outubro 05, 2017

[RESENHA] PARA CELEBRAR JANE AUSTEN: DIÁLOGOS ENTRE LITERATURA E CINEMA, DE GENILDA AZERÊDO

Keira Knightley e Matthew Macfadyen: Lizzie Bennet e Mr. Darcy do filme “Orgulho e Preconceito” (2005).

 

 

Sinopse: “Os textos reunidos neste livro são resultado de uma pesquisa financiada pelo CNPQ, através de bolsa de produtividade em pesquisa. Os textos abordam questões fundamentais dos romances de Jane Austen, publicados entre 1811 e 1818, como a relevância das protagonistas-mulheres e a necessidade de tornar seus anseios e suas subjetividades visíveis, bem como o uso inovador que Austen faz dos recursos metalinguísticos e metaficcionais, a exemplo da paródia. A discussão também aproveita a relação contemporânea entre Austen e a adaptação audiovisual, sobretudo aquela realizada pelo cinema. As frequentes adaptações de romances da autora atestam a atualidade das questões que ela aborda, a exemplo do autocontrole da emoção, da necessidade do discernimento crítico, mas também de experiências, ainda que sutilmente expressas, ligadas à sexualidade, ao erotismo; também de questões mais amplamente políticas, como a crítica ferrenha à hipocrisia e ao imperialismo da sociedade inglesa pré-vitoriana.”

 

Para Celebrar Jane Austen é um livro que eu queria ler há muito tempo… Pesquisando livros sobre a escritora inglesa no Skoob, cheguei a esse título, muito bem recomendado pela Luciana Darce, do Coruja em Teto de Zinco Quente. Assim como ela, tive bastante dificuldade em conseguir um exemplar para chamar de meu: o livro, que é uma publicação de 2013, estava esgotado em todas as lojas confiáveis da internet. Coloquei-o, então, na minha lista de desejados da Amazon e cadastrei o meu e-mail nessa loja e na Livraria Cultura, com esperança de receber o aviso de disponibilidade algum dia.

Bastante tempo depois da minha pesquisa inicial, meu celular apitou: era a Amazon dizendo “Aviso de disponibilidade — apenas 3 itens à venda, compre logo!”. Comprei e valeu a pena esperar! Li no mesmo dia em que chegou, pois o livro é bem curtinho, e a leitura, bastante prazerosa.

Para Celebrar Jane Austen: diálogos entre literatura e cinema foi publicado no ano do bicentenário de publicação de Orgulho e Preconceito e no livro, Genilda Azerêdo fala especificamente da obra em dois artigos: Orgulho e Preconceito na tela: Hollywood sem beijo; e Expressões do erotismo e da sexualidade na adaptação de Orgulho e Preconceito, abordando, respectivamente, o filme de 2005 e a série de 1995 (BBC). Integram o volume, ainda, os artigos As protagonistas de Jane Austen e a ruptura com as convenções sociais; Jane Austen e a recodificação paródica do gótico em Northanger Abbey; e Mansfield Park e o Palácio das Ilusões: uma visão contemporânea de Jane Austen.

Embora os textos tenham sido fruto de uma pesquisa financiada pelo CNPQ, a leitura dos artigos é leve e bastante acessível, nada de termos complexos e academicismos. Uma ótima leitura, recomendada a todos os leitores e fãs de Jane Austen. Vale a pena esperar algum tempo, caso o livro esteja esgotado.

 

 

SOBRE A AUTORA: Genilda Azerêdo é professora da Universidade Federal da Paraíba, com atuação no curso de Graduação em Letras. Desenvolve, desde 2010, pesquisa com apoio financeiro do CNPQ, através de bolsa de produtividade em pesquisa/PQ2. Tem publicado regularmente em periódicos, anais de eventos, jornais e revistas. É membro das entidades acadêmicas ABRAPUI/ Associação Brasileira de Professores Universitários de Inglês e Literaturas de Língua Inglesa, ABRALIC/Associação Brasileira de Literatura Comparada e SOCINE/ Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual. É autora dos livros Jane Austen, adaptação e ironia (João Pessoa: Manufatura 2003) e Jane Austen on the screen: a study of irony in Emma (João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2009).

 

 

Leia também:

Leituras de Jane Austen no Século XXI

Mobilidade Social em Orgulho e Preconceito, de Jane Austen e Senhora, de José de Alencar

Orgulho e Preconceito, BBC 1995

Palácio das Ilusões (Filme 1999)

Jane Austen, adaptação e ironia: uma leitura introdutória de Emma (artigo)

 

 

Título: Para Celebrar Jane Austen: diálogos entre literatura e cinema
Autora: Genilda Azerêdo
Editora: Appris
Páginas: 110

 

 

junho 25, 2016

[LANÇAMENTO] Mobilidade Social em Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, e Senhora, de José de Alencar

13499707_1027089840740294_735738972_o

 

Vem aí mais um lançamento para os fãs de dois ótimos romances, Orgulho e Preconceito e Senhora: Mobilidade Social em Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, e Senhora, de José de Alencar, escrito por Márcio Azevedo da Silva. Veja, abaixo, a sinopse divulgada pelo autor:

 

“A proposta deste livro é promover um diálogo, a partir da Literatura Comparada, sobre mobilidade social nos romances Orgulho e Preconceito, da escritora inglesa, Jane Austen, e Senhora, do escritor brasileiro José de Alencar. Cada romance é de extrema relevância para a compreensão das sociedades inglesa e brasileira do período em que os livros foram escritos. No primeiro capítulo, apresentamos o contexto histórico em que os autores estão inseridos, considerando a influência da era Georgiana na obra de Jane Austen, além de sua curiosa escolha por não aderir ao Romantismo em voga. Ressaltamos a respeito do Romance Burguês e suas influências na obra de José de Alencar. No segundo capítulo, apresentamos a comparação entre os dois romances e suas principais personagens, tendo como base teórica o livro Literatura Comparada, de Sandra Nitrini. O terceiro capítulo apresenta um diálogo intersemiótico entre o filme Orgulho e Preconceito, de 2005, dirigido por Joe Wright e o romance de Jane Austen, o mesmo acontecendo com o filme Senhora, de 1976, dirigido por Geraldo Vietri e o romance de Alencar, com o objetivo de elucidar as especificidades da narrativa literária e da narrativa fílmica.”

 

Confesso que estou muito interessada nesta leitura, ainda sem data certa de lançamento. O autor falará, dentre outros tópicos, sobre as semelhanças e diferenças entre Aurélia Camargo e Elizabeth Bennet, e também sobre Seixas em comparação a Darcy e a Wickham. Dois romances incríveis sob a ótica da literatura comparada. Imperdível!

 

Sobre o autor: Márcio Azevedo da Silva nasceu em Parintins, no Amazonas. Graduou-se em Letras-Língua Portuguesa (UEA, 2005, Especialização em Metodologias de Língua Inglesa) ( UEA, 2007, Graduação em Letras-Língua Inglesa ( UFAM, 2012, Mestrado em Letras ( UFAM, 2015). Publicou os contos Desromantizando ( 2013), Predestinação ( 2013) e Prisão sem Muro ( 2014). É compositor de oito toadas, em parceria, na história centenária do Boi-Bumbá Garantido. Atua como docente de Língua e Literaturas de Língua Inglesa.

ATUALIZAÇÃO: Veja a resenha deste livro aqui.

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por