dezembro 16, 2016

[RESENHA] COISA DE MENINA, DE PRI FERRARI

Em tempos de Escolas de Princesas, que têm como foco principal ensinar afazeres domésticos e noções de etiqueta para a formação de meninas do século XIX, descobri o livro Coisa de Menina, da autora Pri Ferrari. A publicação foi indicação do grupo Pac Mãe, no facebook.

Ainda hoje existe quem faz questão de restringir as meninas ao espaço doméstico. Sempre existiu coisa de menina, brincadeira de menina, geralmente um treinamento para a vida de dona de casa e mãe de família. Não é errado ensinar afazeres domésticos e permitir que as meninas brinquem de boneca, mas o comum é que não seja apresentado mais nada de interessante para que elas possam conhecer e brincar. É só ir a uma loja de brinquedos para perceber o abismo entre os brinquedos azuis e  rosas.

Pensando nisso, a Pri Ferrari idealizou o livro Coisa de Menina, com ilustrações que mostram que as meninas podem ser muitas coisas, o que elas quiserem! São 48 páginas de pura inspiração, recomendadas não só para meninas, mas para toda a família.

“O que é coisa de menina? Ora, isso é algo que toda menina (e todo menino) devia saber muito bem. Afinal, é na infância que a gente percebe que não existe regra e que todo mundo pode tudo: tem menino que gosta de brincar de casinha, tem menina que gosta de construir foguete. Por que, então, temos que nos adaptar a certos padrões de comportamento? Por que ainda dizem por aí que certas coisas não são apropriadas para mulheres? Este livro é para todos aqueles que acreditam na liberdade como a melhor escolha – e que têm certeza de que as meninas fizeram, fazem e farão muito mais.” (contracapa)

 

A primeira edição do livro foi viabilizada por meio de uma campanha no Catarse, com o apoio de 250 pessoas. Agora a publicação pode ser adquirida nas melhores livrarias e lojas online, pois foi lançada pela Companhia das Letras, em seu selo infantil Companhia das Letrinhas.

 

Sobre a autora: Pri Ferrari tem 27 anos e é paulistana. Escreveu e ilustrou Coisa de Menina, seu primeiro livro infantil. Acredita que o mundo pode ser um lugar melhor e está pronta para fazer a sua parte.

 

 

Título: Coisa de Menina
Autora: Pri Ferrari
Páginas: 48
Editora: Companhia das Letrinhas

 

Compre na Amazon: Coisa de Menina.

julho 02, 2016

[RESENHA] SÉRIE OLIVIA, DE IAN FALCONER

A dica hoje é para os papais que estão a procura de uma personagem tão encantadora (ou mais) que a Peppa Pig: a porquinha simpática da foto acima, Olivia, protagonista da série de livros e animação de autoria de Ian Falconer. Confira abaixo os títulos disponíveis em português, publicados pela Editora Globo.

 

Olivia

Olivia é uma porquinha bem sapeca, que agita sem parar, sonha alto e topa todos os desafios. É uma menina hiperbólica: prova todas as roupas do armário, canta a plenos pulmões, constrói castelos de areia iguais ao Chrysler Building, pinta a parede do seu quarto imitando Jackson Pollock (para desespero de sua mãe). O que ela detesta mesmo é tirar uma soneca. Mesmo na hora de dormir, continua firme e forte, barganhando com sua mãe o número de livros a serem lidos na cama.

De modo divertido e encantador, Ian Falconer ilustra a carvão sua pequena heroína em inúmeras situações e atividades, acentuando com guache vermelho-bombeiro suas roupas e objetos, como batom, fitas de cabelo, sapatos de salto alto, escova de dente etc. O texto é enxuto, engraçado e algumas vezes irônico em relação às ilustrações, criando uma interação causticamente humorística. Juntos, texto e ilustrações despertam sorrisos e risadinhas, que os adultos apreciarão tanto quanto as crianças. (Fonte: Livraria Travessa)

“Nos dias de chuva, Olivia gosta de ir ao museu.
vai direto ao seu quadro favorito.
Olivia olha para o quadro durante muito tempo.
O que ela poderia estar pensando?
Mas há um quadro que não a convence.
-Eu poderia pintar um quadro desses em cinco minutos – ela diz para a mãe.”

Olivia Ajuda no Natal

Olivia ajuda no Natal, de Ian Falconer — o segundo da famosa série Olivia (best-seller nos EUA) —, é um pequeno grande livro infantil, assim como sua pequena grande personagem central. Pequena, porque Olivia é pequena mesmo; grande, porque tem uma personalidade que não cabe no mundo. Ah, sim: resta dizer que se trata de uma porquinha. Segundo sua biografia, “Olivia é uma porquinha sapeca, que agita sem parar, sonha alto e topa todos os desafios. É uma menina hiperbólica: prova todas as roupas do armário, canta a plenos pulmões, constrói castelos de areia, pinta a parede do quarto… O que odeia mesmo é dormir”. Já o livro, com muitas imagens e pouco texto (destina-se a crianças em fase de alfabetização, entre 5 e 7 anos), é no entanto bastante equilibrado na qualidade deles: as ilustrações foram criadas em carvão e guache sobre papel (uma técnica artística clássica), enquanto a tradução ficou a cargo de Deisa Chamahum Chaves. Nesse episódio natalino, que começa depois de um dia exaustivo de compras típicas da época — de pinheirinho a presentinhos, presentes e presentões —, não faltam oportunidades para Olivia ajudar os pais. Por exemplo, pondo-se a alimentar seu irmão caçula, um bebê — que ela, ao lhe oferecer carinhosamente torta de amora, faz vomitar… Ou então tentando, claro, arrumar a árvore — e caprichando no enovelamento dos fios com lampadazinhas… Mas tudo termina muito bem, e, desta vez, com uma Olivia que, tão feliz quanto exausta, não titubeia em dormir. Nem que seja para continuar a festa sonhando… (Fonte: Globo Livros)

Olivia disse: “Agora é hora de esperar.”

Sua mãe disse: “Agora é hora de ir deitar.”

Mas Olivia não estava com sono nenhum.

Ela se mexia e virava…

de um lado para o outro.

Uma hora com calor.

Depois com frio.

Então ouviu alguma coisa no telhado.

Seria o Papai Noel???”

Olivia Perdeu Seu Brinquedo

Quem conhece os outros dois títulos da série infantil do autor e ilustrador Ian Falconer, Olivia e Olivia ajuda no Natal, provavelmente já virou fã desta graciosa porquinha incansável e incontrolável. Ela agita o tempo todo, não dá trégua a seus pais e aos dois irmãos e não quer saber de ir dormir. Cheia de energia, como toda criança, ela encanta os leitores com suas descobertas e com a capacidade de apresentar o ponto de vista infantil de uma forma singela e criativa.

Em Olivia perdeu seu brinquedo as crianças acompanham a solução de um mistério: o brinquedo favorito da porquinha sumiu sem deixar sinais. Preocupada, Olivia sai em busca de seu boneco, perguntando a todos sobre seu paradeiro e vasculhando mesmo os cantos mais assustadores de sua casa. Será que ela precisará substituir seu grande companheiro de aventuras imaginárias?

Com o peculiar traço do autor, as ilustrações (feitas em carvão e guache sobre papel) tornam ainda mais peculiar o universo da família de Olivia. (Fonte: Globo Livros)

 

“Olivia estava passeando de camelo no Egito…

… quando sua mãe a chamou.

-É hora de levantar, filhinha.

Hoje você tem futebol.

Olivia não gostava da cor verde do seu uniforme.

-Mamãe, você pode me fazer uma camisa de futebol vermelha como esta? Por favor…

-Mas você vai ficar diferente das outras jogadoras do time – disse a mãe.

-É isso o que eu quero!”

 

Olivia Não Quer Ser Princesa

Ser princesa é a fantasia de todas as meninas. Todas? Não é bem assim. Que o diga a porquinha Olivia! Inquieta como sempre, e desta vez mais inconformada do que nunca, ela enfrenta uma crise de identidade infantil. Todas as suas amigas só querem saber de ser princesa, com vestido cor-de-rosa e varinha de condão. Olivia se pergunta: por que é que todo mundo tem de pensar do mesmo jeito, vestir as mesmas roupas, sonhar os mesmos sonhos? Ela queria ser diferente. Mas o que Olivia quer ser? Na nova aventura da série criada por Ian Falconer – Olivia não quer ser princesa, título recém-lançado pela Globinho –, a contestadora porquinha descobre que a vida é cheia de alternativas. E, usando toda sua criatividade e rebeldia, perturba os pais falando sobre as possibilidades de escolha que mais combinam com seu jeito todo próprio de ser. O que, afinal, Olivia gostaria de ser? O “papo cabeça” de Olivia com os pais em meio à rotina da família é entremeado de cenas fantasiadas pela garotinha – tudo capturado pelo traço minimalista do autor na forma de ilustrações divertidíssimas. (Fonte: Globo Livros)

“Olívia estava arrasada!

-Acho que estou com crise de identidade- ela disse para os pais.

-Não sei o que vou ser!

-Bem, disse o pai-, você sempre será a minha princesa!

-Esse é o problema- disse Olivia. – Todas as meninas querem ser princesas.

-No aniversário de Pippa, todas as meninas estavam com vestido cor-de-rosa, saia de pregas com laços, coroa a varinha de condão. Inclusive alguns meninos.

-Fui de camisa listrada, calças de toureiro, sapatos pretos, colar de pérolas, óculos escuros, bolsa vermelha e meu chapéu de jardinagem – disse ela.” 

 

Até o momento, temos apenas esses títulos em português, mas segundo a página da Olivia na Wikipedia , a porquinha invocada tem muitas outras aventuras publicadas. A série também tem um canal no Youtube, infelizmente sem legendas ou dublagem em português. Por outro lado, uma boa oportunidade para treinar o inglês com as crianças!

 

 

Compre na Amazon: Olivia

maio 03, 2016

[RESENHA] COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES

13040995_1606319343024268_8514675977533737696_o

 

Eu sempre gostei, mas agora que me tornei mamãe tenho me envolvido cada vez mais com o universo da literatura infantil! Na estante da Olívia, que já tem uma coleção de livros novinhos com o seu nome, há também um dos três livros da Coleção Pequenos Leitores, que apresenta às crianças os clássicos Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll e Romeu e Julieta, de Shakespeare. Como boa jainete que sou, comprei A pequena Jane Austen: Orgulho e Preconceito!

 

“Este livro apresenta às crianças, de forma moderna e especial, o universo da literatura clássica de Jane Austen, com Orgulho e preconceito. O texto simples e instigante, a iniciação nos números e o repertório de imagens e temas que remontam à sociedade inglesa do século XIX constituem elementos importantes para as primeiras leituras no mundo dos grandes clássicos da literatura.” (contracapa)

 

Esse livro é indicado para uma leitura orientada com a criança, pois apresenta elementos visuais do clássico de Jane Austen, mas sem recontar detalhadamente a história. Basicamente, são dez itens para a criança contar. Ao invés de bolinhas, estrelinhas ou coisas do tipo, a criança contará “cinco irmãs: Jane, Elizabeth, Lydia, Kitty e Mary”. Digo isso pois já li muitas reclamações desse livro na internet, do tipo “não conta nenhuma história”. Na verdade, A Pequena Jane Austen: Orgulho e Preconceito, assim como os outros títulos, serve como um incentivador para despertar o interesse nos grandes clássicos da literatura, mas é o adulto que deve apresentar e direcionar as leituras das crianças. As ilustrações são lindas, vale muito a pena ter na estante dos pequenos!

 

Veja os outros títulos da coleção:

122642511_1GG

Daniel Pereira

 

Compre na Amazon: A Pequena Jane Austen e O Pequeno Shakespeare.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por