Maio 23, 2018

[RESENHA] ESCREVI ISSO PRA VOCÊ, DE IAIN S. THOMAS

Sinopse: “Escrevi isso pra você é uma coletânea de poemas contemporâneos sobre os diversos momentos do amor: a paixão e o encantamento dos primeiros tempos, o lento afastamento, a solidão a dois, a dor do fim e a esperança de novos começos.

Reunindo cerca de 200 textos divididos em quatro partes – Sol, Lua, Estrelas, Chuva –, o poeta sul-africano Iain S. Thomas combina palavras profundas e intensas com fotografias frias e impessoais. O resultado é um livro que provoca uma explosão de sentimentos perturbadores e conflitantes, mas totalmente familiares a qualquer pessoa que já tenha amado e sofrido pelo menos uma vez.

Conhecido nas redes sociais pelo pseudônimo pleasefindthis , o autor começou sua trajetória na internet, publicando poemas e fotos em seu blog pessoal. Com o tempo, seu trabalho ganhou repercussão, se transformou em livro e encantou milhares de leitores ao redor do mundo.

Com extrema delicadeza, Escrevi isso pra você expõe a natureza frágil das relações humanas e as nuances líricas e obscuras do amor.”

 

O primeiro livro de poemas que eu resenhei aqui no blog foi a antologia poética da Florbela Espanca. Ainda hoje, mesmo tendo publicado outras resenhas de livros desse gênero, tenho certo desconforto em nomear os textos de resenha. Não sei se o que faço, em relação, sobretudo, aos livros de poesia, é resenha, mas insisto em dar destaque e também em continuar falando sobre essas publicações que têm o poder de nos deixar sem palavras. Mais que isso: livros que têm o poder de dizer todas as palavras, certas ou erradas, que precisamos para continuar seguindo em frente, ou para nos sentirmos iguais.

A editora Sextante lançou recentemente no Brasil o livro Escrevi isso pra você, do escritor Iain S. Thomas, um poeta de muita sensibilidade que começou divulgando seu trabalho nas redes sociais sob o pseudônimo pleasefindthis. Recebi o exemplar como cortesia da editora e simplesmente devorei o livro em poucas horas. Combinando fotografias e poemas, o autor traz temas como amor, relacionamentos, amizade, autoconfiança, vida, morte e esperança.

 

Foi uma grata surpresa, pois eu não conhecia o escritor, inédito em português até pouco tempo. A poesia dele é acessível, usa palavras simples, porém certeiras e não se prende a estilística. O lindo da poesia contemporânea é que ela pode florescer sem imitar moldes, ela simplesmente acontece da alma do poeta.

Iain S. Thomas fala sobre o humano. E de uma forma verdadeiramente única. Seus poemas são como um espelho, um sopro de empatia em nossos ouvidos. Escrevi isso pra você é um livro para unir pessoas independente de suas diferenças, pois consegue atingir o ponto em que somos realmente todos iguais: a nossa condição de indivíduos que, fatalmente, vão amar e sofrer no mínimo uma vez durante a vida.

 

“Não sei se você sentiu

a mesma coisa ou não.

 

Mas eu senti que

éramos duas pessoas

se beijando depois de

horas pensando nisso.

 

Senti que éramos

duas pessoas

conversando depois

de noites em silêncio.

 

Senti que éramos

duas pessoas se

tocando depois de

semanas anestesiadas

 

Senti que éramos

duas pessoas se

olhando depois de

meses virando o rosto.

 

Senti que éramos

duas pessoas amando

depois de anos de solidão.

 

E senti que éramos

duas pessoas se

encontrando depois

de uma vida de desencontros.

 

(A esquina de nós dois)

 

 

SOBRE O AUTOR: Iain S. Thomas é escritor, artista de novas mídias e autor de diversos livros. Seu maior sucesso, Escrevi isso pra você, foi originalmente publicado em plataformas on-line. Na vanguarda da poesia popular contemporânea, o projeto que unia poemas e fotografias se tornou um fenômeno mundial e rompeu as barreiras do universo virtual.

Quando não está escrevendo, desenhando ou trabalhando, Iain passa seu tempo com a família ao ar livre na Cidade do Cabo, na África do Sul.

 

 

Leia um trecho de Escrevi isso pra você clicando aqui.

 

 

Título: Escrevi isso pra você

Autor: Iain S. Thomas

Tradução: Ana Guadalupe

Editora: Sextante

Páginas: 208

 

Compre na Amazon: Escrevi isso pra você.

Março 29, 2018

[RESENHA] O QUE O SOL FAZ COM AS FLORES, DE RUPI KAUR

Sinopse: “Da mesma autora de outros jeitos de usar a boca, o que o sol faz com as flores é uma coletânea de poemas arrebatadores sobre crescimento e cura. Ancestralidade e honrar as raízes. Expatriação e o amadurecimento até encontrar um lar dentro de você. Organizado em cinco capítulos e ilustrado por Rupi Kaur, o livro percorre uma extraordinária jornada dividida em murchar, cair, enraizar, crescer, florescer. Uma celebração do amor em todas as suas formas. Essa é a receita da vida minha mãe disse me abraçando enquanto eu chorava pense nas flores que você planta a cada ano no jardim elas nos ensinam que as pessoas também murcham caem criam raiz crescem para florescer no final.”

 

O que o sol faz com as flores não foi, para mim, uma leitura de impacto como a coletânea anterior de Rupi Kaur, Outros jeitos de usar a boca. Fiquei refletindo sobre isso alguns minutos antes de começar a escrever essa resenha quando percebi, com alegria, que o choque do qual eu senti falta já tinha acontecido com o primeiro livro.

O que o sol faz com as flores segue a mesma linha de Outros jeitos de usar a boca, acrescentando outros temas, como a imigração e o infanticídio feminino na Índia, por exemplo. São poesias de vivências, sobretudo de vivências que nos mostram que alguns sentimentos são mais comuns entre as mulheres do que gostaríamos.

 

O que o sol faz com as flores é uma

coletânea de poesias sobre

a dor

o abandono

o respeito às raízes

o amor

e o empoderamento

é dividido em cinco partes

murchar. cair. enraizar. crescer. e florescer.

sobre o livro”

 

por que girassóis ele me pergunta

Eu aponto para o campo amarelo

os girassóis adoram o sol eu digo

quando o sol sai eles se erguem

quando o sol vai embora

eles baixam a cabeça de tristeza

é o que o sol faz com as flores

é o que você faz comigo.

o sol e suas flores”

 

 

Quando eu li Outros jeitos de usar a boca, disse que “cada homem que eu beijei está aqui nesse livro. Meu pai está nesse livro, minha mãe também. As mulheres da minha família estão aqui. Minha filha está aqui, assim como o pai dela. Mas o melhor de tudo é que eu também estou nesse livro. Acho que você também pode estar.”. Essas palavras também se aplicam a O que o sol faz com as flores, com uma adição: as poesias de Rupi Kaur surpreendem, mesmo com a simplicidade aparente dos versos, ao mostrar que não estamos sozinhas. Também comigo. Também com você. Também podemos fazer diferente.

Enquanto houver ar

em nossos pulmões —

precisamos continuar dançando.”

 

Título: O que o sol faz com as flores

Autora: Rupi Kaur

Tradução: Ana Guadalupe

Editora: Planeta

Páginas: 256

Compre na Amazon: O que o sol faz com as flores.

Fevereiro 23, 2018

[RESENHA] A PRINCESA SALVA A SI MESMA NESTE LIVRO, DE AMANDA LOVELACE

Sinopse: “Amor e empoderamento em versos que levam os contos de fada à realidade feminina do século XXI. A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace, é comparado ao fenômeno editorial “Outros jeitos de usar a boca”, de Rupi Kaur, com o qual compartilha a linguagem direta, em forma de poesia, e a temática contemporânea. É um livro sobre resiliência e, sobretudo, sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Não à toa A princesa salva a si mesma neste livro ganhou o prêmio Goodreads Choice Award, de melhor leitura do ano, escolha do público. Esta é uma obra sobre amor, perda, sofrimento, redenção, empoderamento e inspiração. Dividido em quatro partes (“A princesa”, “A donzela”, “A rainha” e “Você”), o livro combina o imaginário dos contos de fada à realidade feminina do século XXI com delicadeza, emoção e contundência. Amanda, aclamada como uma das principais vozes de sua geração, constrói uma narrativa poética de tons íntimos e cotidianos que acolhe o leitor a cada verso, tornando-o cúmplice e participante do que está sendo dito.”

 

Depois de ler Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur, inevitavelmente passei a procurar por mais leituras sobre feminismo que ao invés de didáticas, promovessem, nem que por alguns minutos, uma jornada de autoconhecimento. E o livro de Amanda Lovelace acertou bem naquele ponto mais dolorido da minha existência: as memórias.

A princesa salva a si mesma neste livro fala sobre autodescobrimento e todo o processo às vezes doloroso que precisamos enfrentar para chegar lá. As quatro partes do livro são uma narrativa sobre esse processo e os versos ágeis de Amanda Lovelace são o fio condutor que não nos permite abandonar a leitura até que seja avistado o destino, a última palavra. Foi uma leitura que eu fiz em menos de uma hora e depois precisei voltar e voltar para o livro, por mais que as palavras estivessem ainda frescas na minha memória.

Falando em memória, eu me reconheci nas palavras da filha que perdeu a mãe antes mesmo que a morte conseguisse levá-la. A tragédia que pode ser o câncer, que pode fazer uma mãe esquecer uma filha, foi uma das coisas mais dolorosas que eu já li até hoje, pois aconteceu comigo. Como pode uma doença fazer uma mulher esquecer alguém que saiu do seu próprio corpo? Como pode um indivíduo se encontrar no mundo sem a sua pedra fundamental, sua mãe?

 

“Quando sua mãe

Começa a esquecer

seu nome,

você começa

a se perguntar

se existe mesmo

afinal.

 

— estágio 4, terminal.”

 

Este é um livro de impacto, especialmente para mulheres. No entanto, recomendo fortemente que você o inclua em sua lista de leitura. Sabemos que a vida não é fácil, sobretudo se você nasce mulher em uma sociedade que ainda caminha a passos de tartaruga preguiçosa no quesito igualdade de gênero. Leituras assim provam que existem outras mulheres que também sofrem, sofreram e também deram a volta por cima. Amanda Lovelace conseguiu criar algo poderoso, assim como Rupi Kaur, Angélica Freitas e muitas outras autoras que, usando de seu lugar de fala, conseguem tocar a nossa memória, alma e coração.

 

“a princesa

pulou da

torre

& ela

aprendeu

que podia

voar

desde o começo.

— ela nunca precisou daquelas asas.”

 

 

Você pode comprar esse livro com um ótimo desconto usando cupons da Saraiva ou da Livraria Cultura, neste link.

 

Título: A princesa salva a si mesma neste livro
Autora: Amanda Lovelace
Tradução: Izabel Aleixo
Editora: Leya
Páginas: 208

Disponível na Amazon: A princesa salva a si mesma neste livro.

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPressDesenvolvido por