Maio 15, 2018

[RESENHA] LIÇÕES DE VIDA DAS GRANDES HEROÍNAS DA LITERATURA, DE ERIN BLAKEMORE

Sinopse: “Histórias de mulheres que inspiram o nosso dia a dia.

Um convite a participar de um verdadeiro encontro com mulheres que inspiram o nosso dia a dia: Jo March, Scarlett O’Hara, Lizzy Bennet entre outras.

O universo literário está repleto de heroínas inteligentes e destemidas que ganharam vida nas mãos de celebradas autoras. Assim como as mulheres de hoje, elas valorizavam sua personalidade, espiritualidade, carreira, amizade e família. Escritoras como Jane Austen e Louisa May Alcott deram força às suas opiniões diante de momentos difíceis, às vezes com palavras, outras vezes com atos de coragem.

Este livro encantador nos mostra a força e o poder encontrados nos clássicos. Um tributo único às suas escritoras e um presente extraordinário para mulheres de todas as idades.”

 

Eu sempre tive a literatura como um refúgio. Há alguns anos, era bem difícil encontrar alguém que compartilhasse — e amasse — as mesmas leituras que eu. Eram algumas amigas,  a bibliotecária da escola… e só. Felizmente, as redes sociais têm aproximado pessoas com os mesmos interesses e gostos e é bem legal viver uma época como esta. Basta não se ligar muito em polêmicas e discussões sem sentido que você consegue tirar muita coisa boa do facebook, por exemplo.

Mesmo assim, tem momentos que eu gosto de me encontrar com as amigas de outro tempo. Amigas de 200 anos ou mais. Amigas do meu próprio tempo ou do futuro.  Amigas da ficção. Elas são tão únicas e ao mesmo tempo tão iguais a mim ou a você que está lendo que é até assustador constatar esse fato. É mais ou menos sobre isso que trata o livro Lições de vida das grandes heroínas da literatura. Pode parecer um título bem simples de autoajuda, mas na verdade o livro é uma espécie de declaração de amor — e gratidão — à algumas de nossas grandes amigas literárias.

Dividido em doze ensaios temáticos, o livro de Erin Blakemore fala também sobre as heroínas de carne e osso que deram vida a personagens como Elizabeth Bennet, Jane Eyre, Scarlett O’Hara, Anne Shirley, Jo March, dentre outras. Cada capítulo mostra fatos da biografia das autoras e de suas personagens, apontando diferenças, mas, principalmente, semelhanças.

 

 

O livro é muito bem escrito e a edição da Casa da Palavra é uma gracinha. O único ponto negativo é que, a meu ver, faltou algo a mais nos ensaios. Um pouco mais de paixão nos textos, algo que nos prendesse mais ao livro. É importante salientar que, para quem não leu os romances citados neste livro, são feitas revelações significativas sobre os enredos deles. No entanto, particularmente, não acredito que podemos falar de spoiler a respeito de livros antigos e consagrados. Certos livros valem a pena mesmo que você saiba o enredo de cor e salteado, o que é o caso dos livros citados por Blakemore. Na verdade, o que ela diz em lições de vida das grandes heroínas da literatura só faz ter mais vontade de ler os romances, seja pelas personagens ou por suas autoras.

É um livro de autoajuda? Sim, em essência pode-se dizer que sim. Mas um livro que fala sobre livros, sobre lições de identidade, fé, felicidade, dignidade, laços de família, indulgência, luta, compaixão, simplicidade, determinação, ambição e mágica retiradas de grandes clássicos da literatura mundial e de suas autoras, verdadeiras heroínas em seus tempos! É uma leitura mais que recomendada e também um ótimo presente para leitoras e leitores amantes dos clássicos.

 

 

Título: Lições de vida das grandes heroínas da literatura

Autora: Erin Blakemore

Tradução: Alice Klesck

Editora: Casa da Palavra

Páginas: 249

Compre na Amazon: Lições de vida das grandes heroínas da literatura.

julho 30, 2016

[ETC.] MINHA PRIMEIRA CAIXINHA DA TAG – EXPERIÊNCIAS LITERÁRIAS

10464379_1594016357491514_6126916344911063848_n

Já tem um bocado de tempo que eu venho namorando uma assinatura da TAG – Experiências Literárias. Como neste mês de julho, para comemorar o aniversário dois anos, eles resolveram fazer uma edição especial e com desconto para os novos associados, resolvi me render e experimentar. E, olha, é mais legal do que eu imaginava!

 

Como funciona

A TAG funciona como uma espécie de clube do livro. Todo mês o associado recebe um livro surpresa, indicado por intelectuais de diversas áreas. Junto ao livro, recebemos também um marcador de páginas personalizado, uma revista falando sobre a obra enviada e algum “mimo” super especial. Aqui, o foco é na experiência proporcionada ao associado. Veja mais sobre na página da TAG Experiências Literárias.

 

Minha primeira caixinha, edição especial julho/2016

IMG_20160712_145801490

 Confesso que sou do tipo que fica toda animada quando ouve o carteiro chamar. Na maioria das vezes, a encomenda é livro, o que me deixa mega feliz, mas a caixinha da TAG é especial, é como receber um presente! Não é exagero e este não é um publipost. É realmente muito legal receber um produto idealizado e organizado com tanto carinho! Recebi, inclusive, uma carta de boas-vindas!

IMG_20160712_150212184

 

Custo x Benefício

Como já disse anteriormente, aproveitei a promoção de aniversário de dois anos da empresa para me associar, desta forma, minha primeira caixinha saiu com desconto. Atualmente o custo mensal é de R$ 69,90 com frete incluso. Em um primeiro momento o preço pode não parecer muito convidativo, mas a TAG não exige tempo mínimo de associação, ou seja, você pode cancelar a assinatura a qualquer momento, e caso desconfie que o livro do mês é algum que você já tenha, pode entrar em contato com eles que a situação é resolvida.

 

O livro de julho: O Vermelho e o Negro, de Stendhal

IMG_20160712_150936349

Acima, vocês podem perceber que esta é uma edição que não é encontrada nas livrarias. É uma edição exclusiva (lindíssima) e comemorativa. Segundo a TAG, outras edições exclusivas virão. Neste mês, acredito que em razão do livro ser exclusivo e tudo o mais, não veio o “mimo”. Mas tudo bem, estarei aguardando ansiosa a próxima caixinha!

 

Sobre O Vermelho e o Negro

“Publicado na França pós-napoleônica, O Vermelho e o Negro é um clássico da literatura mundial. A obra narra a trajetória de Julien Sorel, um ambicioso filho de carpinteiro que faz de tudo para ascender socialmente. Inferior de berço, precisa revestir a sua revolta com polidez, seus interesses com paixão, sua hipocrisia com inocência e assim lutar contra a opressão e os preconceitos da exclusivista sociedade francesa do início do século XIX.

Stendhal apresentou neste romance realista um narrador revolucionário para a época. Ao inserir o leitor na mente do protagonista, o escritor criou um estilo que mais tarde influenciou nomes como Flaubert e Dostoiévski. Ao unir profundidade psicológica à análise social, este livro firmou-se como um dos pilares do cânone ocidental, ainda sempre atual e inesgotável.” (Fonte: contracapa)

 

A revista da TAG é muito bem elaborada e bastante interessante. No meu caso, que ainda não pude ler o livro, deu para me ambientar na história e no contexto a qual ela pertence, além de conhecer o curador do mês, e saber sobre a próxima indicação. Para finalizar, compartilho aqui a Lista de Hemingway, que eu li na revista da TAG, em que o autor elenca dezessete livros essenciais para todos aqueles que desejam escrever bem. Dois desses livros foram escritos por Stendhal.

 

A Lista de Hemingway

Anna Kariênina, de Liev Tolstói

Longe e há muito tempo, de W. H. Hudson

Os Buddenbrook, de Thomas Mann

O morro dos ventos uivantes, de Emily Brontë

Madame Bovary, de Gustave Flaubert

Guerra e Paz, de Liev Tolstói 

A sportsman’s sketches, de Ivan Turguêniev

Os irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoiévski

Hail and farewell, de George Moore

As aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain

Winesburg Ohio, de Sherwood Anderson

A Rainha Margot, de Alexandre Dumas

A casa Tellier, de Guy de Maupassant

Dublinenses, de James Joyce

Autobiografias, de William Butler Yeats

O vermelho e o negro, de Stendhal

A cartuxa de parma, de Stendhal

 

Bom, preciso colocar as minhas leituras em dia, pois só li dois dos dezessete livros citados acima…

 

No mês de agosto, a curadora será Heloisa Seixas, que indicou um clássico nacional! Conheço um pouco o trabalho da curadora pois ela traduziu uma das edições que eu tenho do maravilhoso romance Jane Eyre! Não sei qual será o livro de agosto e também não pesquisei, para manter o suspense até o último segundo. Você saberia dizer qual é o livro com base no texto abaixo?

 

“Publicado na década de sessenta, a polêmica obra tem como protagonista um rico empresário carioca que, às vésperas do casamento da filha, desespera-se com o rumor de que o seu genro seja homossexual. Página a página, adentramos na intimidade deste homem e de sua família aparentemente comum, mas que esconde a sexualidade reprimida, o preconceito, o adultério, o incesto, a perversão e a hipocrisia.

Em uma narrativa ágil e viciante, percorremos conhecidos cenários cariocas e encontramos personagens comuns do nosso cotidiano, enquanto nos deparamos com grandes tabus da nossa sociedade; o leitor acompanha, cena após cena, essa despudorada literatura, que ousa falar de homossexualidade, incesto e traição em plena década de sessenta. Não é a toa que, poucos meses após a sua publicação, a obra foi censurada pela ditadura.”

 

ATUALIZAÇÃO: Veja a resenha do livro indicado pela Heloisa Seixas aqui.

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPressDesenvolvido por