agosto 01, 2017

[RESENHA] QUERIDA JANE AUSTEN, UMA HOMENAGEM (VÁRIAS AUTORAS)

Sinopse: “No Bicentenário de falecimento da grande escritora inglesa JANE AUSTEN, o selo LEQUE ROSA não poderia ficar de fora dessa homenagem.
À escritora que não teve medo de criticar a sociedade de seu tempo;
À filha e irmã que sempre esteve ao lado de quem tanto amou;
À mulher que acreditava no amor e, por isso, não se submeteu a um casamento por conveniência;
À criadora de personagens masculinos que até hoje povoam o imaginário feminino;
À pessoa que buscou a felicidade e acabou por trazê-la, com suas histórias, à vida de outras pessoas.
Um livro de contos, de época e contemporâneos, inspirados nas histórias e personagens dessa talentosa escritora.
Um livro para deixá-lo metade agonia, metade esperança e enfeitiçá-lo de corpo e alma…
Uma Homenagem.”

 

Concordo com Ivo Barroso quando ele diz que Jane Austen é uma verdadeira popstar da literatura. Se ela estivesse viva, sem dúvidas, seria recebida com toda a pompa e barulho que merece em qualquer feira literária. Seus livros, que encantam multidões em todo o mundo, certamente ainda serão lidos, relidos e adaptados por muitos e muitos anos. Neste ano de 2017, em que celebramos o legado da escritora inglesa em razão do bicentenário de seu falecimento, muitos foram os lançamentos de novas edições de suas obras e de homenagens. O selo Leque Rosa, da Editora Bezz, com a organização de Katherine Sales, nos presenteou com uma antologia lindíssima de contos inspirados nos clássicos de Austen e dois artigos sobre o seu universo.

 

Veja abaixo: “Ivo Barroso – Por que Jane Austen permanece tão atual?”

Ivo Barroso – Por que Jane Austen permanece tão atual?

"Jane Austen é a popstar da literatura". Nosso querido Ivo Barroso comenta ao que deve o sucesso da escritora. Vamos assistir? 😉

Posted by Editora Nova Fronteira on Thursday, July 27, 2017

 

Querida Jane Austen, uma homenagem foi uma ótima leitura. Com prefácio assinado por Adriana Sales, presidente da JASBRA (Jane Austen Sociedade do Brasil), desde as primeiras páginas nós já somos fisgados pela publicação. Do início ao fim, fica claro que o livro foi feito de fã para fã, com todo o carinho e cuidado que a obra de Jane Austen merece.

O primeiro conto, Sinceramente Sua, de Luciana Viter, narra a descoberta do amor da jovem Margaret Dashwood. Achei de uma delicadeza ímpar! Júlia Ventura e Naiara Aimee escreveram versões bastante diferentes, porém emocionantes de Persuasão, provando que um amor verdadeiro consegue romper as barreiras do tempo e da mágoa, tal como no clássico de Austen. Em Algo em seu olhar, Raquel Cavalcanti nos mostra um Darcy desmemoriado, que não se lembra do casamento com Elisabeth Bennet. O legado de Mary Bennet, de Cacá Smith, foi um dos meus favoritos, pois conta a história dessa que é uma das personagens mais apagadas de Orgulho e Preconceito. O fato de que Mary Bennet seria o par perfeito para o Sr. Collins não passou despercebido pela autora, que soube desenvolver lindamente uma história romântica e sensível para os dois. Garotaausten.com é uma versão divertidíssima de A Abadia de Northanger, escrito pela organizadora da antologia, Katherine Sales. Adorei o conto, suas reviravoltas me fizeram ficar na expectativa até a última página. Um encontro com Mr. Darcy e companhia, da Tânia Picon, é tudo o que uma fã de Jane Austen, sobretudo àquelas que ainda não encontraram o seu Darcy, desejam. Imagina ouvir do próprio Darcy (e de Bingley e Wickham) conselhos amorosos para dar um jeito na sua vida e ter seu final feliz? Por fim, Pera, uva, maçã ou salada mista?, de Moira Bianchi é  um delicioso conto ao estilo Austenlândia, cheio de referências e um personagem que é a mistura perfeita dos nossos mocinhos favoritos da literatura.

 

Cards de divulgação dos contos: um mais lindo que o outro!

 

Os dois artigos que fecham o volume são leituras maravilhosas! The Austen Power, de Mara Sop, fala sobre os trajes da época de Jane Austen, tudo ilustrado com as suas icônicas bonequinhas. Já Vânia Nunes, em Seu lugar à mesa: os hábitos alimentares da época de Jane Austen, fala sobre um assunto que até então passava despercebido em minhas leituras: a alimentação retratada nos romances de Jane Austen. A autora usa os exemplos dos livros, contextualizando com a realidade da época de forma que entendemos facilmente como era o ritual de alimentação dos ingleses da época da regência, sobretudo os das classes sociais retratadas por Jane Austen. Finalizando o artigo, uma receita de torta de queijo maravilhosa, super fácil de fazer!

 

Marcador com a bonequinha Jane Austen, da Mara Sop.

 

Comprei o livro ainda na pré-venda, diretamente no site da Editora Bezz, e foi tudo ótimo. Eles estavam fazendo o lançamento oficial em São Paulo e eu já estava com o meu exemplar em mãos, que veio com um lindo marcador! Se você é fã de Jane Austen, certamente vai amar esse livro. Ouso dizer que até quem não gosta de versões inspiradas nos romances de Austen vai gostar.

 

 

SOBRE AS AUTORAS:

Luciana Viter é carioca, professora e leitora compulsiva. Mestra em linguística aplicada, pela UFRJ, escreveu essa singela tentativa de continuação da obra ‘Razão e Sensibilidade’, de Jane Austen, uma de suas escritoras favoritas. Também administra o site Jane Austen Fanfics, no qual se encontram publicadas outras obras suas e de outras admiradoras que também desejaram homenagear o universo dessa autora.

 

Júlia Ventura é mineira, adora flores, filmes, música e livros. É apaixonada pela vida no campo. Mora num sítio com o marido e dois filhos, os três homens em constante movimento na sua vida. Lê e escreve desde sempre, porém, só agora a escrita se tornou algo concreto. A autora tem outros livros lançados, tanto como independente quanto por editora.

 

Raquel Cavalcanti é natural de João Pessoa, PB. Conheceu a obra de Jane Austen num período em que buscava por clássicos da literatura, livros que por algum motivo desafiavam o tempo. ‘Orgulho e Preconceito’ estava na lista dos ‘100 livros que você deve ler antes de morrer’. O título forte a interessou e, a partir daquela leitura, a autora inglesa passou a ser uma forte influência em sua escrita e na escolha de futuros livros.

 

Naiara Aimee é estudante de Letras, vive em São Paulo, e é apaixonada por clássicos. Grande admiradora da autora Jane Austen, busca em suas obras inspiração para escrever seus romances de época. Tem seus livros publicados na plataforma Wattpad estando entre eles ‘Assim Como És’, ‘No Tempo do Amor’ e ‘O Anjo Inglês’, com mais de cem mil visualizações e ganhador do Wattys2016.

 

Cacá Smith é gaúcha, professora de formação, intensa e profunda como todos os guiados pelo signo de escorpião. Despertou desde cedo o gosto pela leitura e, com o amadurecimento, passou também a escrever alguns contos e pequenas histórias. No ano de 2007, por meio das redes sociais, Cacá teve acesso a um grupo de pessoas que lia e escrevia fanfics baseadas nas obras da escritora inglesa Jane Austen. Como já era fã da autora, passou a fazer parte do grupo de pessoas que não queria que as histórias de Jane Austen acabassem. Teve suas fanfics publicadas nesses grupos e em sites que homenageiam a autora. Apesar de se arriscar a escrever romances, os contos são sua preferência, assim como trabalhar com personagens secundários das histórias da escritora britânica.

 

Katherine Salles tem 21 anos e é paulistana. Aos dezoito, publicou seu primeiro livro, e aos dezenove, o segundo. Autora de duas séries literárias: a primeira que se inicia com o livro ‘TOCados’ e continua com os inéditos, ‘Esquisitos’, ‘Pequena Formiga de Sal’, ‘Quando a Luz se Tornou Ultravioleta’ entre outros; e a segunda, que é composta por ‘O Contorno Azul Índigo’ (previsto para ainda esse ano), sua continuação e vários spin-offs. Também tem dois romances históricos na gaveta e muitas ideias na mente. Estuda Direito e tradução. Pretende traduzir suas próprias histórias no futuro.

 

Tânia Picon é de Porto Alegre e começou a escrever meio sem querer em 2008, compartilhando suas histórias numa comunidade de fanfics (ficção de fã) de ‘Orgulho e Preconceito’ no falecido Orkut, e nunca mais parou. Mesmo na ocasião do nascimento das gêmeas, quando as coisas ficaram um tanto complicadas, as histórias vinham à mente, até que, em 2015, o acúmulo de ideias era tão grande que vieram seis histórias em sequência, e mais dois contos. No ano de 2016, começou a lançar seus e-books de forma independente na Amazon. Tânia Picon possui também um perfil no Wattpad com outras de suas histórias, estando uma delas em destaque na categoria romance. No total, foram 21 livros finalizados, entre romances e contos.

 

Moira Bianchi é arquiteta de formação, escritora de coração com uma insaciável necessidade de contar romances apaixonados e apaixonantes. Tem diversos títulos autopublicados, dentre eles vários inspirados em Austen, como ’45 dias na Europa com o Sr. Darcy’; ‘Três Chances para o Amor’ e ‘O que um Príncipe Procura’. Publicados no idioma inglês, sua paixão por Austen tem os títulos ‘Friendship of a Special Kind’; ‘The Prince of Pemberley’; ‘Love in Three Acts’ e ’45 Days in Europe With Mr. Darcy’, que celebrou o bicentenário de publicação de ‘Orgulho e Preconceito’ (também com versão em português). A autora adora um chopinho com amigos e ver o pôr-do-sol nas praias do Rio de Janeiro, onde mora com seu marido e filho.

 

Mara Sop é membro da Sociedade Histórica Revivalista de São Paulo de Piratininga e uma das organizadoras do Picnic Jane Austen São Paulo. Também é ilustradora, idealizadora do blog e da página Fashiononline, além de estilista e produtora de moda. Desde 1998, desenvolve o projeto voltado para a moda feminina, sendo contada através dos grandes ícones históricos, do cinema ou livros, através de ilustrações. Foi finalista de diversos prêmios e concursos de novos talentos, sendo vencedora do Link Up de Criação. Atualmente trabalha como ilustradora de livros e em projetos sociais.

 

Vânia Nunes, carioca de nascimento, curitibana de coração, considera-se mais uma cidadã do mundo. Formada em Pedagogia pela UFPR, quis entender os campos do conhecimento indo para a área de Psicopedagogia e Terapia de Família. Seu amor pelos livros, que vinha desde a adolescência, e esteve adormecido, foi reavivado com a participação de grupos nas redes sociais, o que deu origem a dois blogs, um culinário e outro literário. Através do blog literário, ela entrou em contato com a fábrica dos livros – como eles nascem, são produzidos e chegam ao público – e acabou fascinada. Daí, começou a receber convites para fazer trabalho de beta reader, revisão e copidesque. Atualmente, ela trabalha diretamente com editoras e alguns autores independentes. Seu objetivo é que todos tenham acesso a livros, sejam de autor nacional ou estrangeiro, com preço justo e qualidade reconhecida.

 

 

 

Título: Querida Jane Austen, uma homenagem
Organização: Katherine Salles (várias autoras)
Editora: Bezz (selo Leque Rosa)
Páginas: 270

 

Compre na Amazon: Querida Jane Austen, uma homenagem.

junho 16, 2017

[RESENHA] MITOLOGIA NÓRDICA, DE NEIL GAIMAN

Sinopse: “Quem, além de Neil Gaiman, poderia se tornar cúmplice dos deuses e usar de sua habilidade com as palavras para recontar as histórias dos mitos nórdicos? Fãs e leitores sabem que a mitologia nórdica sempre teve grande influência na obra do autor. Depois de servirem de inspiração para clássicos como Deuses americanos e Sandman, Gaiman agora investiga o universo dos mitos nórdicos. Em Mitologia nórdica, ele vai até a fonte dos mitos para criar sua própria versão, com o inconfundível estilo sagaz e inteligente que permeia toda a sua obra.

Fascinado por essa mitologia desde a infância, o autor compôs uma coletânea de quinze contos que começa com a narração da origem do mundo e mostra a relação conturbada entre deuses, gigantes e anões, indo até o Ragnarök, o assustador cenário do apocalipse que vai levar ao fim no mundo. Às vezes intensos e sombrios, outras vezes divertidos e heroicos, os contos retratam tempos longínquos em que os feitos dos deuses eram contados ao redor da fogueira em noites frias e estreladas.

Mitologia nórdica é o livro perfeito para quem quer descobrir mais sobre a mitologia escandinava e também para aqueles que desejam desvelar novas facetas dessas histórias.”

 

Não sou uma grande conhecedora de mitologia nórdica, mas tenho verdadeira fascinação pela história das religiões mundo afora e de como elas procuravam explicar os fenômenos da natureza e sempre moldaram o comportamento da sociedade. Para os já revelados segredos do universo temos a ciência, mas para entender a sociedade e perceber como as religiões se entrelaçam nada melhor do que ler uma boa história. Neste caso, quinze delas.

Em Mitologia Nórdica, Neil Gaiman resgata as histórias da tradição oral do povo nórdico, em pequenos contos, com sua tradicional habilidade narrativa e seus textos de linguagem acessível, que prendem o leitor até a última página. Para os leigos, é uma ótima oportunidade de conhecer a mitologia nórdica, desde o princípio até o destino final dos deuses, o Ragnarök.

Não tenho a menor vergonha em dizer que passei o livro inteiro com as imagens de Anthony Hopkins (Odin), Chris Hemsworth (Thor) e Tom Hiddleston (Loki) na minha mente. Só consegui imaginar os outros personagens que eu não conhecia, pois o único contato que tive com os mitos nórdicos foram breves passagens em alguns dos livros que li do Jostein Gaarder.

 

 

“Loki era bonito e tinha plena consciência disso. Todos queriam gostar dele, acreditar em sua conversa, mas o melhor que se podia dizer a seu respeito é que ele era irresponsável e autocentrado, e o pior, que era perverso e maligno.” (p. 89)

Tom Hiddleston como “Loki” (Marvel Studios).

 

 

“Thor sempre tomava as mesmas atitudes quando algo dava errado. A primeira era se perguntar se era culpa de Loki. Thor pensou. Achava que nem mesmo Loki ousaria roubar o seu martelo. Então fez o que sempre fazia quando alguma coisa dava errado e a primeira ideia não era a solução: foi se aconselhar com Loki.” (p. 106)

Chris Hemsworth como “Thor” (Marvel Studios).

 

 

Reiterando o que o mestre Gaiman disse no vídeo acima, um dos pontos fortes dos deuses nórdicos é o caráter falho que eles têm. Eles erram, são trapaceiros, nem sempre se dão bem naquilo que querem. Sabem ser amorosos e vingativos na mesma medida. Divertem e fazem pensar. Mitologia Nórdica, como já dito, é uma leitura que pode ser a porta de entrada para estudos mais aprofundados sobre o assunto, se assim o leitor desejar. Do contrário, é uma ótima fonte de entretenimento.

 

“Desde aquele tempo, sabemos que todos aqueles capazes de fazer magia com as palavras, de compor poemas e narrativas épicas, de tecer histórias, provaram do hidromel da poesia.

(…)

Eis o último detalhe, e é uma confissão vergonhosa. Quando o Pai de Todos, em sua forma de águia, estava quase chegando aos barris, com Suttung logo atrás, Odin expeliu um pouco do hidromel pelo traseiro, soltando um peido molhado que jorrou hidromel fedorento bem no rosto de Suttung, cegando o gigante e tirando-o de seu encalço.

Ninguém, nem naquela época nem agora, quis beber o hidromel que saiu do traseiro de Odin. Mas sempre que você ouvir poetas ruins declamando sua péssima poesia, cheios de sorrisos tolos e rimas feias, vai saber que hidromel eles provaram.” (p. 147)

 

 

Título: Mitologia Nórdica
Autor: Neil Gaiman
Tradução: Edmundo Barreiros
Páginas: 288
Editora: Intrínseca

 

 

Leia um trecho em PDF, clicando aqui.

 

Compre na Amazon: Mitologia Nórdica.

 

 

junho 13, 2017

[ETC.] DUAS HISTÓRIAS DE SORAYA COELHO PARA LER AINDA HOJE

Sinopse: “Não acreditar em Fadas é como não acreditar em histórias. E sempre que uma Fada morre, morre com ela uma Canção.”

 

Canções: A Diáspora das Fadas foi a primeira publicação de Soraya Coelho e participou do concurso Brasil em Prosa (2015) da Amazon. Aqui, temos o confronto final entre um general e a rainha das fadas. Armas, canções mágicas e muita sensibilidade. Pura prosa poética!

 

“Tão certo quanto a passagem das estações.”

 

Compre na Amazon (Grátis no Kindle Unlimited): Canções: A Diáspora das Fadas.

 

Sinopse: “Só há um caminho a seguir: pela estrada de tijolos vermelhos. E ao final dela, sempre aguardando, está Alice. Se você está diante dela, acredite, está prestes a receber seu julgamento.”

 

Alice No Fim do Mundo: Um Conto Sobre a Eternidade foi na verdade a minha primeira leitura da autora. A Jana Bianchi, autora de Sombras Lobo de Rua compartilhou a postagem da Soraya Coelho em que ela disponibilizava por alguns dias esse conto gratuitamente na Amazon. Baixei, li e me apaixonei pela história e pela escrita da Soraya! Alice certamente é uma das minhas melhores leituras de 2017! Novamente com sua prosa poética, a autora faz a eternidade parecer tão linda que a vontade que fica depois da leitura, além de ter mais páginas para ler, é de poder viver em um universo criado por ela.

 

Compre na Amazon (Grátis no Kindle Unlimited): Alice no Fim do Mundo: Um Conto Sobre a Eternidade.

 

SOBRE A AUTORA: Soraya Coelho escreve para os sites Leitor Cabuloso e Indievisível, além do próprio espaço, o Literatividade. Para seguir no Twitter: @soraya_coelho.

 

Minha recomendação para hoje é essa: pare agora o que está fazendo e leia essas histórias. Serão minutos valiosos no seu dia.

 

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por