao governo do califa Kassim Al Kaled, pai dos príncipes.

Aí, minha gente, a história torna-se irresistível. Prudence vinha sonhando com o céu estrelado da Arábia há anos, e ela o conhece. E também ao amor.

Tárik surpreende-se com a moça inglesa, que em nada parecia com as inglesas que ele conheceu em sua traumática passagem pela terra da rainha. O príncipe era filho de uma nobre daquele país, portanto, era irmão de Bahman apenas por parte de pai.

O envolvimento entre os dois foi inevitável. Embora tudo tivesse sido planejado para que a honra de Prudence não fosse maculada, uma tempestade de areia atrasou a chegada dos dois no palácio do reino Al-Andalus e um casamento era a solução ideal para evitar conflitos políticos, dentre outros aborrecimentos. Contudo, Prudence queria casar-se por amor e ser amada apaixonadamente por seu marido. Já Tárik precisaria superar o ocorrido anteriormente em sua passagem pela Inglaterra e abrir seu duro coração ao amor. Seriam os dois capazes de superar tantas coisas, inclusive a barreira cultural existente, e ficarem juntos?

 

“- Eu a confio a você, príncipe Tárik, cuide dela e proteja-a com se fosse eu – disse Phillip.

– Como a minha própria vida – respondeu o árabe com a mão no coração. – Não se preocupe, eu cuidarei dela – e dizendo isso estendeu a mão para que Prudence se apoiasse nele e o seguisse.

Atônita e com o coração aos pulos, ela sentou-se no parapeito da janela, segurou a mão do príncipe, fechou os olhos e saltou para o desconhecido.”

 

“Tárik a segurou com força junto a si, não podia permitir que ela se afastasse, seu corpo não suportaria a ausência do dela.

E Prudence não queria se afastar, enfim ela havia encontrado seu lugar… ali, nos meio do deserto, nos braços daquele homem…”

 

“- Tárik?

– Sim, habib…

– Nós fomos ao céu?

Rindo, ele a beijou suavemente na ponta do nariz e nas pálpebras ainda fechadas.

– Sim, habib, nós fomos…

– Leve-me novamente?

Ela não precisou pedir outra vez, com um gemido ele a enlaçou.”

 

 

Quando a Pedrazul divulgou os lançamentos do selo Revelações, lembro-me que uma pessoa questionou o título desse livro: não seriam todos os amores, principalmente os narrados em histórias românticas, apaixonados? Confesso que fiquei com isso na cabeça e lendo o livro eu entendi. Existe sim um amor apaixonado. Prudence e Tárik nos mostram bem como é. Leia a história e depois me conte, você também vai perceber. Enquanto isso, eu fico aqui sonhando com o céu estrelado do oriente…

 

 

 

Título: Um Amor Apaixonado (Série Amores, livro 3)
Autora: Silvia Spadoni
Editora: Pedrazul
Páginas: 200

 

Compre no site da Pedrazul Editora e ganhe lindos marcadores: clique aqui.

Compre em e-book na Amazon (disponível para os assinantes Kindle Unlimited): clique aqui.

 

 

P.s.: Não bastasse a história ser lindíssima, ainda tenho a honra e o privilégio de ter esse livro autografado em minha estante! Presentão da Silvia Spadoni, como vocês podem ver no momento ostentação abaixo.

 

agosto 09, 2017

[LANÇAMENTO] A PEQUENA DORRIT, DE CHARLES DICKENS

Sinopse: “O mundo de Amy Dorrit era a prisão dos devedores de Marshalsea, onde ela nasceu e cresceu. Filha de William Dorrit, um cavalheiro culto que estava preso por dívidas havia anos, a humilde e dedicada jovem vê sua história mudar quando começa a trabalhar como costureira para uma excêntrica dama de Londres, Mrs. Clennan, mãe de Arthur Clennan, um cavalheiro generoso e inconformado com as injustiças sociais. Quando Mr. Clennam retorna à Inglaterra depois de muitos anos no exterior, ele desenvolve um interesse por Amy e pelos assuntos do seu pai. Mas Arthur logo descobre que a sombra escura da prisão  estende-se muito além de seus muros.”

 

Já está em pré-venda a tão aguardada edição em língua portuguesa do clássico de Charles Dickens, A Pequena Dorrit! Você pode reservar o seu exemplar neste link. Uma novidade é que a edição Pedrazul será em capa dura e com as ilustrações originais! Edição de colecionador com todo o cuidado editorial que nós leitores merecemos!

 

A Pequena Dorrit foi publicado originalmente entre 1855 e 1857 na Inglaterra e é uma obra de sátira sobre as deficiências do governo e da sociedade do período. O tema central é a carceragem dos endividados, fossem eles incultos ou cultos, pois eram incapazes de trabalhar até que tivessem suas dívidas quitadas. A prisão, neste caso, é a dos Devedores de Marshalsea, onde o próprio pai do autor, John Dickens, tornou-se um “residente” por alguns meses, em 1824, trazendo humilhação para toda a família. Fonte: Pedrazul Editora.

 

 

Ficha técnica:

Tradução: Andrea Carvalho
Peso: 1,5kg
Largura: 16 cm
Altura: 23 cm
Profundidade: 5cm
ISBN: 978-85-66549-40-9
Número de páginas: 852
Idioma: português
Acabamento: Capa dura

 

P.s.: Para quem não conhece, deixo a indicação da premiada adaptação da BBC, Little Dorrit (2008)que tem no elenco Matthew Macfadyen, como Arthur Clennam; Claire Foy, como Amy Dorrit, dentre outros atores consagrados. Foi pela série que eu conheci essa maravilhosa história de Dickens e estou certa de que a leitura do clássico será ainda melhor. Veja o trailer abaixo (sem legendas):

 

 

Little Dorrit, BBC 2008: grande elenco. Fonte da imagem: BBC One.

julho 28, 2017

[LANÇAMENTO] QUANDO OS CÉUS CONSPIRAM, DE CHIRLEI WANDEKOKEN

 

Já está disponível em e-book na Amazon o novo lançamento de Chirlei Wandekoken, Quando os Céus Conspiram! Essa é mais uma história do universo do Quarteto do Norteiniciado com A Estrangeira. Você pode adquirir o livro em formato digital neste link ou ler gratuitamente pelo kindle unlimited. Veja a sinopse abaixo:

 

Ela sabia fazer sexo, mas ele ensinou-a a fazer amor!

Inspirado na história real de Charlotte Hayes (século XVII), uma linda cortesã de um bordel londrino conhecido como “convento”, Quando os Céus Conspiram narra as histórias de Amy Hayes e o conde Filippo Raspail.

A linda camponesa escapara de ser estuprada por lorde Patchetts para dois anos depois ser violentada pelo filho bêbado de um fazendeiro. Desonrada, ela se muda para Londres em busca de trabalho. Mas Amy era bonita demais para ser empregada de uma dama. Ninguém queria aquela ameaça em sua casa. Restara a ela, portanto, A Casa das Damas, um conhecido bordel londrino que mantinha carruagem e criados de libré para suas damas da noite que eram ensinadas a se portarem como educadas ladies. Quando o visconde de Beauchamp, um dos lordes mais terríveis de Londres, tornara-se seu protetor, Amy caíra em total desgraça. Obrigada a ir com ele para Paris, num esquema de traição à Coroa Britânica, ela é salva por um cavalheiro quando tentava se matar no rio Sena.

Filippo Raspail era um nobre que, como Amy Hayes, tivera um passado tremendamente infeliz. Tudo que ele queria era cumprir seus dias na terra para finalmente encontrar sua amada Juillet no outro lado do desconhecido. Morta há mais de 20 anos, ele se enterrava com ela, pois a amargura o consumia dia após dia. Quando os céus conspiraram a favor deles, Amy, que odiava todos os homens, tivera que aprender que nem todos eles eram bestas, como ela os chamava, e Raspail que a vida podia não ser tão lúgubre assim.

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por