fevereiro 14, 2016

[ETC.] OLÍVIA NÃO QUER SER PRINCESA

olivia-nao-quer-ser-princesa

Pesquisando alguns livros infantis para a biblioteca da Olívia, qual não foi a minha surpresa ao ver este título em vários blogs e sites como boa literatura para meninas! Fiquei apaixonada pela sinopse e vi que este é apenas um dos títulos da série Olívia, que tem até canal no Youtube! Infelizmente este título, Olívia não quer ser princesa, está indisponível em todas as lojas e sebos online que pesquisei… mas não vou desistir até encontrar um exemplar para a minha Olívia! Veja a sinopse:

Ser princesa é a fantasia de todas as meninas. Todas? Não é bem assim. Que o diga a porquinha Olivia! Inquieta como sempre, e desta vez mais inconformada do que nunca, ela enfrenta uma crise de identidade infantil. Todas as suas amigas só querem saber de ser princesa, com vestido cor-de-rosa e varinha de condão. Olivia se pergunta: por que é que todo mundo tem de pensar do mesmo jeito, vestir as mesmas roupas, sonhar os mesmos sonhos? Ela queria ser diferente. Mas o que Olivia quer ser? Na nova aventura da série criada por Ian Falconer – Olivia não quer ser princesa, título recém-lançado pela Globinho –, a contestadora porquinha descobre que a vida é cheia de alternativas. E, usando toda sua criatividade e rebeldia, perturba os pais falando sobre as possibilidades de escolha que mais combinam com seu jeito todo próprio de ser. O que, afinal, Olivia gostaria de ser? O “papo cabeça” de Olivia com os pais em meio à rotina da família é entremeado de cenas fantasiadas pela garotinha – tudo capturado pelo traço minimalista do autor na forma de ilustrações divertidíssimas.

Fonte: Globo Livros

 

No blog Livro de Infância, tem outras sugestões de livros bem legais que questionam o padrão menininha delicada. Vale a pena para quem também está procurando bons títulos infantis, sobretudo para meninas.

 

Folha de São Paulo também falou sobre o livro de Ian Falconer, na época de seu lançamento, em 2014.

 

ATUALIZAÇÃO: Consegui comprar alguns títulos da Série Olivia, veja aqui.

 

Título: Olívia não quer ser princesa
Autor: Ian Falconer
Tradução: Silvana Salerno
Editora: Globinho
Páginas: 34

fevereiro 11, 2016

[DIÁRIOS DE LEITURA] MINHAS LEITURAS DE GESTANTE

IMG_0014

O aplicativo Minha Gravidez Hoje, do Baby Center, mandou uma notificação para me lembrar de que estou na trigésima semana de gestação. Eu, obviamente, já sabia, mas não deixo de ficar apavorada. Trinta semanas de gestação já é contagem regressiva, certo? Levando em conta que uma gestação normal termina entre a trigésima oitava e a quadragésima semana, estou sim, a poucos passos do fim.

 

Gostaria de ter estudado mais e lido bem mais sobre esse maravilhoso (e assustador) mundo dos bebês, mas os três livros que eu comprei, fora as notificações semanais do Baby Center e pesquisas aleatórias na internet me deram uma boa base. Claro que, a esta altura, sinto que não sei nada e o pouco que aprendi com os livros já se embolou na minha cabeça! Ainda bem que existe a família para ajudar…

 

IMG_0009

O primeiro livro que eu comprei, Vamos Ter um Bebê, ainda não foi completamente lido. Ele é de autoria do famoso Dr. Oz e de Michael F. Roizen. É um livro grande e abrangente, que orienta sobre desde os cuidados antes de engravidar até posições de Yoga para praticar com o bebê. Tem de tudo lá, até como identificar os tipos de choro e como pegar no colo. Estou usando como livro de consulta, porque ele ensina o basicão mesmo.

 

Título: Vamos Ter um Bebê: O guia definitivo para acompanhar pais e mães da concepção ao nascimento.
Autores: Michael F. Roizen e Mehmet C. Oz
Tradução: Rosario Nunes
Ilustrações: Gary Hallgren
Editora: Lua de Papel
Págs.: 480
Avaliação: Ainda não li 100% do conteúdo, mas levando em consideração que sou mamãe de primeira viagem e muito curiosa, achei válido ter na estante. É sempre bom ter um material de qualidade acessível para consulta.

Compre pela Amazon: Vamos Ter Um Bebê

 

IMG_0011

Minha segunda aquisição foi A Ciência dos Bebês: da gravidez aos cinco anos, escrito por John Medina, que trata dos aspectos psicológicos da criança, da gestação aos cinco anos de idade. O autor introduz o conceito de epigenética e desmistifica certas crendices sobre produtos que prometem fazer o seu filho nascer alfabetizado em alemão, por exemplo! Tem uma linguagem muito simples e expõe casos reais, inclusive do próprio autor. A mensagem maior deste livro é que, com empatia, tudo se ajeita.

 

Título: A Ciência dos Bebês: da gravidez aos cinco anos. Como criar filhos inteligentes e felizes
Autor: John Medina
Tradução: Laura Alves e Aurélio Rebelo
Editora: Zahar
Págs.: 300
Avaliação: 5/5 estrelas.

Compre pela Amazon: A ciência dos bebês: Da gravidez aos 5 anos – como criar filhos inteligentes e felizes (Vida em família)

 

IMG_0005

O último foi um verdadeiro achado em uma promoção das Lojas Americanas. Nasceu, e agora? Um guia prático para cuidar de seu filho no primeiro ano de vida, da autora Stéphanie Sapin-Lignières, é uma ótima leitura, especialmente para os pais de primeira viagem. Sabe aquelas perguntas bobas que às vezes temos vergonha de perguntar aos mais experientes? Tem tudo aqui, o básico do básico, em poucas páginas, sem enrolação. Como amamentar, como dar banho, como estabelecer uma rotina que atenda a todos, especialmente o bebê… Tudo vindo de uma super especialista no assunto!

 

Título: Nasceu, e agora? Um guia prático para cuidar de seu filho no primeiro ano de vida.
Autora: Stéphanie Sapin-Lignières
Editora: Harper Collins
Págs.: 128
Avaliação: 5/5 estrelas e favorito. Simples e direto, recomendo esse livro a todos os papais que estão  ou querem ficar grávidos e também aos familiares que ajudarão com os cuidados do bebê.

Compre pela Amazon: Nasceu, e agora?: um guia prático para cuidar de seu filho no primeiro ano de vida

 

Estou ciente que, na prática, nem tudo serão flores e que eu vou ter que ir em busca de respostas que nenhum especialista, médico ou familiar podem me dar. Na maternidade, como em outras coisas da vida, a gente precisa escrever o próprio manual. Eu aceitei o desafio, agora é só ver no que vai dar.

fevereiro 03, 2016

[RESENHA] O CHALÉ DE MOORLAND E LIZZIE LEIGH

A Pedrazul Editora publicou O Chalé de Moorland em uma edição lindíssima que também traz o conto Lizzie Leigh. As histórias foram publicadas originalmente em 1850 e 1855, respectivamente, e são de autoria de Elizabeth Gaskell.

 

O Chalé de Moorland conta a história dos irmãos Maggie e Eduard Browne, que vivem com a mãe, viúva do pároco auxiliar de Combehust. Maggie é negligenciada pela mãe em favor de seu irmão, que desde muito jovem demonstra ser de caráter duvidoso.

 

O falecido Sr. Browne foi amigo de longa data do Sr. Buxton. Pela amizade e memória do velho amigo, ele oferece a Eduard a possibilidade de se instruir em uma escola. A partir daí as famílias ficam ainda mais próximas e os Browne passam a ser visita habitual na residência dos Buxton.

 

O Sr. Buxton tem um filho, Frank, e cuida de sua sobrinha Ermínia, que são mais ou menos da mesma idade de Eduard e Maggie. Eduard não consegue estabelecer laços de amizade com Frank ou Ermínia, muito por conta de seu caráter egocêntrico, mas também por estar sempre destratando a irmã. Já Maggie, com sua doçura, torna-se grande amiga de Ermínia e conquista a simpatia de Frank.

“Frank e Eduard pareciam ter certa antipatia um pelo outro, e a frieza entre eles mais crescia do que diminuía com os esforços do Sr. Buxton para aproximá-los. ‘Frank, meu rapaz’, disse ele. ‘Não seja tão duro com Ned. Seu pai era um amigo querido, e meu coração está determinado a vê-los amigos. Você terá o poder de ajudá-lo no mundo.’ Mas Frank respondeu: ‘Ele não é muito honrado, senhor. Não posso suportar um menino que não é honrado.’” (p. 41)

 

Maggie também conquista a afeição da Sra. Buxton, que vive reclusa por motivo de doença. A menina transforma-se em uma agradável companhia e distração para ela.

 “Verões e invernos começaram e terminaram com pouco para marcá-los, exceto o crescimento das árvores e o progresso silencioso de jovens criaturas.” (p. 42)

 

Algum tempo se passa, todos tiveram a oportunidade de se instruir em algum outro lugar, menos Maggie. Ainda assim ela transforma-se em uma bela moça. Suas qualidades permanecem as mesmas, apesar de tão dura vida.

 

Ela e Frank se apaixonam. Um amor que para ser vivido terá que superar muitas adversidades. Maggie terá de escolher entre o amor e a família, numa história de muito drama e reviravoltas.

“Não era a brusquidão de sua vinda – era a brusquidão de seu próprio coração, que saltava com os sentimentos despertados provocados pelas palavras dele.”

“A água transbordava pelo jarro esquecido. Finalmente ela lembrou de suas tarefas, levantou o pote e teria corrido para casa, mas Frank, de forma decidida, tirou-o dela. ‘De hoje em diante’, disse ele, ‘tenho o direito de carregar seus fardos’”. (p.57)

 

O Chalé de Moorland é uma história pequena em páginas, mas grande em conteúdo. Maggie tem uma retidão de pensamento tão grande que até incomoda! É difícil encontrar uma pessoa assim, com tamanha doçura e amor incondicional a família. Recomendo a leitura!

 

IMG_20160205_113808118 (1)

 

Lizzie Leigh

Na mesma edição de O Chalé de Moorland, temos o conto Lizzie Leigh. A história é curtinha, apenas 40 páginas, mas não se engane: ela pode lhe fazer derramar muitas lágrimas.

A história começa em um momento delicado, com a morte de James Leigh na manhã de Natal. Suas últimas palavras, foram em desabafo para a esposa:

“Eu a perdoo, Annie! E que Deus também me perdoe!” (p. 139)

 

A partir destas palavras um sentimento e uma vontade que há muito estavam contidos no coração da Sra. Leigh vêm a tona. A família se muda para Manchester para que Anne Leigh possa encontrar a sua filha, Lizzie, de quem há muito tempo não tem notícias. Na cidade, a família terá lições de amor, amizade perdão e caridade.

“Mas aquelas últimas palavras abençoadas colocaram-no de volta em seu trono no coração da esposa e despertaram uma agonia penitente por toda a amarga desavença dos últimos anos. Foi isso que a fez recusar todos os apelos de seus filhos para que fosse ver os gentis vizinhos que a chamavam ao voltarem da igreja para compadecer-se e dar-lhe os pêsames. Não! Ela ficaria com o marido morto que, depois de três anos de silêncio, havia finalmente lhe falado carinhosamente – quem sabe, se ela houvesse sido mais gentil e menos irritadiça e reservada, ele teria cedido antes e a tempo?”(p. 40)

 

Lizzie Leigh é uma linda história e vai lhe emocionar! Em poucas páginas Gaskell transmite um mundo de sentimentos. Recomendo a leitura!

 

 

Título: O Chalé de Moorland / Lizzie Leigh
Autora: Elizabeth Gaskell
Tradução: Andrea Carvalho
Editora: Pedrazul
Páginas: 179

 

Resenha em colaboração com o blog Escritoras Inglesas.

 

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPressDesenvolvido por