junho 19, 2018

[RESENHA] A BRUXA NÃO VAI PARA A FOGUEIRA NESTE LIVRO, DE AMANDA LOVELACE

Sinopse: “Aqueles que consideram “bruxa” um xingamento não poderiam estar mais enganados: bruxas são mulheres capazes de incendiar o mundo ao seu redor. Resgatando essa imagem ancestral da figura feminina naturalmente poderosa, independente e, agora, indestrutível, Amanda Lovelace aprofunda a combinação de contundência e lirismo que arrebatou leitores e marcou sua obra de estreia, A princesa salva a si mesma neste livro, cujos poemas se dedicavam principalmente a temas como relacionamentos abusivos, crescimento pessoal e autoestima. Agora, em A bruxa não vai para a fogueira neste livro, ela conclama a união das mulheres contra as mais variadas formas de violência e opressão. Ao lado de Rupi Kaur, de Outros jeitos de usar a boca e O que o sol faz com as flores, Amanda é hoje um dos grandes nomes da nova poesia que surgiu nas redes sociais e, com linguagem direta e temática contemporânea, ganhou as ruas. Seu A bruxa não vai para a fogueira neste livro é mais do que uma obra escrita por uma mulher, sobre mulheres e para mulheres: trata-se de uma mensagem de ser humano para ser humano – um tijolo na construção de um mundo mais justo e igualitário.”

 

Há séculos muitas mulheres queimaram em fogueiras sob a acusação de serem bruxas. As curandeiras, feiticeiras, médiuns, ou simplesmente mulheres que tinham um conhecimento a frente de seu tempo, ou mesmo não se curvavam aos desmandos de sua sociedade, eram torturadas e mortas. Alguns homens também tiveram semelhante destino em épocas passadas, mas a fogueira era delas e para elas, as bruxas.

Agora, no século XXI, era da informação, as fogueiras não existem mais. Pelo menos não do jeito que existiam na Idade Média. Hoje a fogueira é simbólica e às bruxas é, em algumas vezes, assegurado o direito de apagar o fósforo.

Neste novo livro, Amanda Lovelace discorre, em poesia, sobre as fogueiras modernas. A fogueira do machismo, do abuso. Toda vez que uma de nós tem medo de sair sozinha à noite, a fogueira é acesa. Toda vez que precisamos provar além da conta o nosso valor, unicamente por sermos mulheres, a fogueira é acesa. No entanto, cada mulher que se arma e luta, por si e por suas irmãs, apaga o fósforo e vence a fogueira.

 

Leia também: A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace.

 

 

“Ser uma

mulher

é estar

pronta para a guerra,

sabendo

que todas as probabilidades

estão

contra você.

— & nunca desistir apesar disso.”

 

“batom vermelho

um sinal externo

do fogo

interno.

— tentamos avisar você.”

 

A bruxa não vai para a fogueira neste livro é dividido em quatro unidades temáticas, O julgamento, A queima, A tempestade de fogo e As cinzas. É uma boa leitura para quem gosta de poesia contemporânea envolvendo a temática de empoderamento, especialmente feminismo. É também um ótimo lembrete de que as bruxas modernas estão mais poderosas do que nunca.

 

 

Título: A bruxa não vai para a fogueira neste livro

Autora: Amanda Lovelace

Tradução: Izabel Aleixo

Editora: Leya

Páginas: 201

Compre na Amazon: A bruxa não vai para a fogueira neste livro.

 

Caso tenha interesse: Lista de pessoas executadas por acusação de bruxaria.

maio 23, 2018

[RESENHA] ESCREVI ISSO PRA VOCÊ, DE IAIN S. THOMAS

Sinopse: “Escrevi isso pra você é uma coletânea de poemas contemporâneos sobre os diversos momentos do amor: a paixão e o encantamento dos primeiros tempos, o lento afastamento, a solidão a dois, a dor do fim e a esperança de novos começos.

Reunindo cerca de 200 textos divididos em quatro partes – Sol, Lua, Estrelas, Chuva –, o poeta sul-africano Iain S. Thomas combina palavras profundas e intensas com fotografias frias e impessoais. O resultado é um livro que provoca uma explosão de sentimentos perturbadores e conflitantes, mas totalmente familiares a qualquer pessoa que já tenha amado e sofrido pelo menos uma vez.

Conhecido nas redes sociais pelo pseudônimo pleasefindthis , o autor começou sua trajetória na internet, publicando poemas e fotos em seu blog pessoal. Com o tempo, seu trabalho ganhou repercussão, se transformou em livro e encantou milhares de leitores ao redor do mundo.

Com extrema delicadeza, Escrevi isso pra você expõe a natureza frágil das relações humanas e as nuances líricas e obscuras do amor.”

 

O primeiro livro de poemas que eu resenhei aqui no blog foi a antologia poética da Florbela Espanca. Ainda hoje, mesmo tendo publicado outras resenhas de livros desse gênero, tenho certo desconforto em nomear os textos de resenha. Não sei se o que faço, em relação, sobretudo, aos livros de poesia, é resenha, mas insisto em dar destaque e também em continuar falando sobre essas publicações que têm o poder de nos deixar sem palavras. Mais que isso: livros que têm o poder de dizer todas as palavras, certas ou erradas, que precisamos para continuar seguindo em frente, ou para nos sentirmos iguais.

A editora Sextante lançou recentemente no Brasil o livro Escrevi isso pra você, do escritor Iain S. Thomas, um poeta de muita sensibilidade que começou divulgando seu trabalho nas redes sociais sob o pseudônimo pleasefindthis. Recebi o exemplar como cortesia da editora e simplesmente devorei o livro em poucas horas. Combinando fotografias e poemas, o autor traz temas como amor, relacionamentos, amizade, autoconfiança, vida, morte e esperança.

 

Foi uma grata surpresa, pois eu não conhecia o escritor, inédito em português até pouco tempo. A poesia dele é acessível, usa palavras simples, porém certeiras e não se prende a estilística. O lindo da poesia contemporânea é que ela pode florescer sem imitar moldes, ela simplesmente acontece da alma do poeta.

Iain S. Thomas fala sobre o humano. E de uma forma verdadeiramente única. Seus poemas são como um espelho, um sopro de empatia em nossos ouvidos. Escrevi isso pra você é um livro para unir pessoas independente de suas diferenças, pois consegue atingir o ponto em que somos realmente todos iguais: a nossa condição de indivíduos que, fatalmente, vão amar e sofrer no mínimo uma vez durante a vida.

 

“Não sei se você sentiu

a mesma coisa ou não.

 

Mas eu senti que

éramos duas pessoas

se beijando depois de

horas pensando nisso.

 

Senti que éramos

duas pessoas

conversando depois

de noites em silêncio.

 

Senti que éramos

duas pessoas se

tocando depois de

semanas anestesiadas

 

Senti que éramos

duas pessoas se

olhando depois de

meses virando o rosto.

 

Senti que éramos

duas pessoas amando

depois de anos de solidão.

 

E senti que éramos

duas pessoas se

encontrando depois

de uma vida de desencontros.

 

(A esquina de nós dois)

 

 

SOBRE O AUTOR: Iain S. Thomas é escritor, artista de novas mídias e autor de diversos livros. Seu maior sucesso, Escrevi isso pra você, foi originalmente publicado em plataformas on-line. Na vanguarda da poesia popular contemporânea, o projeto que unia poemas e fotografias se tornou um fenômeno mundial e rompeu as barreiras do universo virtual.

Quando não está escrevendo, desenhando ou trabalhando, Iain passa seu tempo com a família ao ar livre na Cidade do Cabo, na África do Sul.

 

 

Leia um trecho de Escrevi isso pra você clicando aqui.

 

 

Título: Escrevi isso pra você

Autor: Iain S. Thomas

Tradução: Ana Guadalupe

Editora: Sextante

Páginas: 208

 

Compre na Amazon: Escrevi isso pra você.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPressDesenvolvido por