agosto 01, 2017

[RESENHA] QUERIDA JANE AUSTEN, UMA HOMENAGEM (VÁRIAS AUTORAS)

Sinopse: “No Bicentenário de falecimento da grande escritora inglesa JANE AUSTEN, o selo LEQUE ROSA não poderia ficar de fora dessa homenagem.
À escritora que não teve medo de criticar a sociedade de seu tempo;
À filha e irmã que sempre esteve ao lado de quem tanto amou;
À mulher que acreditava no amor e, por isso, não se submeteu a um casamento por conveniência;
À criadora de personagens masculinos que até hoje povoam o imaginário feminino;
À pessoa que buscou a felicidade e acabou por trazê-la, com suas histórias, à vida de outras pessoas.
Um livro de contos, de época e contemporâneos, inspirados nas histórias e personagens dessa talentosa escritora.
Um livro para deixá-lo metade agonia, metade esperança e enfeitiçá-lo de corpo e alma…
Uma Homenagem.”

 

Concordo com Ivo Barroso quando ele diz que Jane Austen é uma verdadeira popstar da literatura. Se ela estivesse viva, sem dúvidas, seria recebida com toda a pompa e barulho que merece em qualquer feira literária. Seus livros, que encantam multidões em todo o mundo, certamente ainda serão lidos, relidos e adaptados por muitos e muitos anos. Neste ano de 2017, em que celebramos o legado da escritora inglesa em razão do bicentenário de seu falecimento, muitos foram os lançamentos de novas edições de suas obras e de homenagens. O selo Leque Rosa, da Editora Bezz, com a organização de Katherine Sales, nos presenteou com uma antologia lindíssima de contos inspirados nos clássicos de Austen e dois artigos sobre o seu universo.

 

Veja abaixo: “Ivo Barroso – Por que Jane Austen permanece tão atual?”

Ivo Barroso – Por que Jane Austen permanece tão atual?

"Jane Austen é a popstar da literatura". Nosso querido Ivo Barroso comenta ao que deve o sucesso da escritora. Vamos assistir? 😉

Posted by Editora Nova Fronteira on Thursday, July 27, 2017

 

Querida Jane Austen, uma homenagem foi uma ótima leitura. Com prefácio assinado por Adriana Sales, presidente da JASBRA (Jane Austen Sociedade do Brasil), desde as primeiras páginas nós já somos fisgados pela publicação. Do início ao fim, fica claro que o livro foi feito de fã para fã, com todo o carinho e cuidado que a obra de Jane Austen merece.

O primeiro conto, Sinceramente Sua, de Luciana Viter, narra a descoberta do amor da jovem Margaret Dashwood. Achei de uma delicadeza ímpar! Júlia Ventura e Naiara Aimee escreveram versões bastante diferentes, porém emocionantes de Persuasão, provando que um amor verdadeiro consegue romper as barreiras do tempo e da mágoa, tal como no clássico de Austen. Em Algo em seu olhar, Raquel Cavalcanti nos mostra um Darcy desmemoriado, que não se lembra do casamento com Elisabeth Bennet. O legado de Mary Bennet, de Cacá Smith, foi um dos meus favoritos, pois conta a história dessa que é uma das personagens mais apagadas de Orgulho e Preconceito. O fato de que Mary Bennet seria o par perfeito para o Sr. Collins não passou despercebido pela autora, que soube desenvolver lindamente uma história romântica e sensível para os dois. Garotaausten.com é uma versão divertidíssima de A Abadia de Northanger, escrito pela organizadora da antologia, Katherine Sales. Adorei o conto, suas reviravoltas me fizeram ficar na expectativa até a última página. Um encontro com Mr. Darcy e companhia, da Tânia Picon, é tudo o que uma fã de Jane Austen, sobretudo àquelas que ainda não encontraram o seu Darcy, desejam. Imagina ouvir do próprio Darcy (e de Bingley e Wickham) conselhos amorosos para dar um jeito na sua vida e ter seu final feliz? Por fim, Pera, uva, maçã ou salada mista?, de Moira Bianchi é  um delicioso conto ao estilo Austenlândia, cheio de referências e um personagem que é a mistura perfeita dos nossos mocinhos favoritos da literatura.

 

Cards de divulgação dos contos: um mais lindo que o outro!

 

Os dois artigos que fecham o volume são leituras maravilhosas! The Austen Power, de Mara Sop, fala sobre os trajes da época de Jane Austen, tudo ilustrado com as suas icônicas bonequinhas. Já Vânia Nunes, em Seu lugar à mesa: os hábitos alimentares da época de Jane Austen, fala sobre um assunto que até então passava despercebido em minhas leituras: a alimentação retratada nos romances de Jane Austen. A autora usa os exemplos dos livros, contextualizando com a realidade da época de forma que entendemos facilmente como era o ritual de alimentação dos ingleses da época da regência, sobretudo os das classes sociais retratadas por Jane Austen. Finalizando o artigo, uma receita de torta de queijo maravilhosa, super fácil de fazer!

 

Marcador com a bonequinha Jane Austen, da Mara Sop.

 

Comprei o livro ainda na pré-venda, diretamente no site da Editora Bezz, e foi tudo ótimo. Eles estavam fazendo o lançamento oficial em São Paulo e eu já estava com o meu exemplar em mãos, que veio com um lindo marcador! Se você é fã de Jane Austen, certamente vai amar esse livro. Ouso dizer que até quem não gosta de versões inspiradas nos romances de Austen vai gostar.

 

 

SOBRE AS AUTORAS:

Luciana Viter é carioca, professora e leitora compulsiva. Mestra em linguística aplicada, pela UFRJ, escreveu essa singela tentativa de continuação da obra ‘Razão e Sensibilidade’, de Jane Austen, uma de suas escritoras favoritas. Também administra o site Jane Austen Fanfics, no qual se encontram publicadas outras obras suas e de outras admiradoras que também desejaram homenagear o universo dessa autora.

 

Júlia Ventura é mineira, adora flores, filmes, música e livros. É apaixonada pela vida no campo. Mora num sítio com o marido e dois filhos, os três homens em constante movimento na sua vida. Lê e escreve desde sempre, porém, só agora a escrita se tornou algo concreto. A autora tem outros livros lançados, tanto como independente quanto por editora.

 

Raquel Cavalcanti é natural de João Pessoa, PB. Conheceu a obra de Jane Austen num período em que buscava por clássicos da literatura, livros que por algum motivo desafiavam o tempo. ‘Orgulho e Preconceito’ estava na lista dos ‘100 livros que você deve ler antes de morrer’. O título forte a interessou e, a partir daquela leitura, a autora inglesa passou a ser uma forte influência em sua escrita e na escolha de futuros livros.

 

Naiara Aimee é estudante de Letras, vive em São Paulo, e é apaixonada por clássicos. Grande admiradora da autora Jane Austen, busca em suas obras inspiração para escrever seus romances de época. Tem seus livros publicados na plataforma Wattpad estando entre eles ‘Assim Como És’, ‘No Tempo do Amor’ e ‘O Anjo Inglês’, com mais de cem mil visualizações e ganhador do Wattys2016.

 

Cacá Smith é gaúcha, professora de formação, intensa e profunda como todos os guiados pelo signo de escorpião. Despertou desde cedo o gosto pela leitura e, com o amadurecimento, passou também a escrever alguns contos e pequenas histórias. No ano de 2007, por meio das redes sociais, Cacá teve acesso a um grupo de pessoas que lia e escrevia fanfics baseadas nas obras da escritora inglesa Jane Austen. Como já era fã da autora, passou a fazer parte do grupo de pessoas que não queria que as histórias de Jane Austen acabassem. Teve suas fanfics publicadas nesses grupos e em sites que homenageiam a autora. Apesar de se arriscar a escrever romances, os contos são sua preferência, assim como trabalhar com personagens secundários das histórias da escritora britânica.

 

Katherine Salles tem 21 anos e é paulistana. Aos dezoito, publicou seu primeiro livro, e aos dezenove, o segundo. Autora de duas séries literárias: a primeira que se inicia com o livro ‘TOCados’ e continua com os inéditos, ‘Esquisitos’, ‘Pequena Formiga de Sal’, ‘Quando a Luz se Tornou Ultravioleta’ entre outros; e a segunda, que é composta por ‘O Contorno Azul Índigo’ (previsto para ainda esse ano), sua continuação e vários spin-offs. Também tem dois romances históricos na gaveta e muitas ideias na mente. Estuda Direito e tradução. Pretende traduzir suas próprias histórias no futuro.

 

Tânia Picon é de Porto Alegre e começou a escrever meio sem querer em 2008, compartilhando suas histórias numa comunidade de fanfics (ficção de fã) de ‘Orgulho e Preconceito’ no falecido Orkut, e nunca mais parou. Mesmo na ocasião do nascimento das gêmeas, quando as coisas ficaram um tanto complicadas, as histórias vinham à mente, até que, em 2015, o acúmulo de ideias era tão grande que vieram seis histórias em sequência, e mais dois contos. No ano de 2016, começou a lançar seus e-books de forma independente na Amazon. Tânia Picon possui também um perfil no Wattpad com outras de suas histórias, estando uma delas em destaque na categoria romance. No total, foram 21 livros finalizados, entre romances e contos.

 

Moira Bianchi é arquiteta de formação, escritora de coração com uma insaciável necessidade de contar romances apaixonados e apaixonantes. Tem diversos títulos autopublicados, dentre eles vários inspirados em Austen, como ’45 dias na Europa com o Sr. Darcy’; ‘Três Chances para o Amor’ e ‘O que um Príncipe Procura’. Publicados no idioma inglês, sua paixão por Austen tem os títulos ‘Friendship of a Special Kind’; ‘The Prince of Pemberley’; ‘Love in Three Acts’ e ’45 Days in Europe With Mr. Darcy’, que celebrou o bicentenário de publicação de ‘Orgulho e Preconceito’ (também com versão em português). A autora adora um chopinho com amigos e ver o pôr-do-sol nas praias do Rio de Janeiro, onde mora com seu marido e filho.

 

Mara Sop é membro da Sociedade Histórica Revivalista de São Paulo de Piratininga e uma das organizadoras do Picnic Jane Austen São Paulo. Também é ilustradora, idealizadora do blog e da página Fashiononline, além de estilista e produtora de moda. Desde 1998, desenvolve o projeto voltado para a moda feminina, sendo contada através dos grandes ícones históricos, do cinema ou livros, através de ilustrações. Foi finalista de diversos prêmios e concursos de novos talentos, sendo vencedora do Link Up de Criação. Atualmente trabalha como ilustradora de livros e em projetos sociais.

 

Vânia Nunes, carioca de nascimento, curitibana de coração, considera-se mais uma cidadã do mundo. Formada em Pedagogia pela UFPR, quis entender os campos do conhecimento indo para a área de Psicopedagogia e Terapia de Família. Seu amor pelos livros, que vinha desde a adolescência, e esteve adormecido, foi reavivado com a participação de grupos nas redes sociais, o que deu origem a dois blogs, um culinário e outro literário. Através do blog literário, ela entrou em contato com a fábrica dos livros – como eles nascem, são produzidos e chegam ao público – e acabou fascinada. Daí, começou a receber convites para fazer trabalho de beta reader, revisão e copidesque. Atualmente, ela trabalha diretamente com editoras e alguns autores independentes. Seu objetivo é que todos tenham acesso a livros, sejam de autor nacional ou estrangeiro, com preço justo e qualidade reconhecida.

 

 

 

Título: Querida Jane Austen, uma homenagem
Organização: Katherine Salles (várias autoras)
Editora: Bezz (selo Leque Rosa)
Páginas: 270

 

Compre na Amazon: Querida Jane Austen, uma homenagem.

julho 28, 2017

[LANÇAMENTO] QUANDO OS CÉUS CONSPIRAM, DE CHIRLEI WANDEKOKEN

 

Já está disponível em e-book na Amazon o novo lançamento de Chirlei Wandekoken, Quando os Céus Conspiram! Essa é mais uma história do universo do Quarteto do Norteiniciado com A Estrangeira. Você pode adquirir o livro em formato digital neste link ou ler gratuitamente pelo kindle unlimited. Veja a sinopse abaixo:

 

Ela sabia fazer sexo, mas ele ensinou-a a fazer amor!

Inspirado na história real de Charlotte Hayes (século XVII), uma linda cortesã de um bordel londrino conhecido como “convento”, Quando os Céus Conspiram narra as histórias de Amy Hayes e o conde Filippo Raspail.

A linda camponesa escapara de ser estuprada por lorde Patchetts para dois anos depois ser violentada pelo filho bêbado de um fazendeiro. Desonrada, ela se muda para Londres em busca de trabalho. Mas Amy era bonita demais para ser empregada de uma dama. Ninguém queria aquela ameaça em sua casa. Restara a ela, portanto, A Casa das Damas, um conhecido bordel londrino que mantinha carruagem e criados de libré para suas damas da noite que eram ensinadas a se portarem como educadas ladies. Quando o visconde de Beauchamp, um dos lordes mais terríveis de Londres, tornara-se seu protetor, Amy caíra em total desgraça. Obrigada a ir com ele para Paris, num esquema de traição à Coroa Britânica, ela é salva por um cavalheiro quando tentava se matar no rio Sena.

Filippo Raspail era um nobre que, como Amy Hayes, tivera um passado tremendamente infeliz. Tudo que ele queria era cumprir seus dias na terra para finalmente encontrar sua amada Juillet no outro lado do desconhecido. Morta há mais de 20 anos, ele se enterrava com ela, pois a amargura o consumia dia após dia. Quando os céus conspiraram a favor deles, Amy, que odiava todos os homens, tivera que aprender que nem todos eles eram bestas, como ela os chamava, e Raspail que a vida podia não ser tão lúgubre assim.

 

julho 27, 2017

[RESENHA] A ROSA E O ESPINHO, DE THEODORA GOSS

Sinopse: “Quando Evelyn Morgan entrou na livraria da pequena cidade de Clews não imaginava que iria encontrar ali seu grande amor… E quando Brendan Thorne entregou-lhe um romance medieval, também não sabia que tal fato mudaria tudo… Era como se os dois fizessem parte daquele velho livro e a história de amor registrada naquelas páginas ganhasse vida.

A Rosa e o Espinho é um artefato literário especial: o leitor é convidado a escolher qual lado da história prefere ler primeiro. Um amor eterno, onde o fim é só o recomeço.”

 

Não vou mentir: primeiramente, o que mais me chamou atenção em A Rosa e o Espinho foi o projeto gráfico do livro. Vemos aos montes histórias em que há a versão da mocinha e do mocinho, algumas até bem legais ao ponto de querermos reler a mesma história imediatamente ao final da leitura, mas com o ponto de vista de outro personagem. Entretanto, aqui a edição e a ideia do livro são muito especiais para serem resumidas apenas em os dois lados da mesma história.

O livro vem dentro de um estojo e é sanfonado. Não sei se foi essa a intenção, mas fiquei dias e mais dias pensando em como uma história era o espelho da outra. Nem melhor, nem pior. Apenas o espelho. É preciso certo cuidado ao ler, não indico A Rosa e o Espinho para ler em um ônibus, por exemplo, embora eu tenha lido boa parte da História de Evelyn no caminho para o trabalho. Apesar da estrutura e do certo cuidado recomendado, não é difícil nem enjoado de ler esse livro e, apesar das folhas serem brancas, toda a edição é muito charmosa, fiquei encantada.

 

 

A Rosa e o Espinho é uma leitura que pode ser feita em um único dia. Cada versão do encontro e da história de amor entre Brendan e Evelyn tem exatamente 45 páginas e são igualmente encantadoras. Ele é um rapaz de Clews, na Cornuália, que, contrariando os planos do pai, ao invés de vender livros na livraria da família, optou por estudar literatura. Ela, uma jovem de Boston, EUA, que é perturbada por visões de seres da floresta desde a infância e contraria a família quando decide trocar o curso de Direito pelo de literatura. Eles se conhecem em uma viagem que Evelyn faz à Clews e Brendan está cuidando da livraria para o pai dele. A partir daí, eles vão se envolvendo um com outro em uma história entremeada por personagens da literatura medieval: Sir Gawan e Elowen. Para mim foi uma leitura incrível, estou até hoje pesquisando sobre os livros e os lugares citados em A Rosa e o Espinho. O conto é uma bela e delicada história de amor, mas não recomendo a leitores que precisam ver o final feliz ao virar a última página. Essa leitura termina com expectativas e depende da nossa imaginação para responder às perguntas que ficam.

 

Esperei meses até poder comprar esse livro em um valor razoável para o meu bolso e valeu muito a pena a aquisição. Além de mais uma bela edição em minha estante, tive o prazer de conhecer uma escritora que ainda não conhecia e viajar em sua encantadora história.

 

“Brendam não conseguiu se conter. Levou a mão ao rosto dela, inclinou-se e beijou-a. Foi um beijo delicioso, tão bom que chegava a ser quase um sonho. Evelyn cheirava a flores, certamente de algum perfume que estava usando. Brendan sentiu a maciez de seu rosto, os lábios encostados nos seus. Era isso, pensou uma parte de si – era isso que havia passado a vida inteira esperando, desejando.

O remédio para a solidão que sentia desde criança e à qual os outros pareciam imunes.” (p. 18 – Brendan)

 

“Ela sentiu a boca dele em seu pescoço, depois descendo pelos ombros, os dedos desabotoando e depois tirando a blusa que ela havia escolhido com tanto cuidado para que fosse bonita, mas não excessivamente sensual, pois não queria parecer ansiosa demais. Ainda que não estivesse pensando nisso agora nem se importasse com o que Brendan achava. Só queria que continuassem. Então era essa a sensação de se fazer amor. Nunca na vida tivera essa experiência – nem com os namorados da faculdade, nem com David, nem com os poucos caras depois de David que acabara levando para o seu apartamento em Nova York. Brendan a tocava com um misto de paixão e experiência que ela nunca pensou que existisse. Era como se os seus dedos soubessem exatamente aonde ir, onde encontrar os lugares secretos de seu corpo, como provocá-la e acariciá-la até ela gritar de surpresa e prazer, perplexa com aquela revelação. Quando acabaram, ela dormiu um sono profundo e sem sonhos, enroscada junto às costas dele. Pela primeira vez em sua lembrança, o mundo lhe pareceu correto, como deveria ser. Como se tudo estivesse em seu devido lugar.” (p. 32 – Evelyn)

 

 

SOBRE A AUTORA: Theodora Goss ganhou o prêmio World Fantasy 2008 pelo conto “Singing of Mont Abora” [“O Canto do Monte Abora”]. Entre suas publicações estão a coletânea de contos In the Forest of Forgetting [Na Floresta do Esquecimento], de 2006; Interfictions [Interficções], antologia de contos coorganizada com Delia Sherman em 2008; e Voices from Fairyland [ Vozes da Terra das Fadas], antologia de poemas de 2008 que inclui ensaios críticos e uma seleção de seus próprios poemas. Finalista dos pr~emios Nebula, Crawford, Locus e Mythopoeic, a autora integrou a lista de honra do prêmio Tiptree. Suas obras foram incluídas diversas vezes em antologias de “Melhores do Ano”. Theodora Goss vive em Boston, onde leciona literatura e criação literária na Universidade de Boston.

 

 

Título: A Rosa e o Espinho
Autora: Theodora Goss
Ilustrações: Scott McKowen
Tradução: Fernanda Abreu
Editora: V&R
Páginas: 90

 

Compre na Amazon: A Rosa e o Espinho.

Tamires de Carvalho • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPressDesenvolvido por