setembro 12, 2017

[ETC.] SORTEIO DO DESAPEGO

 

Quantas edições de um mesmo livro, às vezes da mesma tradução, eu preciso ter em minha estante?

Troco muitos livros pelo Skoob, mas selecionei alguns para sortear aqui no blog por serem edições queridas de livros muito bons. Orgulho e Preconceito, por exemplo, é um campeão de audiência na minha estante (e no meu coração): seguramente eu posso desapegar de uma das edições que tenho. Anne de Green Gables eu estava guardando apenas pela capa, já que ganhei um novo exemplar da Pedrazul Editora, pois fiz parte da comissão de capa da segunda edição. Ao invés de colecionar livros repetidos, espero que alguém que ainda não tenha alguns desses títulos possa se apaixonar também por essas histórias.

Veja as regras do sorteio abaixo e participe! Dúvidas ou outras informações, basta deixar um comentário abaixo.

 

 

Regras:

  • O  sorteio será válido apenas em território nacional (Brasil);
  • Os livros estão em ótimo estado de conservação, contudo são usados, do meu acervo pessoal;
  • Será sorteado 1 (um) exemplar de cada livro (foto acima) e eles serão enviados com marcadores diversos do Blog Tamires de Carvalho e parceiros;
  • O Blog Tamires de Carvalho custeará o envio do prêmio, via Correios, ao sorteado (a) apenas no primeiro envio. Caso haja algum problema com a entrega e o envelope seja devolvido, o ganhador (a) bancará a segunda remessa;
  • Serão 5 (cinco) ganhadores (um para cada livro): ganhador 1: Orgulho e Preconceito; ganhador 2: Razão e Sensibilidade; ganhador 3: Emma; ganhador 4: Anne de Green Gables; e, ganhador 5: Pamela. 
  • Os ganhadores têm o prazo de 48 horas para enviar o endereço para o envio do livro, via inbox das redes sociais do blog ou formulário de contato.

 

Concordando com os termos acima, basta participar seguindo os passos do formulário Rafflecopter abaixo. Cada passo garante um número de entradas para o sorteio, como em uma rifa. Você já estará participando seguindo um dos passos, entretanto quanto mais passos você realizar, maiores serão as suas chances de ganhar um dos livros!

 

a Rafflecopter giveaway

Abril 17, 2017

[RESENHA] PRIMEIRAS IMPRESSÕES, DE LAÍS RODRIGUES

Sinopse: “A surpreendente temporada de Mr. Darcy no Brasil! Charles Bing, um otimista incorrigível, decide que está na hora de internacionalizar a sua bem-sucedida cadeia de restaurantes nova-iorquina. Deseja começar pelo país que sempre incitou sua curiosidade: o Brasil. E nada melhor que Búzios, uma belíssima cidade turística no litoral do Rio de Janeiro. A fim de garantir que sua escolha será acertada, ele leva a tiracolo o seu melhor amigo, Frederick Darcy, um político americano de família conservadora, que se orgulha de ser um homem racional e prático. Mal sabem eles que, ao chegar à cidade paradisíaca, virarão alvo de Janaína Benevides, dona das pousadas mais requisitadas do balneário. Ela é mãe de quatro belas moças, que são, para sua tristeza, solteiras. Janaína preocupa-se, em especial, com a solidão de Jane e Lizzie Benevides, as mais velhas. Enquanto a primeira acaba se decepcionando em seus relacionamentos, por ser uma pessoa que sempre busca ver o melhor nas pessoas, a outra não deixa nenhum homem se aproximar.”

 

Primeiras Impressões é um romance escrito por Laís Rodrigues e que recentemente foi relançado pela Pedrazul Editora, inaugurando o selo Revelações. Aqui, temos uma apaixonante versão moderna do clássico de Jane Austen, Orgulho e Preconceito, nos cenários paradisíacos de Búzios-RJ e também em alguns lugares dos Estados Unidos.

 

Como fã de Jane Austen, não paro de me surpreender com a infinidade de versões e adaptações de seus livros, o que torna possível sempre ter algo novo para ler, dentro deste universo de poucos livros que a autora nos deixou. Contudo, mais interessante que descobrir um livro ou autora nova que consiga transparecer a essência de Austen, é surpreender-me com a releitura de uma releitura. E foi assim com o livro de Laís Rodrigues.

 

A primeira vez que li Primeiras Impressões, edição da Kiron Editora, lembro-me de ter ficado impressionada com a rapidez com que finalizei a história. Tratava-se de um enredo, embora previamente conhecido, instigante e, em certas partes, surpreendente. Na época, eu ainda tentava fugir de versões de livros de Jane Austen, pois havia tido uma grande decepção com o livro Cinquenta tons de Mr. Darcy, e Primeiras Impressões foi um dos livros que me ajudaram a perceber que sim, existem boas versões dos livros de Jane Austen.

 

Com o anúncio de uma nova edição que seria lançada pela Pedrazul Editora, voltei a lembrar da história e tive curiosidade de comparar as duas edições. Sabendo da qualidade editorial da Pedrazul, tinha certeza de que Primeiras Impressões, que já era bom, poderia ficar ainda melhor.

 

Até certo ponto a história lembra bastante Orgulho e Preconceito: Charles Bing chega a Búzios e causa alvoroço no lugar, especialmente entre os membros da família Benevides, haja vista que a matriarca, Janaína, logo tem o desejo de ver uma de suas filhas casada com o americano (rico). Junto a Charles, também conhecem o Brasil Caroline Bing e Frederick Darcy. Charles e a tímida Jane Benevides logo se envolvem em um romance, irremediavelmente apaixonados que ficam um pelo outro quase instantaneamente. Caroline, embora esnobada por Frederick, não perde uma chance de tentar chamar-lhe atenção. Já Frederick, muito a contragosto, impressiona-se com uma brasileira que não tem papas na língua, Liz Benevides. Liz antipatiza de cara com Frederick, mas até mesmo ela percebe o poder de seus olhos azuis enigmáticos… Some mais uma jovem Benevides rebelde e um outro americano lindo mas que pode não ser exatamente sincero e temos um resumo do início de Primeiras Impressões. Sim, porque tem muito mais nas páginas do livro de Laís Rodrigues. Pode parecer enredo da Quadrilha de Drumond, mas é a formula de um romance que há mais de duzentos anos conquista o coração de leitores mundo afora.

 

“Não sonhava com o príncipe encantado, pois acreditava que eles somente existiam em romances de Austen, das irmãs Brontë ou de Gaskell. Não havia um John Thornton no mundo real. Ele apenas vagava nos sonhos de jovens ingênuas.” (p. 9)

 

Laís consegue, além de transportar a história de Orgulho e Preconceito para a nossa época, fazê-lo de uma forma simples e natural. Mais que preconceito de classes, pois a família Benevides é bem estabelecida, embora não tão ricos quanto os Bing ou menos ainda, que os Darcy, a autora fala sobre o preconceito cultural entre os americanos do norte e os brasileiros, em que somos taxados de terceiro mundo, subdesenvolvidos etc. Desta forma, o enredo não ficou forçado e como as irmãs Liz e Jane Benevides estudaram e começam a fazer carreira nos Estados Unidos, a aproximação com os americanos no habitat deles também é bastante natural.

 

 

Já tenho (ou li) a edição antiga. Compensa ler (ou comprar) esta?

Recebi algumas mensagens com essa pergunta e já imaginava previamente, como disse acima, fazer um comparativo entre as edições. Posso dizer, verdadeiramente, que, se você leu a edição anterior e gostou da história, vale sim a pena ler essa edição da Pedrazul. Muito além do trabalho de capa, que está tão linda quando a edição anterior, a Pedrazul fez um ótimo trabalho com a edição e a revisão do livro. O texto, que já era bom, ficou mais agradável de ler. Sem contar que, comprando e lendo esta nova edição nós leitores estamos fazendo a engrenagem da literatura nacional girar o que ajuda e muito a editora e a escritora. Mais que ler brasileiros, precisamos ler brasileiros vivos e em atividade!

 

 

SOBRE A AUTORA

Laís Rodrigues é uma advogada de 30 anos que lê desde criança. Ao contrário da maior parte dos autores, nunca havia sonhado em escrever. No entanto, depois que começou, apaixonou-se totalmente pela escrita e, para a sorte do leitor, não consegue mais parar. Além de Primeiras Impressões, é dela também Do Outro Lado do Oceano, ambas adaptações contemporâneas de obras de Jane Austen, de quem é grande fã. Também é apreciadora da autora inglesa vitoriana Elizabeth Gaskell, principalmente de seu romance Norte e Sul, do qual já foi desafiada a escrever uma adaptação moderna, com uma Margareth Hale brasileira e a visita muito aguardada de Mr. Thornton ao Brasil. Ela é autora também de The Heart of Fire, fantasia para jovens adultos que faz parte da série The Elements. Laís é baiana e mora no Rio de Janeiro com o marido e dois gatos.

Veja mais sobre Laís Rodrigues na entrevista publicada no blog da Pedrazul Editora.

 

 

 

Título: Primeiras Impressões
Autora: Laís Rodrigues
Editora: Pedrazul
Páginas: 248

 

Compre no site da Pedrazul Editora e ganhe lindos marcadores!

Abril 03, 2017

[RESENHA] OS DARCYS DE DERBYSHIRE, DE ABIGAIL REYNOLDS

Sinopse: “Um conto de ‘Orgulho e Preconceito’, de Jane Austen.
Elizabeth Bennet anseia pela vista do topo das famosas Black Rocks, mas seus tios se recusam a permitir que escale sozinha até a rocha mais alta. A angústia de Elizabeth só piora com o fortuito encontro com o sr. Darcy — pelo menos até ele se oferecer para acompanhá-la ao topo. Mas mal sabia ela, as Black Rocks possuem um significado muito especial para ele. Enquanto Darcy conta-lhe a história da corte e casamento entre seus pais, Elizabeth, como a mãe de Darcy antes dela, é obrigada a confrontar o verdadeiro poder de família e destino no cume das Black Rocks.”

 

Como uma fã apaixonada por Jane Austen, sobretudo por um de seus romances mais famosos, Orgulho e Preconceito, é sempre uma felicidade encontrar histórias similares que usam os personagens do clássico, ambientados na época da história original ou nos dias de hoje.

Em Os Darcys de Derbyshire, Abigail Reynolds, uma grande fã de Austen que escreveu diversas variações de Orgulho e Preconceito, conta a história de amor dos pais do Sr. Darcy, Srta. Anne e James Darcy. Em poucas páginas, a autora consegue nos prender em uma história delicada e apaixonante sobre o casal, além de antecipar o desfecho amoroso entre Elizabeth Bennet e o Sr. Darcy.

Elizabeth Bennet, em viagem a Derbyshire com seus tios, os Gardners, tem um encontro nada casual com o homem de quem ela recusara o matrimônio, Sr. Darcy. Estando bastante animada e curiosa para explorar as paisagens das Black Rocks, ela aceita o convite de Darcy para subir até o penhasco, com a permissão dos tios.

No alto das Blacks Rocks, Darcy conta rapidamente a Elizabeth como se deu a união de seus pais. Contudo, tendo ele se expressado de forma que não era possível reconhecer a força e a sinceridade dos sentimentos de seu pai, a conversa se alonga até que ele possa explicar a história em detalhes.

James Darcy, ou melhor, Tenente Darcy, era o filho mais novo, portanto sem direito a herdar a grande propriedade de Pemberley. Entretanto, era muito amigo de seu irmão, apenas alguns minutos mais velho, seu gêmeo não idêntico George. Anne era irmã de um grande amigo de James Darcy, Francis Fitzwilliam, e conhecera James aos quatro anos, quando este o salvara de um afogamento. Desde então, mesmo sem manter contato próximo com ele, ela sonhava em um dia tornar-se esposa de James, uma fantasia infantil que ela verbalizava com tanta frequência que irritara seu pai, que a proibiu de sequer falar o nome de James, principalmente sendo ele o filho mais novo. O rapaz nunca seria um pretendente ideal para Anne.

Tendo-a conhecido, o Tenente soube instantaneamente que se casaria com ela. Estava decidido e seria apenas uma questão de tempo. Seria complicado sustentar um lar apenas com o soldo do exército, mas ele daria um jeito. Apaixonara-se por Anne e ela seria sua esposa.

Anne surpreendera-se com a rapidez com a qual James falara sobre casamento. Eles haviam dançado em um baile e no dia seguinte ele já mostrara-se decidido. Ela disse, então, que, apesar de ser filha de um conde, não tinha dote que valesse a pena, pois seu pai estava afundado em dívidas. Além do mais, ela já estava prometida a outro homem, como parte em um acordo financeiro firmado pelo pai. Entretanto, isso não importava a James, na verdade, ele não aceitava o fato de que ela se casaria com outro.

Mesmo um pouco assustada com aquela conversa, algo havia sido despertado no coração de Anne. Seu casamento estava sendo planejado sem o seu consentimento, sem que ela amasse o seu futuro esposo. E James parecia realmente completamente apaixonado por ela.

Assim a história vai se desenrolando e ficamos cada vez mais grudados nas páginas de Abigail Reynolds para saber como será que os dois conseguiram ficar juntos, pois isso nós sabemos que acontecerá.

Nas Black Rocks, Sr. Darcy e Elizabeth Bennet mal conseguem disfarçar os sentimentos que nutrem um pelo outro. No romance de Austen, ainda são necessárias muitas páginas depois da viagem até Derbyshire para que os dois se acertem. Neste conto, a história de Anne e James Darcy, especialmente a de James, que conta sobre como os Darcys se apaixonam rápido e perdidamente por uma única mulher, contribuiu para que o orgulho e o preconceito fossem superados e Elizabeth e o Sr. Darcy pudessem planejar o seu futuro juntos. Essa história é daquelas que têm poucas páginas, mas dizem tudo. Perfeita do tamanho que foi escrita e altamente recomendada para quem ama uma boa história de amor.

 

 

 

Título: Os Darcys de Derbyshire
Autora: Abigail Reynolds
Tradução: Carolina Yonemoto
Editora: White Soup Press
Páginas: 85

 

Compre na Amazon: Os Darcys de Derbyshire.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por