Maio 11, 2017

[RESENHA] UM AMOR CONQUISTADO, DE SILVIA SPADONI

Sinopse: “Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Uma brincadeira do acaso e ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para vingar-se do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.”

 

Um Amor Conquistado é um romance de época muito delicado e bem escrito, mais uma aposta certeira feita pela Pedrazul Editora em seu selo Revelações. Nesta história, Sophia de Breteuil foi levada às pressas para a Inglaterra, por sua madrinha. A pequena garota pertence a uma família de nobres, seus pais são os marqueses de Polignac, muito próximos aos reis da França (a mãe foi dama de companhia de Maria Antonieta e o pai conselheiro de finanças do rei) e o contexto histórico era a queda da bastilha. Através da história de Silvia Spadoni conseguimos além de, obviamente, suspirar pela história de amor que encontraremos alguns capítulos a frente, ter um olhar mais piedoso em relação àquelas pessoas que compunham o topo da pirâmide social francesa. Nenhuma classe social é inteiramente boa ou má. Embora o romance pareça não ter o intuito de discorrer sobre os fatos históricos com didatismo, foi inevitável, para mim, esta percepção.

 

Na Inglaterra Sophia tinha uma vida modesta, sem ostentar a nobreza de seus pais e, por conseguinte, a sua. Dos bens de sua família, consegue guardar apenas o medalhão com o relicário, uma lembrança da mãe. Passados quase quinze anos desde sua fuga da França e com a morte da madrinha, ela acaba precisando procurar uma colocação como governanta.

“A peça, finamente trabalhada em ouro e diamantes, era um relicário. Fora um presente da própria rainha a Suzanne, sua amada dama de companhia, em seu vigésimo quinto aniversário. Segundo Maria Antonieta, a marquesa lembrava sua irmã Maria Carolina, de quem sentia muita falta e a quem fora apegada quando era apenas uma jovem arquiduquesa na corte austríaca. Aberta, a peça revelava um retrato de Suzanne com a filha no colo, pintado por Élisabeth Vigée Le Brun, a pintora preferida da rainha. No verso, a joia trazia uma inscrição:

‘Em retribuição ao afeto e dedicação que sempre teve por mim.

Maria Antonieta, Rainha da França.’” (p. 10)

 

“Infelizmente, a nobreza de meu sangue francês não será capaz de colocar o pão inglês em minha boca. Gostando ou não, terei que trabalhar e prover o meu próprio sustento!” (p. 26)

 

Conhecemos, então, o conde de Buckington, o famoso conde de gelo. Edward tinha seus casos com damas experientes, mas sem nenhum compromisso. Era uma pessoa fechada, arrogante, desta forma ganhara o apelido na sociedade. Particularmente, gostei dele desde as primeiras páginas! O carinho que tem pela sobrinha Louise mostra que talvez o conde não seja tão frio assim.

 

Louise, tendo perdido os pais precocemente, torna-se responsabilidade de Edward. É uma garota esperta, que afugenta todas as governantas que tentam impor a ela a tradicional educação inglesa para jovens bem nascidas. Tem uma admiração instantânea por Sophia, que acaba tornando-se sua preceptora, para desgosto do conde de Buckington, que odeia os franceses.

 

Um francês em particular é o responsável pela ira de Edward, e ele terá a chance de confrontá-lo em uma missão de espionagem que a Coroa Britânica o incumbiu na França. Para tanto, ele precisaria levar uma noiva, a fim de ter mais facilidade para obter informações nos salões nobres da sociedade francesa. Nas conversas informais e regadas a muito champanhe é que se descobrem os planos mais secretos da corte, sobretudo uma corte liberal como a da França.

 

Não havendo outra pessoa mais adequada que Sophia para ocupar o posto de noiva de mentirinha do conde de Buckington, ela vai com ele até a França, tendo a esperança de descobrir alguma informação sobre seus pais. Para o nosso deleite, muita coisa acontece nessa viagem além das investigações.

 

Tal como Julia Quinn, a escrita de Silvia Spadoni é precisa e agradável. O livro pode parecer pequeno, mas tem muita história ali e é difícil largá-lo quando precisamos fazer outra coisa. Começando a ler, a vontade é terminar em uma única sentada. A boa notícia é que o segundo volume da série amores, Um Amor Inesperado, já está em pré-venda e tem previsão para envio já no final deste mês! Mais uma grande autora nacional que temos a oportunidade de prestigiar graças ao holofote de uma grande editora.

 

 

 

SOBRE A AUTORA: A paulista Silvia Spadoni é formada pela faculdade de Direito do Largo de São Francisco – USP e trabalhou como advogada durante grande parte de sua vida. A escrita faz parte de um projeto de reinvenção pessoal. É uma apaixonada por livros, como ela mesma se define, e uma leitora bem vivida. Ama viajar e narra em seus romances o que conheceu, embora retroceda alguns séculos para descrevê-los, pois em um livro de época é mais fácil ser romântica, admite. Silvia é casada há 31 anos, tem três filhos e um cão schnauzer muito amado de 13 anos. Além de Um Amor Conquistado, são dela Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado.

Veja mais sobre Silvia Spadoni em entrevista que ela concedeu para o blog da Pedrazul Editora.

 

 

 

Título: Um Amor Conquistado (Série Amores, Livro 1)
Autora: Silvia Spadoni
Editora: Pedrazul
Páginas: 208

 

Compre no site da Pedrazul Editora e ganhe lindos marcadores!

 

Disponível também em e-book na Amazon (inclusive para assinantes KindleUnlimited): Um Amor Conquistado.

 

 

Saiba mais sobre os outros lançamentos do selo Revelações clicando aqui.



Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

2 Respostas para "[RESENHA] UM AMOR CONQUISTADO, DE SILVIA SPADONI"

Tamires de Carvalho [RESENHA] UM AMOR INESPERADO, DE SILVIA SPADONI | Tamires de Carvalho - 19 julho 2017 às 10:07

[…] Veja a resenha de Um Amor Conquistado, primeiro volume da série Amores, aqui. […]

Tamires de Carvalho [RESENHA] UM AMOR APAIXONADO, DE SILVIA SPADONI | Tamires de Carvalho - 11 agosto 2017 às 11:38

[…] Spadoni, publicado pelo selo Revelações da Pedrazul Editora. Eu adorei os outros dois livros (Um Amor Conquistado e Um Amor Inesperado), mas a história de Prudence e Tárik ganhou meu coração e esse livro […]

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por